Review: câmera Sony NEX-C3

R

Já vimos a Sony NEX-C3 de perto no seu lançamento, em agosto do ano passado. Agora, após um período de testes, dá para dizer que é uma das melhores câmeras do mercado: leve, muito rápida e que gera imagens de qualidade muito boa – mesmo para quem não quer quebrar a cabeça configurando a máquina.

Antes, um histórico pessoal: no início do ano passado, eu comprei a NEX-3, geração anterior da NEX-C3 (que é fabricada no Brasil, por sinal). Foi a típica compra motivada por uma promoção de Natal (lá fora, lá fora) – era um kit com a câmera e duas lentes (16 mm f/2.8 e a zoom 18-55 mm), mais um flash – toda a cobertura do Mobile World Congress 2011 foi feita com essa câmera (exemplos aqui).

Só que um larápio furtou a câmera em outro evento logo na sequência (com e, por uma questão de orçamento (e, de novo, promoção por estar saindo de linha), peguei uma Panasonic Lumix G2 (linda, rápida, eficiente, com uma lente fixa muito escura).

Desse modo, já deu para perceber que eu sou fã de câmeras-que-trocam-lente e não são grandes quanto uma DSLR – chame-as de mirrorless, EVIL ou simplesmente de ‘terceira geração‘: equipamentos potentes, portáteis, que fazem tudo que uma grande câmera DSLR faz (com diferença, claro, do tamanho do sensor – mas quem aí hoje tem milhares de dólares para comprar uma Nikon ou Canon full-frame?), por um preço também melhor. Vale a pena, por sinal, ler o post do Stuck in Customs sobre o futuro das câmeras digitais (em inglês).

Voltando à NEX-C3, a câmera da Sony tem um sensor CMOS de 16,2 megapixels (formato APS-C de 23,5 x 15,6 mm) e capaz de capturar vídeo em alta definição (720p). Como dá para perceber de cara, a lente é notavelmente maior que o corpo da câmera. A parte superior da NEX-C3 tem o básico: botão de liga/desliga, disparador, reproduzir fotos e gravar filme. A portinhola acima se abre para encaixar o flash externo (incluso no pacote) e outros opcionais, como microfone ou visor óptico.

A lente padrão da NEX-C3 é uma 18-55 mm f/3.5-5.6 com encaixe E-mount (proprietário da Sony, por sinal) – e, com o uso de um adptador opcional, pode aceitar lentes A-mount (usada nas câmeras da série Alpha, como a A55V).

O público-alvo da NEX-C3, ao meu ver, é o consumidor doméstico amador que quer melhorar suas fotos (da família, das férias, das viagens) e que não vai, necessariamente, usar todos os recursos da NEX-C3 – vai colocar as configurações no automático e sair clicando.

O flash externo encaixado. Para ligar, basta mover a peça para cima.

Na traseira da NEX-C3, a tela de 3″ (não é sensível ao toque) e os botões de controle. Como não tem um visor óptico ou eletrônico e com poucos botões de comando, todo o controle da câmera é feito pela tela e o dial lateral.

E a tela é móvel, bom para ver o que se está fotografando com um braço esticado no alto, por exemplo.

A câmera tem ainda uma saída USB e HDMI (não mostrados) na lateral. Abaixo, o encaixe para tripé, o compartimento da bateria e a entrada para cartões de memória – a NEX-C3 aceita padrões Memory Stick e SD/SDHC/SDXC. A bateria, sob testes, durou cerca de 400 cliques, dentro da média estimada pela fabricante.

Todos os controles são feitos pelo dial lateral, com informações da câmera em português. Apesar do tamanho, a NEX-C3 se comporta como uma câmera DSLR convencional, com os principais modos de fotografia (P, S, A, M, iAuto – automático) e demais opções (panoramas – incluindo 3D -, efeitos, seleção de cena, anti-tremido, modos criativos).

A NEX-C3 só tira fotos nos formatos 16:9 e 3:2 (curioso não ter o 4:3, mais comum) e grava fotos em JPEG e RAW (se quiser, claro).

Nagano comenta: O formato 4:3  era bastante comum porque este era o padrão dos monitores de PC e aparelhos de TV com tela de tubo, mas a  medida que estas foram substituídas pelos modelos de LCD/Plasma/OLED esse quadro perdeu o sentido diante do 16:9 (padrão nas TVs de tela grande e alguns monitores de PC) e do 3:2 (usado nos filmes analógicos de 35mm e fotos de minilab). De fato algumas câmeras como minha Olympus oferecem outros formatos alternativos como 5:4, 7:6, 6:5, 7:5, 3:4 e até 6:6 (quadrado).

Me pergunta se já usei algum deles na minha vida? 🙂

Um ponto pra Sony foi inserir inúmeros tutoriais na câmera (basta tocar o botão inferior prateado) sobre seu uso. Tudo, de novo, em português.

Na prática, a NEX-C3 gera imagens excelentes e grandes para uso na web ou impressão. 16,2 megapixels efetivos vão além do básico necessário para a maioria dos humanos que tiram fotos. Ao ver em 100%, claro, surgem ruídos, mas é algo praticamente imperceptível na imagem menor. O foco da NEX-C3 também impressiona, preciso e exato.

Esse é o Tico, com a imagem reduzida:

E o detalhe do olho em 100%

E essa é a Mia, a 660 pixels de largura.

E seu olho azul em um corte da imagem a 100%.

Outro ponto positivo da câmera é a velocidade de disparo: vai de 14 a 18 cliques em modo JPEG, dependendo da qualidade de imagem (apenas 6 em RAW).

Dá para brincar muito com os efeitos incluídos na câmera, como esse vintage:

Ou um modo Toy Camera (em tempos de Instagram… uma boa notícia). Para quem é fã de HDR (não é meu caso), a NEX-C3 também faz isso automaticamente.

Mesmo em macro ela é incrível (tirei essa foto com a lente 16 mm f/2.8, que sobreviveu ao larápio chileno)

O controle de ISO da NEX-C3 é outro ponto impressionante: vai de 200 a 12.800, o que permite tirar fotos assim à noite, em total escuridão e sem tremer, somente com a luz da rua (e do luar):

Outro exemplo – sim, é muito granulado (ISO 12.800, afinal), mas se você pensar que dá para ver o gato, a beirada da janela e um pouco da casa do vizinho sem nenhuma luz acesa, é incrível. Tem mais um monte de fotos no Flickr.

O desempenho em vídeo também é excelente, com arquivos MP4 que podem ser copiados sem problema do cartão de memória para o computador. Veja os exemplos abaixo.

Tanto com a NEX-3 quanto com a NEX-C3 (e até mesmo com a Lumix G2, apesar da lente ruim e dos vídeos em formato AVCHD que precisam ser lidos direto da câmera, com o uso de cabo), me convenci que uma DSLR é mesmo equipamento para fotógrafos profissionais. Se você quer excelentes resultados com uma câmera digital “de terceira geração”, a NEX-C3 é sua escolha sem a menor sombra de dúvida.

O número enorme de recursos pode assustar no começo (em caso de dúvidas, o modo automático iAuto está lá para ajudar), mas aos poucos dá para descobrir o enorme potencial da NEX-C3.

Resumo: Sony NEX-C3

O que é isso? Câmera digital sem espelho e com lentes intercambiáveis
O que é legal? Rápida, imagem excelente para fotos e vídeos em HD.
O que é imoral? Tira fotos apenas em formatos 16:9 e 3:2 (widescreen), não em 4:3.
O que mais? Boa duração da bateria, é fabricada no Brasil
Avaliação: 8 (de 10). Entenda nosso novo sistema de avaliação.
Preço sugerido: R$ 1.999
Onde encontrar: Sony

 

 

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin é o fundador do ZTOP+ZUMO e da newsletter de tecnologia Interfaces. Já escreveu na PC World, PC Magazine, O Estado de São Paulo, Folha de S. Paulo e criou o ZTOP+ZUMO em 2007, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC.

Disclaimer: o ZTOP+ZUMO tem links de afiliados com a Amazon e pode ser
remunerado caso você clique em links neste artigo e compre algo.

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos