Review: Apple iPhone 4S

R

O Apple iPhone 4S, lançado no Brasil na metade de dezembro, é a referência em smartphones topo de linha à venda no mercado local. Sim, existem excelentes concorrentes nas outras plataformas – mais notadamente o Samsung Galaxy S II, com Android, e o HTC Ultimate, com Windows Phone.

Entretanto, o que a Apple consegue oferecer em um conjunto de incríveis recursos – câmera, modem, tela e, principalmente, facilidade de uso e ecossistema de aplicativos- é imbatível com o iPhone 4S.

Tirando o alto preço, claro, e a frágil e linda estrutura de vidro na frente e atrás do aparelho.

O hardware

Com processador Apple A5 dual-core de 800 MHz, 512 MB de RAM, rodando iOS 5 e com armazenamento entre 16 GB e 64 GB, o iPhone 4S é, no seu exterior, virtualmente igual ao antecessor, o iPhone 4. Mantém-se iguais a parte superior, com o botão de liga/desliga e o conector de fone 3,5mm…

E inferior, com o alto-falante estéreo e o conector de 30 pinos para USB. Note que aqui estão os únicos dois parafusos do aparelho.

Muda um pouco a lateral e a posição dos botões de volume e trava de silêncio.

Na lateral direita, apenas a pequena gaveta para o microSIM card…

… que se abre com a ferramenta que vem na caixa ou um simples clipe de papel. Vale notar que o número de aparelhos com microSIM aumenta cada vez mais desde o iPhone 4, e hoje já temos modelos da Motorola, da Nokia e da Sony Ericsson com o novo padrão.

A tela, com resolução de 960 x 640 pixels, tem nitidez e brilho incríveis, além de uma sensibilidade ao toque difícil de comparar com outros aparelhos – provavelmente por conta de matéria-prima utilizada para compor a superfície do aparelho.

Comparando lado a lado com um iPhone 3GS (à esquerda, com tela de 320 x 480) dá para perceber as diferenças nos nomes dos aplicativos, por exemplo – e mais resolução, melhor imagem e melhor sensação de uso.

Grande problema do iPhone 4S (e do 4) é o acabamento traseiro em vidro. É lindo? Sem dúvida, mas é bastante frágil (note um risco somente de ficar no bolso). Eu, que já quebrei telefone sem querer, fico temeroso de usar um aparelho como o iPhone 4S sem uma capinha protetora.

A câmera

Por mais que você não goste de iPhone ou de gadgets da Apple, a câmera de 8 megapixels é o principal motivo para querer um aparelho desses. Substitui fácil uma câmera digital básica tradicional, e ainda faz vídeos em alta definição.

A câmera faz também fotos em HDR de modo automático, salvando duas imagens na sequência (a original e a com efeito).

 

Na maioria dos casos do dia-a-dia, dá para perceber nuances de contraste e sombras na imagem, como no exemplo abaixo, sem HDR…

E a imagem com HDR:

O intervalo entre disparos é bastante rápido, e a qualidade de imagem também é muito boa. Aqui, um lagarto em imagem de 8 megapixels recortada para 660 pixels de largura…

E seu detalhe a 100%. Mais exemplos no álbum do Flickr.

O desempenho em vídeo também é bom, com resolução 1080p. Dois exemplos:

Multimídia

Apesar dos pesares, o desempenho de multimídia do iPhone 4S levanta questões importantes.

O aparelho, assim como qualquer outro dispositivo da Apple, roda vídeos apenas no formato MP4/MOV/H.264. Nada de codecs para AVI ou MKV, e a solução é converter os vídeos usando uma solução como o Handbrake, comprar/alugar filmes na iTunes Store brasileira ou tentar um app alternativo, como o Good Player (US$ 2,99 na App Store) ou o OPlayer (também US$ 2,99), na falta do VLC para iOS (o app foi removido do ar pelos desenvolvedores).

Vale lembrar, de novo, que o Windows Phone atua do mesmo modo, sem codecs para AVI ou MKV nativos.

O player de música não revela muitas surpresas – além de nos lembrar que a opção de equalizador não fica integrada ao aplicativo, mas sim nas opções gerais do sistema.

 

O navegador e detalhes do sistema operacional

Eu, você e a torcida do Corinthians sabemos que o navegador Safari não roda Flash (imagem à esquerda). De qualquer modo, o navegador é rápido, carrega páginas com velocidade razoável e, sinceramente, o Flash não faz falta. E o botão “Leitor”, presente na maioria das páginas, converte o texto longo de sites em um layout único e corrido (ou, no caso do Verge, não é preciso, já que têm uma versão mobile para o site).

O Safari tem ainda um modo de navegação privada, como no desktop (mmm), e um item extremamente útil é o modo de compartilhamento de conexão à internet (=usar o telefone como modem) do iOS5: basta ativar o Acesso Pessoal e compartilhar via Wi-Fi, Bluetooth ou cabo – basta selecionar a conexão no computador. É o tipo de coisa tão simples e básica de fazer, e outros sistemas podem complicar esse tipo de conexão.

Em tempo: minha lista de apps favoritos hoje

 

Siri

O assistente pessoal Siri, que fala apenas inglês/alemão/francês, é o segundo grande motivo para escolher um iPhone 4S (se, claro, você falar bem alguma dessas línguas). É esquisito falar sozinho com o telefone, mas funciona bem para tarefas simples, como checar a previsão do tempo….

Marcar e cancelar reuniões e até mesmo definir o alarme para acordar no dia seguinte. Siri, me acorda?

Sob testes

Curiosamente, este é o primeiro iPhone que este ZTOP testa de forma oficial. E o bicho é rápido, o que se prova nos números dos benchmarks selecionados:

  • 3D Bench (desempenho 3D): 60,12 quadros por segundo
  • Linpack (cálculo de ponto flutuante): 171,44  mflop/s (máximo) / 141,97 (média)
  • Geekbench (desempenho geral): 630 pontos

Para referência, o iPhone 3GS (de duas gerações atrás) teve os seguintes resultados:

  • 3D Bench: 47,06 quadros por segundo
  • Linpack: 26,33 (máximo) / 25,31 (média)
  • Geekbench: 282 pontos

Como o Linpack está disponível para Android também, os próximos reviews de aparelhos terão esse benchmark também, para efeito de comparação com o iOS.

Na prática, o uso do iPhone 4S em um dia resultou, ao final do período de uso (7 horas com navegação na web via 3G, acesso a e-mail e redes sociais e ouvir pelo menos duas horas de música, com pausas) em 20% de carga de bateria. A Apple promete 8 horas de duração em 3G, então meus resultados ficaram dentro da média.

Conclusões

É difícil falar do iPhone 4S sem entender que o hardware e o software fazem parte de uma experiência integrada e única – boas fotos vão para o Twitter com um clique, Siri conectada o tempo todo traz informações úteis, as lojas de aplicativos e de música/vídeos trazem conteúdo para o aparelho, compartilhe vídeos, fotos e músicas com a Apple TV via AirPlay. É o smartphone cheio de recursos para quem não quer se preocupar com coisas técnicas como velocidade de processador (vide a disputa dual-core que assola o Android, por exemplo), mas quer fazer coisas rápido, do seu jeito.

A indicação de compra vale pela incrível qualidade da câmera, tanto em fotos como em vídeo, e, se você fala inglês, pela Siri. O grande ponto contra é o preço do smartphone desbloqueado no Brasil.

Aqui no ZTOP acreditamos que as plataformas de smartphones se encaixam de acordo com o que o consumidor quer, precisa e, principalmente, pode pagar. O iPhone 4S não é um aparelho para ostentação, apesar de muita gente descolada acreditar que sim. É uma máquina de produtividade para e-mails, navegação na internet e em redes sociais, usar apps exclusivos (como o ótimo Instagram, por exemplo) e tirar fotos, fazer vídeos. Nada muito diferente do que Android já faz, de maneiras distintas, assim como o Windows Phone – que parte para uma interface totalmente centrada no consumidor.

Nossa indicação para cada plataforma agora está clara para os aparelhos topo de linha: se você precisa ou gosta de Android, vá de Samsung Galaxy S II. Se o desejo for o Windows Phone, a indicação ainda é o gigante HTC Ultimate, com Windows Phone. E, se quer iOS e tem bolso para pagar o preço do iPhone 4S no Brasil, vá com ele.

Resumo: Apple iPhone 4S

O que é isso? Smartphone com sistema operacional iOS 5
O que é legal? Câmera de 8 megapixels, tela nítida, Siri, facilidade de uso
O que é imoral? Siri ainda não fala português, estrutura de vidro pode quebrar fácil.
O que mais? Funciona bem como modem, desempenho rápido
Avaliação: 9 (de 10). Entenda nosso novo sistema de avaliação.
Preço sugerido: entre R$ 2.599 (16 GB, desbloqueado) e R$ 3.399 (64 GB, desbloqueado). Operadoras podem oferecer ofertas melhores com planos.
Onde encontrar: Apple e principais operadoras de telefonia celular

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin é o fundador do ZTOP+ZUMO e da newsletter de tecnologia Interfaces. Já escreveu na PC World, PC Magazine, O Estado de São Paulo, Folha de S. Paulo e criou o ZTOP+ZUMO em 2007, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC.

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos