ZTOP+ZUMO 10 anos!

Retrotech: REFLEX, uma nova SLR analógica, modular e open source

Startup cria sistema de câmera reflex modular capaz de trocar filmes pela metade e usar lentes de diversos fabricantes.

Assim como aconteceu com o mercado de discos de vinil, era meio que uma questão de tempo até alguém ter a idéia de colocar uma nova câmera de filme no mercado, para atender as demandas de um público entusiasta interessado num equipamento “retrô” e não pode e/ou quer depender apenas de equipamentos usados e/ou antigos que — até por causa disso — estão se tornando cada vez mais escassos e caros.

Fora isso, vale a pena ressaltar que com o fim da produção da Nikon FM10 (na verdade uma câmera de plástico fabricada em regime de OEM pela Cosina) não existem mais opções de SLR analógicas de entrada no mercado (choradeira aqui).

Este é o caso da REFLEX uma empresa fundada em 2009 por Laurence Von Thomas que criou uma SLR de mesmo nome e que está agora levantando fundos no Kickstarter para tentar colocá-la no mercado no segundo semestre de 2018.

Para mim, a grande sacada desse sistema é o seu conceito modular que combina idéias novas e do passado com o objetivo de tirar o máximo proveito de tudo o que que há de novo (e antigo) nesse mercado.

Por exemplo, o seu compartimento de filme (batizado de i-Back) é um módulo que pode ser removido do corpo da câmera, o que permite que o usuário possa ter diversos i-Backs carregados com diferentes tipos de filme (colorido, preto-e-branco, cromo, etc.) que podem ser prontamente instalados/removidos na câmera a qualquer momento, mesmo com o filme pela metade.

Essa idéia por sinal é muito usada em câmeras de médio formato (sobrevivendo até hoje no formato digital), sendo que as únicas empresas que já adotaram essa solução em câmeras 35mm foram a Zeiss Ikon nas suas câmeras Contarex/Contaflex nos anos 1950~60…

… e a Rollei  nos seus sistemas Rolleiflex SL2000F/SL3000 nos anos 1980~91:

Porém o recurso mais bacana desse sistema é o chamado i-Plate que é uma frente intercambiável equipada com diferentes tipos de engate de lente (Canon-FD, Nikon-F, Pentax-K, Olympus OM, M42, etc.) permitindo assim que o fotógrafo utilize lentes novas e até antigas de estejam encostadas por não serem compatíveis com as câmeras atuais.

Já o seu corpo incorpora algumas idéias bacanas e até originais como flash embutido no corpo, iluminador de LED e conectividade com smartphones. Só que neste caso a App serve para manipular imagens e sim para registrar dados de exposição direto da câmera, com opção do usuário incluir algumas notas adicionais sobre cada foto…

… uma idéia por sinal já explorada pela Canon em 1986 com seu Canon Data Memory Back (DMB) 90 que conectava uma Canon T90 (o último modelo de foco manual da casa antes da introdução do sistema EOS) num computador MSX (uia!)


Segundo o fabricante, essa câmera pode funcionar no modo totalmente manual (com fotometria do tipo spot) ou no modo programado com prioridade de abertura (AV). A velocidade da cortinha do obturador pode variar de 1~1/4000s + B com sincronização de flash em 1/250s.

O seu corpo de liga de magnésio mede aproximadamente 13,4 x 7,4 x 3,4 cm (LxAxP), pesa 490 gramas e o curioso é que sua parte eletrônica é comandada por um microcontrolador do tipo Arduíno (uia!) alimentado por uma bateria interna de 5 volts que pode ser recarregada por meio de um conector USB-C.

Interessante ressaltar que o fabricante afirma que o design dessa câmera é meio open source, ou seja, após o seu lançamento a empresa se compromete a liberar detalhes do seu projeto para download gratuito no seu site, permitindo assim que qualquer um possa criar em cima do produto, tornando assim esse ecossistema ainda mais diversificado, versátil e rico.

Como dissemos antes esse projeto está procurando por financiamento no Kickstarter sendo que os apoiadores que contribuírem com valores a partir de  £ 350 (~R$ 1.509) vai receber uma câmera REFLEX + uma lente com engate de rosca M42 — neste caso uma Helios 44 58mm/f2 (sim, aquela objetiva russa que vinha com as Zenit 12XP) recondicionada.

Mais detalhes na página da iniciativa no Kickstarter. A empresa já tem um site — a reflex-s.com — que por enquanto só está sendo usado para aceitar encomendas do novo produto.

 

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Nice write-up! Thanks for linking to my site too!

    • Mario Nagano

      You’re welcome!

  • a mão do cartão chega a tremer…
    (procurando alguem na Europa pra receber e me entregar depois).
    Isso pq não comprei uma Fuji Instax por 50 dolares no Walmart. :´(

    Mas a dúvida.
    Onde comprar o filme?

    The credit card hand started to shake…

  • Ricardo Pinheiro

    E a comunidade MSXzeira brasileira agradece a referência do cartucho da Canon, rodando num MSX da Canon (por acaso, um V-20). 😀

    • Mario Nagano

      MSX, é nois!