ZTOP+ZUMO

Review: Amazon Kindle 6″ Global Wireless (parte 2/3: hardware e experiencia de uso)

Kindle_3G

(leia também a parte 1/3: Intro e outros)

Medindo aproximadamente 13,5 x 20,3 x 0,9 cm (LxAxP) e 293 gramas de peso (sem a capa), o Kindle analisado por este Zumo é o modelo mais recente, anunciado em outubro de 2009 e que substitui o chamado Kindle 2 cuja rede wireless só funciona nos EUA (rede Sprint). Segundo a Wikipedia, o sistema utiliza um processador Freescale ARM-11 de 532 MHz, 2 GB de memória Flash (sendo 1,4 GB livre para o usuário), tela de E-Ink de 6″ e, como muitos dispositivos móveis, roda um dialeto de Linux 2.6.10.

Kindle_overview_small

Apesar de fino, o padrão de construção do Kindle passa uma sensação de solidez e mesmo chacoalhando vigorosamente o aparelho não se nota nenhum ruído de peça solta. O que deve ajudar nisso é o uso de uma capa metálica que cobre a maioria da parte de trás e das laterais do leitor, sendo a única parte onde o plástico realmente domina é na sua frente branca.

Graças aos céus, seu acabamento é predominantemente fosco, o que não deixa marcas de dedo como um certo player de música de uma empresa com nome de fruta. Note a presença de dois alto falantes no lado direito, que é usado pelo recurso de text-to-speech e o player de MP3. Como alternativa, o leitor conta com uma entrada para fone de ouvido padrão de 3,5 mm que fica ao lado do notão de liga/desliga.

Kindle_back2

É interessante notar que o produto já é certificado pela Anatel:

Kindle_certificates_small

Tecnologicamente falando, o grande destaque do Kindle é sua tela de papel digital de 6″ (9,1 x 12,2 cm — LxA) com resolução nativa de 600 × 800 pixels e 16 níveis de cinza, produzido pela E-Ink. Ela funciona de maneira meio diferente do LCD, ou seja, no E-Ink utiliza-se energia somente para mudar o conteúdo na tela e não para mantê-la (saiba mais sobre isso aqui).

Ao contrário do Kindle original com seus 4 tons de cinza, esse novo modelo já é capaz de reproduzir 16 tons de cinza. Isso melhora consideravelmente sua reprodução de gráficos.

Kindle_epaper_sample_small

Interessante notar que ao, contrário do LCD ao se aproximar da tela, não vemos uma matriz de pontos e sim um padrão mais aleatório que lembra uma impressão a jato de tinta:

Kindle_epaper_sample_detaill_small

A construção dos pixels pode ser melhor notada nos textos miúdos…

Kindle_epaper_texto_small

… já que, no padrão normal, as letras são bem formadas, oferecendo excelente leitura. De fato a experiência de leitura do Kindle é semelhante a ler uma impressão a laser, com exceção do fundo ser levemente cinza e não branco. Como essa tela não emite luz, ela tem vantagens como funcionar bem em locais abertos — mesmo sob sol forte — e desvantagens, como não ser visível no escuro. Nesse caso, já existe uma infinidade de acessórios na forma de iluminadores especialmente desenhados para o Kindle. O meu favorito é esse, um legítimo farol de gente!

Kindle_exemplo_texto2

Na minha opinião, a grande desvantagem dessa tecnologia é que a taxa de atualização do e-paper é muuuito lenta. De modo que não vejo senhuma possibilidade de que esse leitor seja capaz de reproduzir animações e vídeos. Para vocês sentirem o drama eu preparei um pequeno vídeo mostrando a velocidade com que o Kindle troca de tela:

(link do vídeo)

E como a tela não é sensível ao toque, o Kindle utiliza um curioso arranjo de teclas laterais para navegação e seleção de opções e um teclado QWERTY na sua base. Assim fica claro que ele foi feito para ser usado com as duas mãos ao mesmo tempo no aparelho, sendo que os canhotos têm de se acostumar com a presença dos principais comandos no lado direito.

Kindle_keyboard_small

O teclado em si é bem simples com teclas redondas, levemente macias e com feedback mecânico, o que passa uma experiência de uso até que confortável, apesar de não ser o ideal para escrever monografias ou teses de doutorado, mesmo porque ele não conta com nenhum recurso tipo bloco de notas.

Ao ligar leitor pela primeira vez, o que mais me chamou a atenção é o funcionamento do seu sistema de comunicação sem fio. Ao contrário do que imaginava a rede entra no ar automaticamente sem a necessidade de fazer login ou assinar algum serviço 3G. O serviço é gratuito, pode ser usado em qualquer lugar mas observe que como esse recurso consome energia de maneira constante, o ideal é que o usuário desative-o quando não precisar, aumentando assim a autonomia do produto.

Kindle_3G2

A tela inicial do Kindle não tem nada demais: uma grande lista de todos os títulos e documentos carregados no leitor e a partir dela também é possível acessar a tela principal de opções e configuração:

Kindle_main_screen_menu

Entre as opções de configuração talvez a mais importante é a Settings que registra o leitor com a conta do usuário do Kindle. Por default, a Amazon já envia o produto pré-registrado com o nome do comprador a não ser no caso do Kindle estar sendo enviado para outra pessoa na forma de presente (o que pode ser informado na hora de fazer o pedido). Nesse caso, o cadastro de registro tem que ser feito manualmente. Com essas informações o Kindle associa o usuário ao número de série individual de cada leitor, permitindo assim o download de conteúdo protegido.

Falando nisso, note a existência da opção deregister, que “desassocia” o nome do usuário com o leitor, permitindo assim a troca/upgrade do aparelho e a migração de conteúdo seguro. Feito isso, o leitor antigo pode até ser passado e registrado no nome de outra pessoa.

Kindle_resgitro

Outra opção curiosa é a seção Experimental onde os desenvolvedores do Kindle informam sobre algumas aplicações instaladas, porém ainda na versão beta como o navegador web, o player de MP3 e o sistema de Text to Speech.

Kindle_experimental

Dentre eles, o mais curioso é o navegador web que permite ao Kindle navegar via 3G (uia!) por diversos sites, na maioria versões simplificadas mais voltadas para dispositivos móveis para não comer muita banda:

Kindle_web_mobile

Puxa vida, internet 3G de graça? É bom demais pra ser verdade!!! E de fato não é… Praticamente todos os endereços — incluindo o do Amazon — não levam a lugar nenhum (boo!):

Kindle_web_amazon

Com exceção do Wikipedia, como comentou nosso leitor Eric Costa em outro post:

Kindle_web_wiki

Para facilitar a vida das pessoas com problemas de visão, é possível configurar o tamanho da fonte que é usada na apresentação de textos: É possível escolher entre seis tamanhos de fontes, limitar o número de palavras por linha e até mesmo rotacionar a tela. Outro recurso interessante é o modo Text-to-speech, onde o Kindle converte o texto impresso em linguagem falada, mas por enquanto ela só funciona bem em inglês. Veja esse sistema em funcionamento em um post anterior.

Kindle_text_size

Por exemplo: uma notícia com a menor fonte disponível…

Kindle_fonte_menor

… a mesma notícia com a maior fonte disponível…

Kindle_fonte_maior

… e com ajuste de menos palavras por coluna:

Kindle_fonte_menos_palavras

A partir da última atualização de firmware, a tela também pode ser rotacionada em qualquer direção:

Kindle_fonte_landscape

Outro recurso legal do Kindle é sua capacidade de fazer anotações pessoais e notas de rodapé. Note o quadrinho com caracteres especiais — ativado pela tecla SYM — que permite inseri-los no texto.

Kindle_notas_pessoais

Isso se transforma numa pequena chamada que pode ser lida como uma nota de rodapé no meio do texto ou num sumário gerado automaticamente. Fora isso o leitor também é capaz de reservar textos na forma de Clipping e buscas com palavras-chave.

Kindle_nota_de rodapé

Para quem não sabe, o Kindle também já vem com um dicionário Inglês -> Inglês (duh!) ( The New Oxford American Dictionary – 2nd Edition) embutido, que permite analisar o significado de qualquer palavra em tempo real. Uma mão na roda para os estudantes da lingua inglesa:

Kindle_dictionary

O review do Kindle continua a seguir:

>>>> Parte 3/3: Baixando conteúdo e conclusão

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • henriquem 09/12/2009, 12:41

    Henry, quer fazer propaganda? anuncie!

  • henriquem 09/12/2009, 12:42

    tem um link pro media kit aí em cima.