ZTOP+ZUMO

Review: Asus ZENBOOK UX31E (parte 2: software, desempenho e avaliação)

Primeiro Ultrabook da Asus apresenta uma excelente combinação de hardware x software x desempenho, mas que será ameaçada pela futura versão com Ivy Bridge.

>>> Review: Asus ZENBOOK UX31E (parte 1: por dentro e por fora)

Como o pessoal de Santa Clara não cansa de anunciar, o Ultrabook não é apenas uma plataforma de hardware e sim uma nova experiência de uso, o que significa um maior cuidado com o software incluso. Sob esse ponto de vista, a Asus teve o cuidado de não encher o UX31 com demos genéricas com licenças temporárias, investindo em soluções próprias — na maioria utilitários que, na nossa opinião, são realmente úteis.

Assim como em alguns painéis de carros esportivos que têm um monte daqueles relógios que medem giro do motor, temperatura do óleo, amperagem da bateria, nível do tanque, o Zenbook possui seu próprio painel de controle formado por diversos widgets que informam o seu delicado balanço entre desempenho x autonomia x consumo de energia.

Um dos mais curiosos é o PowerWiz, um medidor de energia que estima o tempo de recarga da bateria (Charge Time) do Ultrabook e sua autonomia tanto ligado (Battery Life) quanto no estado de dormência (Sandby Time). Fico pensando qual é a real utilidade dessa última informação. 😛

Interessante notar que esse widget possui uma função secundária que detalha ainda mais a autonomia da bateria baseada no seu perfil de uso:

Outro utilitário mais elaborado é o Power4Gear Hybrid, um gerenciador de energia que permite fazer um ajuste finíssimo nos perfis de uso dos quatro perfis de uso disponíveis (High Performance, Entertainment, Quiet Office e Battery Saving), tanto ligado na rede elétrica quanto na bateria.

Até aí, nada mais do mesmo. O que realmente nos chamou a atenção foi o USB Charger+, utilitário que gerencia um recurso interno do Zenbook que permite alimentar ou recarregar a bateria de um dispositivo com porta USB mesmo desligado. A grande sacada desse recurso é que o usuário pode determinar uma reserva mínima de carga que deve ser mantida no portátil, evitando assim que o usuário acabe com um computador sem bateria.

Observamos porém que para que esse recurso funcione corretamente, é preciso ativar uma opção na BIOS do Zenbook:

Para aqueles que não tem paciência para ler manuais de instruções, a Asus apresenta o Asus Tutor, uma espécie de tutorial multimídia que mostra como utilizar alguns dos novos recursos do Zenbook:

Já para aqueles que tem paciência para ler manuais de instruções, a empresa também oferece o manual do produto em PDF, com direito ao leitor (Nuance PDF Reader 5.0) incluso.

Fora isso, acompanha o produto o pacote Asus Tools, uma coleção de aplicativos e utilitários organizada em um único local. Como algumas delas contem apenas uma ou duas aplicações, acreditamos que esse produto é mais uma maneira mais organizada de gerenciar programas do que uma aplicação propriamente dita:

Dentro delas podemos encontrar aplicativos e utilitários diversos para backup e recuperação de dados, armazenamento na nuvem, segurança, sincronização de dados e até entretenimento como o Asus Game Park, uma espécie de Application Store para joguinhos casuais estilo AppUp da Intel.

Já o ASUS Splendid Video Intelligence Technology é um recurso que utiliza a GPU do processador para melhorar a qualidade da imagem de vídeos via pixel shading.

Entre os recursos de segurança, o mais divertido é o Face Logon, um gerenciador de acesso via reconhecimento de faces.

Sob Testes:

Como vocês já sabem, o modelo analisado por este ZTOP é o UX31, versão final para o mercado brasileiro equipada com processador Intel Core  i7 2677M “Ultra” dual core de 1,8 GHz (até 2,9 GHz no modo turbo) com 4 GB de SDRAM DDR3 1333 e disco SSD Sandisk U100/SATA 600 de 256 GB. O sistema operacional é o Windows 7 Home Premium de 64 bits.

Segundo o CPU-Z, podemos ver que o processador Core i7 2677M é realmente um chip “Ultra” com TDP Máximo de apenas 17 watts. Para se ter uma idéia desse valor, o TDP do Intel Core i5-2520M que equipa o ThinkPad X1 é de 35 watts.

Já a aceleradora gráfica e o Intel HD Graphics 3000:

Como é padrão aqui no lab, formatei o sistema e reinstalei nossa cópia do Windows 7 Ultimate 64 bits para tirar proveito dos seus 4 GB de RAM.

Para nossa surpresa, no Índice de Experiência do Windows o Zenbook marcou 5,5 pontos, o que é um número notável para uma GPU integrada da Intel. Segundo a métrica da Microsoft, esse resultado o coloca na categoria de um sistema adequado para trabalhar intensivamente com aplicações gráficas ou de processamento de mídia. Nada mal para um equipamento thin and light.

Nos testes com o HDxPRT da Intel, o UX31 bateu apenas 156 pontos nos testes de criação de conteúdo e atingiu a pontuação máxima em reprodução de conteúdo HD. Novamente um número notável para um portátil e nada menos do que poderíamos esperar de uma máquina na sua faixa de preço.

Nos outros testes, o UX31e bateu 106 pontos no Sysmark 2012

… 8.219 pontos no PCMark Vantage:

… e 3.342 pontos no PCMark 7:

Já no PCMark Vantage, o sistema bateu 7.262 pontos no modo Entry…

1.405 pontos no modo Performance:

No DVDFlick 1.3.0.6, que cria uma imagem de disco de filme em DVD a partir de um arquivo de vídeo, o UX31 levou 2h28m59s utilizando um thread e 1h55m00s com quatro threads.

Já o processo contrário feito com o AutoGK 2.55 foi de 59m32s para transformar um filme em DVD para um arquivo AVI de 700 MB.

Segue abaixo os resultados do Cinebench 11.5:

E o Super-Pi do David Lopes:

Nos testes de desempenho feitos com o Battery (comedor de farinhaEater, o notebook da Asus funcionou a plena carga por 1h49m38s, nada mal para um equipamento de seu porte, principalmente se levarmos em consideração que o Thinkpad X1 abriu o bico em apenas 0h44m30s, somente chegando perto do UX31 usando sua bateria externa (e atingindo 1h31m55s)

Observamos que rodamos o Batery Eater com todos os recursos de economia de energia oferecido pelo sistema desativados, de modo que esse resultado não pode — e nem deve  — ser usado para contrariar a autonomia anunciada pelo fabricante.

E para aqueles interessados no desempenho do novo disco SSD SATA 600 da Sandisk , fiz alguns testes específicos com o HD Tune Pro. Comparando este…

(Sandisk U100)

Com o SSD SATA 300 da Toshiba usado no Thinkpad X1:

(Toshiba THNSC128)

Em poucas palavras: o desempenho do disco da Sandisk é realmente de cair o queixo. Quando crescer vou querer ter um desses no meu computador.

(Sandisk U100)

(Toshiba THNSC128)

(Sandisk U100)

(Toshiba THNSC128)

(Sandisk U100)

(Toshiba THNSC128)

(Sandisk U100)

(Toshiba THNSC128)

Nossas conclusões:

No geral, o desempenho do Ultrabook da Asus ficou sensivelmente acima de concorrentes leves e finos como o ThinkPad X1 da Lenovo e até mesmo do Samsung Série 9 (antes da atualização de plataforma) o que, de um certo modo, é uma boa amostra do que podemos esperar da plataforma Ultrabook da Intel.

Como já dissemos no post anterior, ficamos bastante impressionados com a apresentação geral e acabamento final do UX31 e muito mais depois de dar uma olhadinha no seu interior para ver que aquelas histórias de que o UX31 seria uma cópia descarada do Macbook Air não é bravata de fanboy da Apple.

Talvez nunca saibamos de toda a verdade, mas não acredito que a Asus seja ingênua de simplesmente copiar o projeto da empresa com nome de fruta sem ter o aval do pessoal de Santa Clara, em especial se levarmos em consideração o passado — e a estreita relação entre as duas empresas — que já nos deu outros produtos igualmente interessantes como o primeiro Asus eee PC que não passava de um Classmate PC sem sua blindagem à prova de criança e adaptado para o varejo.

A impressão que tenho é que a Intel pode até ter de fato algum direito sobre a plataforma do Air, chegou na Asus e perguntou se ela seria capaz de desenvolver algo rápido e ligeiro para o CEO mostrar para o público, resultando assim no Zenbook. E como a Asus foi a primeira, ela ficou com o design original da Intel, enquanto que os outros fabricantes tiveram que se virar para desenhar seus próprios gabinetess. Já o que tem lá dentro só iremos descobrir quando conseguirmos colocar nossas mãos neles.

Mas voltando ao que interessa, então o Zenbook é bom, bonito, vitaminado, charmoso, tem bom desempenho, incorpora tecnologia de ponta, bla, bla, bla… Mas no fim das contas, vale a pena comprar um?

Taí uma excelente pergunta e a minha resposta é — Bom, isso depende.

Para mim, o grande dilema de adquirir ou não um Ultrabook pelo menos neste final de ano e pelo preço inicialmente sugerido é um dilema causado — por incrível que pareça pela própria Intel — que não cansa de dizer que se essa primeira leva de Ultrabooks com Core ix de segunda geração (Sandy Bridge) já é boa (pelo menos o Zenbook é) — a próxima geração vai ser ainda melhor! 

Isso porque — segundo o pessoal de Santa Clara — a segunda versão do Ultrabooks já prevista para 2012 (codinome Chief River) será uma plataforma ainda mais sofisticada baseada no novo processador Ivy Bridge “Ultra” de 17 watts — que promete maior autonomia de bateria (all day computing) sem comprometer seu desempenho, além de tornar obrigatório algumas interfaces como o USB 3.0 e incentivar o uso de novas como o Light Peak e recomendar o uso de sensores como telas touchscreen, GPS, acelerômetros, sensores de proximidade e de luz ambiente o que abre caminho para uma nova gerações de aplicações ainda mais elaboradas e até mais inteligentes.

E para melhorar ainda mais a segurança do equipamento (e de seus dados) a idéia é que o Chief River incorpore algumas tecnologias criadas originalmente para sua plataforma vPro, com criptografia de dados e sistemas anti-furto, como a notória “pílula de suicído”: em caso de perda/roubo do portátil, um comando remoto faz a máquina parar de funcionar tornando assim o Ultrabook também uma opção atrativa para o mercado corporativo.

Fora isso, prevê-se a chegada de novos padrões de formatos de Ultrabooks como convertibles, sliders e até modelos com tela destacável como o Asus Transformer.

Com todas essas novidades/maravilhas previstas para 2012 e 2013, não valeria a pena esperar um pouco e adquirir um desses futuros modelos?

Levei essa dúvida para vários executivos da Intel — incluindo Mooly Eden durante o último IDF 2011 — e a resposta na média foi que se o usuário ficar sempre esperando pelo modelo melhor e mais rápido que vai sair no próximo ano, periga de ficar sofrendo com o computador velho por anos a fio de modo é que o ideal é que o usuário invista no melhor sistema que seu orçamento permitir e tirar o máximo proveito dele enquanto for possível.

Essa resposta eu já ouvia de Craig Barrett quando ele ainda era CEO da Intel e acho que até tem lá a sua razão e  lógica, mas discordo um pouco neste caso já que não estamos falando de que no próximo ano teremos mais do mesmo — algo somente um pouco mais veloz pelo mesmo preço — e sim em um salto significativo até mesmo de como usar um computador, já que além de processar informações e se comunicar em rede os futuros Ultrabooks serão capazes de sentir o ambiente, localizar-se no tempo e no espaço e poderá interagir com o usuário de novas maneiras, principalmente com a chegada do Windows 8.

Assim, o que posso dizer é que caso o usuário não deseje e sim precise de um computador novo agora para atender as suas necessidades e estiver disposto a pagar o preço, o Zenbook UX31e é um excelente produto que vai lhe proporcionar uma experiência de uso tão boa quanto a que você sempre teve com um PC novo. Agora, se você não esteja assim tão necessitado e pode aguentar mais algum tempo (talvez até menos de um ano), a espera pode compensar com a chegada de produtos ainda mais legais.

Até mesmo da própria Asus!

 

Resumo: Asus Zenbook UX31e

O que é isso? Ultrabook leve e fino de uso geral.
O que é legal?
 Belíssimo design e acabamento, tecnologia de ponta, tela LCD de 1.600 x 900 pixels (yaaay!)
O que é imoral? Apenas duas portas USB. Porta de rede Ethernet somente com o uso de adaptador (incluso).
O que mais?
 A empresa também vende o modelo UX21 (preço sugerido: R$ 3.999) com tela de 11 polegadas.
Avaliação: 8,5
 (de 10). Entenda nosso novo sistema de avaliação.
Preço estimado:
 R$ 5.999 
Onde encontrar:
www.asus.com.br

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Thiago Silva 06/12/2011, 12:27

    Eles tão de brincadeira querendo colocar o Zenbook como mais caro que o MacBook Air.

    • mnagano 06/12/2011, 12:34

      Bom, alguém tem que pagar a máquina nova que dá o acabamento na tampa de cima do Zenbook e o novo SSD né?

      Fora isso, depois de um ano de mercado a Apple já deve ter lucrado bastante com o Air para dar um descontinho no preço.

      • Thiago Silva 06/12/2011, 12:38

        Mas de qualquer jeito, eles estão competindo no preço. E o Ultrabook da Asus, mesmo tendo um acabamento bem feito, etc, não é mais atraente pra mim do que o MB Air.

        • mnagano 08/12/2011, 06:26

          Com relação ao preço, essa lenga lenga de "tá caro" me lembra aquela história da Raposa e as Uvas que, segundo o Wikipedia:

          … é uma fábula atribuída a Esopo e que foi reescrita por Jean de La Fontaine.

          Com pequenas variações, é basicamente a história de uma raposa que tenta, sem sucesso, comer um cacho de convidativas uvas penduradas em uma vinha alta. Não conseguindo, afasta-se, dizendo que as uvas estariam verdes. Muitas vezes por comodismo e por não querer obter, criando desculpas e justificativas enfadonhas. A moral afirmada no final da fábula é algo como:

          É fácil desprezar aquilo que não se pode obter

          Com relação ao Linux no Ultrabook eu acho que não seria uma boa empreitada neste exato momento, porque como dissemos no texto, trata-se de uma plataforma bastante nova no mercado de modo que alguns recursos novos como o multi-touch, USB charger ou mesmo o rapid restore podem (ainda) não funcionar no Linux devido a falta de suporte de software.

          Quem sabe daqui a alguns meses?

          • Tobias 06/12/2011, 17:48

            Os teste que você fizeram, foram bastante técnicos, mas eu gostaria de saber coisas mais práticas, do tipo:

            Roda um Autocad (majoritariamente 2d, mas com um pouco de 3d) sem engasgar? Talvez algum jogo?

            Os autofalantes tão badalados são bons assim?

            O teclado é ABNT2 com Ç e assentos (`´^~) ?

            Tenho boa experiência com a Asus e pretendia comprar quando fosse nos EUA no começo do ano que vem, mas não tenho certeza se valerá a pena se não rodar Cad's e alguns programas de SAS.

          • mnagano 06/12/2011, 18:38

            Ok, vamos por partes:

            Autocad 2012 — talvez sim mas com alguma cautela mais ou menos já que a Autodesk recomenda um processador dual core de pelo menos 3,0 GHz (o máximo que o Core i7 chega é 2,9 Ghz em Turbo). Fora isso as outras specs ficam dentro do UX31:
            http://usa.autodesk.com/autocad/system-requiremen

            Jogos: Casuais sim, Jogos de ação mais antigos também, StarCraft II ok, jogo de tiro tipo FPS mais novos, só testando.

            Para um portátil do seu porte (quem nem grade de alto falante tem) o som do UX31 é muito bom, mas nada comparável ao NX90. Reproduz um som de maneira alta e clara mas nada que sirva para animar baile funk/bate estaca.

            Teclado ABNT2 com acento? Você pode descobrir isso lendo a primeira parte desse review em
            http://ztop.com.br/2011/11/29/review-asus-zenbook

            (o que a gente não faz por um pageview…) 🙂

          • Leonardo 08/12/2011, 01:02

            nagano quer mais um page view?? Roda o ubuntu nele e faz um review =P

            E tipo quanto ao preço, o Samsung Serie 9 tá 3999 dilmas na fast shop e na best buy 1100 obamas o mesmo preço do ux31 i5 tbm na best buy, então pq 5999 dilmas se o imposto é mesmo???

            Abs

          • Leonardo 08/12/2011, 01:14

            Po já achei um post sobre o ux31 no ubuntu, já até desisti…. http://ubuntuforums.org/showthread.php?t=1865577

          • hugosilva 12/12/2011, 09:56

            É o q acontece com os haters da Apple?

    • matazevedo 06/12/2011, 12:53

      Se você comparar as especificações, o Asus nem está mais caro que o Air…
      O Macbook Air de 13" com 256GB de SSD custa pouco mais de 5 mil reais. O Asus ainda vem com um Core i7, que custa muito mais que o Core i5 do Air. Nom fim das contas, praticamente o mesmo preço.

    • Pedro 07/12/2011, 12:06

      Oi cara, não reclama não, vaio Z é muito mais caro que esses dois, custa mais do dobro, qualidade superior, claro.

  • @LeandroZart 06/12/2011, 15:02

    "o q é imoral?" o preço, quase pornografico em tempos de crise… :p

    mesmo assim um brinquedinho recheado de boas surpresas…
    não se podia esperar menos da velha e boa Asus, vide o transformer e agora esses Ultrabooks. 😀

  • José 07/12/2011, 12:01

    É muito dinheiro!!!!

    Comparando laranjas com bananas, a Sony vende o SB25, que não é um Ultrabook, é Core i5 eu sei, mas tem apenas 1,7Kg, é fininho, ótimo acabamento, por R$ 2.300 (a vista na Fastshop, comprei por esse preço).

    Dá para comprar dois e ir passar um fim de semana em Buenos aires com a diferença.

  • Alex Melillo 07/12/2011, 16:50

    Pois é, Nagano…. estou contigo. Ainda uso muito bem um UL30 desde dez/09, comprado na BhPhoto. Lançamento daquele mês tipo esse agora que o sucede. Super máquina. Um kg e pouco, bateria de 10h, mudo (isso mesmo, vc não consegue ouví-lo funcionando) e gelado. Tive um MacPro e tenho um Air, quem tb tem sabe do que falo. Gelado meeesmo. Impressionante.
    Marcas atualmente são grifes, que nem carros. Todos tem +- as mesmas coisas, tipo um básico bem sofisticado. O que prende os admiradores são pequenos mimos, que se tornam grandes e até insubstituíveis para quem gosta. E os da Asus eu realmente gosto, dou valor. Como tb gosto dos Macs, iPad, iPhone (não troco nenhum dos 2), Air. O Pro já se foi há um tempinho.
    Acer, Lenovo, Sony, Dell … Ou mais recentemente Samsung e outros fabricantes sempre vão disponibilizar ótimos equipamentos, com poucas diferenças gritantes entre eles. Um detalhe aqui, outro acolá. O que vai prender o cara vai ser o detalhe, aquilo que gosta, como já fui fã de Toshiba por um bom tempo pelos teclados que, àquela época (início sec XXI), para mim eram os melhores.
    E por último preço. Vai do bolso de cada um, vis-a-vis a satisfação em possuir o chamado objeto de desejo, o desejado brinquedinho novo. Igual carro. Hj com 100 mil vc escolhe em uma infinidade de opções. Tem que queira um 3008, quem queira um ix35, quem queira um TSi, um Sonata, um Civic, ou ainda um Pallas, Cerato, um NewFiesta, ou um Picanto, e fique com o troco. Alguém está errado? Não acho. Todos têm razão, cada um na sua. Notes, a mesma coisa. Vc vai usar o bichinho praticamente todo dia (igual carro), vai aproveitar cada real todo dia, e vai se divertir todo dia. Diferentemente de alguma coisa que vc compra a não usa sempre. Ísso sim para mim sai caro, a gente não aproveita. Alguém lembrou de algo? Deve ter um monte encostado pro aí….
    Bem, desculpe Nagano pelo tópico enorme. É o primeiro que escrevo em seu blog. Acompanho desde muito, mas como devo pegar o meu UX31 daqui a 20 dias, no mesmo local em que peguei o (agora) prestes a se aposentar UL30, acabei por externar algumas impressões que espero sejam úteis para alguém que lhe acompanha.
    Um grande e fraterno abraço,
    Alex

  • Qwerty 07/12/2011, 20:34

    Uauu, tudo isso por apenas R$ 5.999!!! bem que eles poderiam lançar um Ultrabook que pessoas normais pudessem comprar, não só pro Eike Batista.

    • JHF 08/12/2011, 17:31

      Exato. Ultrabook e para os "Eike"! Entendeu não?

      • mnagano 12/12/2011, 19:55

        Elke Maravilha?

  • Anderson Costa 08/12/2011, 10:45

    putz, o mundo vai acabar mesmo! o nagano colocou uma foto dele mesmo!!!!! Mas quanto ao teste com Linux, eu ainda acho que seria válido Mário, mesmo que fosse apenas impressões, um 7zip, um 3D shooter opensource, etc.

    • mnagano 08/12/2011, 14:35

      E você viu q nem o sistema de reconhecimento de face teve idéia de quem eu era… encheu de "??????"

  • Anderson Costa 08/12/2011, 10:45

    putz, o mundo vai acabar mesmo! o nagano colocou uma foto dele mesmo!!!!! Mas quanto ao teste com Linux, eu ainda acho que seria válido Mário, mesmo que fosse apenas impressões, um 7zip, um 3D shooter opensource, etc.

  • Tai 25/02/2012, 14:40

    Como ele se comportaria para processamento de dados com MatLab por exemplo?