ZTOP+ZUMO (tech, opinião, inteligência)

Retrotech: Micromite Companion (um micro-“microcomputador” que roda BASIC)

Mini placa-mãe baseada em hardware Open-Source vem equipado com interpretador BASIC capaz de rodar diversos programas antigos.

Já estamos acostumados a ver no mercado produtos como as plaquinhas ArduinoEdison e Galileo que nada mais são que micro-controladores voltados para prototipagem eletrônica.

Mas como já dizia Steve Jobs no documentário “Triumph of the Nerds“, para cada hobbista de hardware capaz de montar seu próprio computador, haveria uma dezena de outros interessados apenas em programar essas máquinas, os chamados “hobbistas de software”.

A boa notícia para esse público (novo ou saudosista) é que foi lançado recentemente no mercado americano o Micromite Companion, uma plaquinha micro-controladora equipada com um interpretador BASIC, cuja operação lembra muito os bons e velhos microcomputadores de 8 bits dos primórdios da computação pessoal:

MicroMite_board

Ele é baseado em dois microcontroladores, o Parallax P8X32A Propeller um chip multicore (formado por oito núcleos paralelos voltados para multitarefa) criado por Chip Gracey (responsável pelo áudio, vídeo e outras interfaces de entrada/saída) e o Micromite criado Geoff Graham, um curioso chip PIC32MX170 que já vem com uma versão do interpretador MMBasic pré-carregada no seu firmware e 54 KB de RAM livres para armazenar programas. O Micromite Companion ainda conta com porta de vídeo padrão VGA, PS/2 para teclado, som, slot para cartão SD (para armazenar programas e dados), porta infravermelho e até um conector para ligar controlador Nunchuck do Wii (uia!).

Assim, a grande sacada desse produto é que ele pode ser ligado diretamente num monitor, teclado PS/2 , caixa de som e ser usado como um microcomputador BASIC antigo ou como uma plataforma de prototipagem. Se comparado, por exemplo, com o Raspberry Pi, o Micromite é um sistema bem mais simples, já que ele dispensa o uso de um sistema operacional e o programador comanda diretamente o hardware por meio de uma linguagem de alto nível simples e fácil de usar — como nos tempos do Apple II, TRS-80, Commodore C64, TK-82C/85, etc.

MicroMite_board_micro

Segundo o fabricante, seu interpretador MMBASIC é bastante flexível e capaz de rodar programas criados a mais de 30 anos com pequenas modificações (se necessárias), sendo capaz de interpretar linhas de código tanto numeradas (como no GWBASIC da Microsoft) ou sem números (como no QBASIC também da Microsoft) e sua capacidade de processamento é de aproximadamente 23 mil linhas de código/segundo.

MicroMite_MMbasic

Fora isso, ele reproduz sons e seu sistema gráfico suporta diversos modos de vídeo 16/64/256 cores, criar sprites e remapear caracteres…

MicroMite_sprites

… permitindo assim criar programas até que bem elaborados:

MicroMite_game

Já como plataforma de prototipagem, o Micromite Companion incorpora uma pequena placa de ensaio (ou breadboard ) que dá acesso à toda pinagem de saída do Micromite e alguns do propeller que não são usados pelo sistema.

MicroMite_prototyping

O legal neste caso, é que usuários iniciantes ou mesmo expertos podem desenvolver seus projetos utilizando LEDs, servos, sensores e até displays LCD controlados via BASIC. Para isso, o interpretador MMBASIC incorpora diversos comandos específicos para gerenciar esses componentes por meio de protocolos modernos como serial, One-wire, I2C e SPI.

Os vídeos abaixo mostram bem o potencial dessa plataforma:

O Micromite Companion é vendido na forma de Kit para montar formado pela placa de circuito + todos os componentes necessários (instruções aqui)…

MicroMite_placa

… sendo que seu preço sugerido é de US$ 59 + postagem (US$ 12 para fora dos EUA). Ele pode ser encontrado no site do produto.

E para aqueles hobbistas de hardware que acham que esse negócio de kit para montar é coisa de iniciante, existe uma receita de bolo desse projeto no site Instructables.com.

Happy Hacking!

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Adriano De Lima

    Projeto excelente pra inciar o aprendizado (prático) de programação.
    OFFTOPIC(Que bom que corrigiram o layout da página)

  • Ubiratã Muniz Silva

    putz, legal demais. eu que comecei com um TK90X de 48k (era barão, pois a versão mais barata era de 16k) ligado na TV da sala chorei lágrimas de nostalgia. kkkk