Review: Asus eee PC Seashell 1015PEM

R

Apesar dos netbooks terem perdido um pouco do seu charme para os tablets, a Asus mostra que essa plataforma ainda tem o que oferecer para aqueles interessados em um pequeno computador com teclado.

Num mercado onde os produtos foram feitos para serem simples e baratos,  o 1015PEM foge do lugar comum por oferecer um visual mais requintado, além de diversas melhorias tanto no seu design quanto na sua configuração interna.

===
===

Nagano comenta: Apesar do vídeo acima informar que o 1015PEM vem equipado com interface USB 3.0 (ou mais exatamente duas portas USB 3.0 + uma 2.0) a Asus Brasil explicou que esse recurso é opcional sendo que a versão nacional vem equipado com apenas três portas USB 2.0.

Disponível no Brasil na cor preta (Jazz Black) e branca (Milky White) o modelo analisado por este Ztop veio na cor batizada de Silky Red um interessante tom de vermelho (quase vinho) que, ao contrário dos outros modelos tem acabamento fosco e não brilhante.

… mas cujo interior ainda é dominado por tons de preto assim como a sua base.

E assim como seus antecessores, o 1015PEM possui uma frente levemente “rebaixada” o que melhora a sua ergonomia, em especial no uso do teclado.

Internamente, 1015PEM vem equipado com um processador Intel Atom N550 “Pineview”, por sinal o mesmo usado no Dell Inspiron Duo. Trata-se de  um chip de 45 nm dual core de 1,5 GHz com HT (totalizando quatro threads) com suporte para 64 bits o que nesse caso não significa muita coisa já que o sistema só vem com 2 GB de memória SDRAM DDR3, quantidade mais do que suficiente para um equipamento com Windows 7 starter.

Em contrapartida a aceleradora gráfica é a GMA 3150 rodando a 200 MHz cujo desempenho é um pouco melhor que a boa e velha GMA 950 e fazia par com os Atom N270. A mensagem nesse caso é que ele atende bem o público alvo dos usuários de netbook, porém nada além disso. O clock menor da GPU e da CPU de um certo modo ajuda a mante seu DTP em 8,5 watts o que significa maior autonomia de bateria.

Fato é que apesar desse processador rodar a apenas 1,5 GHz (ou até um pouco mais com o recurso Super Hibrid Engine ativado) o fato desse netbook contar com até quatro “processadores lógicos” faz com que o sistema operacional responda mais ligeriamente aos comandos do usuário, sendo que a falta de mais megahertz só seja realmente sentida em aplicações de processamento intensivo (como edição de imagens e processamento de vídeos) o que por sinal foge completamente do escopo deste produto.

Outro grande atrativo do 1015PEM é ele vir equipado com um HD de 500 GB, mais 500 GB de armazenamento na nuvem via Asus Webstorage e Wi-Fi 802.11n. Fora isso, o sistema conta com uma nova versão do Express Gate Cloud que é um pequeno ambiente de trabalho que pode ser carregado rapidamente com o computador desligado e que oferece algumas ferramentas simples para aqueles que precisam fazer algo rapidinho no seu PC sem ter que esperar a carga do sistema operacional. Já vimos várias versões dessa aplicação sendo esta a mais “conectada” que já vimos.

Interessante notar que o navegador padrão agora é o Google Chrome:

Medindo aproximadamente 26,2 x 3,6 x 17,8 cm (LxAxP) e 1,13 kg de peso (com sua bateria) o 1015PEM é ligeriamente menor que o  eee PC 1201T devido ao uso de uma tela menor de 10,1 polegadas e que geralmente determina as dimensões gerais do produto.

Interessante notar que apesar de menor, o 1015 PEM consegue manter o mesmo espaçamento entre as teclas dos modelos com tela de 12 polegadas (~1,75 cm) o que proporciona praticamente a mesma experiência de uso — pelo menos na digitação de textos. Isso foi possível gracas a eliminação dos ressaltos presentes nas laterais do teclado (como no 1201T) o que liberou um pouco mais de espaço de cada lad0.

Observamos porém que essa solução tem lá suas desvantagens já que ele deixa o interior desse portátil mais exposto e sujeito a entrada de sujeira no seu interior como pó, fiapos de tecido…

… e até coisas maiores que costumam habitar o interior das nossas bolsas e mochilas como casca de bala, migalhas de biscoito, pequenas moedas, grampos de papel e até clipes que podem escorregar para dentro e fazer um belo estrago a medida que eles chacoalham entre o teclado e o LCD. Para eliminar esse risco, recomendamos o uso de uma capa protetora tipo envelope de neoprene ou outro tecido macio.

O botão de liga/desliga fica do lado direito do portátil e possui uma elegante iluminação com LED azul.

Do lado oposto ficam mais dois botões sendo que o primeiro ativa o Express gate (com o netbook desligado) e o  segundo liga e desliga a interface Wi-Fi.

As luzes de estado ficam no canto inferior direito do teclado numa posição que permite o seu monotoramento com o equipamento tanto aberto quanto fechado. A desvantagem nesse caso é que a mão direita tende a cobrir esses indicadores o que nos obriga literalmente a tirar a mão de cima.

O seu amplo touchpad segue os estilo dos outos Seashell com seu botão tipo gangorra que incorpora as funções de clique direito/esquerdo. E como os modelos mais recentes, ele já suporta comandos multitoque.

Sua tela LCD com retroiluminação a LED de 10,1 polegadas tem resolução nativa de 1.024 x 600 pixels que oferece uma boa qualidade de imagem graças ao seu acabamento anti-reflexivo, mais adequado para uso geral.

Um dos itens que mais chamam a atenção desse modelo, é sua Webcam de 0,3 MP equipada com uma cortina de privacidade isto é…

Quando a mesma não estiver em uso (posição OFF) uma pequena portinha deslizante boqueia a lente da câmera, garantindo assim total privacidade do usuário mesmo que ela seja invadida externamente por um hacker. Simples e prático.

Na lateral direita do portátil à partir da esquerda, vemos a entrada da fonte de alimentação, a saída de vídeo SVGA, uma USB 2.0 e a saída de ar do cooler do procesador.

Do lado direito temos o slot para cartão SD/SDHC/MMC, portas de som, mais duas USBs 2.0, slot para trava de segurança padrão Kensington e uma curiosa porta de rede Fast Ethernet…

… que possui uma espécie de articulação que permitiu diminuir o tamanho da porta fazendo com que o mesmo acompanhe os contornos do equipamento.

Ao inserirmos um cabo RJ-45 na porta, esta se abre permitindo assim o encaixe firme do conector.

A base do 1015PEM é bastante simples com a presença de apenas um compartimento que dá acesso ao banco de memória SDRAM. Nessa imagem podemos notar a presença de dois alto-falantes montados atrás da grade frontal.

A bateria desse Seashell fica montado na parte de trás do portátil e pode ser removido ao deslizar as suas duas travas localizadas perto da mesma. O modelo analisado veio com uma bateria modelo A31-1015 de três células e 23 Wh.

Sua pequena fonte de alimentação (apenas 183 gramas) é um modelo ADP-40PH AB modelo bi-volt com saída de 19 volts x 2,1 A. Interessante notar que ele utiliza uma tomada simples de dois pinos (sem fio terra) o que facilita a vida do usuário que não dispõe de uma tomada tripolar padrão nacional.

Assim como o Seashel 1201T o 1015PEM dispõe de apenas um soquete para pente de memória SODIMM DDR3 sendo que no nosso caso veio equipado com um pente de memória de 2 GB que já é o máximo recomendado pela empresa e que atende plenamente aos requisitos do sistema.

 

Sob testes

No índice de Experiência do Windows o sistema bateu 3,0 pontos, o que segundo a métrica da Microsoft é o mínimo necessário para se ter uma boa experiência de uso do Windows Aero o que o coloca um pouco acima do que poderíamos esperar de um netbook com Atom.

Já no HDxPRT da Intel, que mede a experiência de uso em alta definição bateu 32 pontos, novamente dentro da média de um sistema com Pineview dual-core como a placa-mãe D510MO (já analisado por esse Ztop).

Com relação aos outros resultados, o 1015PEM bateu 44 pontos no Sysmark 2007 preview, 1.741 pontos no PCMark Vantage. No AutoGK 2.45 a placa da Intel levou aproximadamente 4h19m24s para transformar um filme em DVD para um arquivo AVI de 700 MB. O processo oposto (criar uma imagem de DVD a partir de três arquivos de vídeo) feito com o DVDFlick 1.3.0.6 foi de 14h15m12s utilizando um thread11h26m08s com dois threads.

No novo PCMark 7 Professional Edition o sistema obteve 557 pontos no PCMark Score e 816 pontos no Lightweight Score.

Ah sim, o Super Pi do David Lopes:

 

Nos testes de autonomia de bateria realizadas com o Battery Eater 2.7 — o sistema funcionou por aproximadamente 1h40m28s, desempenho modesto mas dentro do esperado para uma bateria de três células.

Nossas conclusões:

Como sempre a Asus nos chama a atenção por colocar no mercado um produto fora do que poderíamos esperar num segmento tão ferozmente disputado como é o de netbooks aqui no Brasil. Ao invés de investir na mesma coisa porém mais em conta, a empresa optou por investir num design mais elegante que não fica apenas num brilho aqui e uma mão de tinta alí e sim em soluções mais efetivas: caso do teclado mais amplo e da cortina da Webcam — coisas que realmente contribuem para uma melhor experiência de uso do seu consumidor.

Internamente, a presença de um processador Atom Dual Core e de um HD de 500 GB também representam características que agregam valor ao produto ficando novamente acima do que costumamos encontrar por ai em termos de netbooks com Atom.

Entretanto, precisamos estar cientes que — como já explicamos diversas vezes — a plataforma Atom foi feita para realizar tarefas simples do dia a dia como preencher documentos, trocar mensagens e consumir conteúdo da Internet sendo sua maior limitação sua inabilidade de reproduzir conteúdo em alta definição, algo que era até tolerado a alguns meses atrás mas que hoje pode se transformar num assunto sério com a chegada das novas plataformas da AMD com Fusion. Entretanto não consideramos o AMD E-350 Zacate como um concorrente direto do N550 e sim o seu irmão menor o C-50 Ontario que ainda não recebemos para testes e que muitos chamam de Atom-killer.

Assim o que podemos dizer é que para um netbook com Atom o Seashell 1015PEM é um dos netbooks mais interessantes que já passou aqui pela Zumo-caverna e recomendamos o mesmo para qualquer um interessado em um netbook com tela de 10,1 polegadas e que não esteja interessado em reprodução de conteúdo em alta definição. Caso contrário recomendamos que a pessoa dê um tempo já que muitos produtos interessantes prometem animar o mercado de portáteis nesses próximos meses — incluindo a própria Asus.

Resumo: Asus eee PC Seashel 1015PEM

O que é isso? Netbook de 10,1″ para uso geral. 
O que é legal?
Boa apresentação e acabamento. Processador dual core e 500 GB de disco. Ótima relação custo x benefício
O que é imoral? Resolução da tela e desempenho gráfico bastante modesto.
O que mais?
Oferece mais 500 GB de armazenamento na nuvem, o preço é o mesmo independentemente da cor.
Avaliação:
8,5 (de 10). Entenda nosso novo sistema de avaliação.
Preço sugerido:
R$ 1.099 
Onde encontrar:
br.asus.com

 

Sobre o autor

Mário Nagano

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World.
Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos