Hands-on: Macarrão Instantâneo Chikin Ramen da Nissin

H

Notória sopa de macarrão inventada por Momofuku Ando em 1958 mantém-se fiel às suas origens, tanto na aparência quanto no preparo.


Na semana passada eu estava no bairro da Liberdade a procura de víveres quando encontrei isso: Um Chikin Ramen ( チキンラーメン) original lançado pela Nissin do Japão em agosto de 1958.

No início pensei que fosse alguma edição especial já que — como todo mundo sabeem 2018 comemora-se os 60 anos do lançamento do primeiro Chicken Lamen sendo que a dez anos atrás a empresa lançou uma edição especial de 50 anos desse produto, inclusive no mercado brasileiro:

Um produto que, na época, também foi prontamente analisado por este ztop+zumo:

Mas depois de dar uma passada do hotsite do produto o que dá para entender é que o Chikin Ramen continua a ser um item regular no mercado japonês, sendo que nessas seis décadas o produto passou por diversas melhorias e modificações principalmente quando comparado com o original que vimos no ano passado no Cup Noodles Museum de Yokohama:

Porém uma característica que se mantém inalterada até os dias de hoje é o fato dele não vir com envelope de tempero, já que ele vem impregnado na massa desidratada, de modo que quando o macarrão é imerso em água quente o tempero é diluído, formando assim o caldo da sopa. Sob esse ponto de vista, o Chikin Lamen não deixa de ser o precursor do Cup Noodles lançado em 1971.

Essa idéia de “macarrão com sabor galinha” também permite que ele possa ser consumido seco como um tira-gosto ou até mesmo ser triturado para ser consumido com arroz branco…

…ou até ser usado em outras receitas mais elaboradas e/ou inusitadas:

Note também que ao contrário do lámen de pacotinho, o formato do Chikin Ramen não é quadrado e sim redondo para encaixar melhor na tigela (duh!)

Outra curiosidade do Chikin Ramen é que no seu modo de preparo mais tradicional, um ovo cru é adicionado sobre o macarrão para que ele possa ser parcial ou totalmente cozido com a mesma água quente usada para reconstituir o macarrão e a sopa:

O interessante é que para facilitar a vida dos cozinheiros com má pontaria a Nissin introduziu em 2004 o chamado “Egg Pocket” que nada mais é que uma pequena depressão circular no centro da massa seca onde a gema do ovo deve ser assentada, ficando assim bem no meio da tigela da sopa.

E para ver se esse negócio realmente funciona, resolvemos fazer um experimento com o dito cujo e a ajuda de um ovo cru e 400 ml de água fervente:

Primeiro quebramos o ovo cru e cuidadosamente assentamos a gema sobre o Egg Pocket…

… e não é que ela ficou mesmo no lugar? 😀

Feito isso, basta despejar os 400 ml de água fervendo…

… e cobrir a tigela com uma tampa (que neste caso deveria ser de porcelana, daquele tipo usado em nabebono, sorry!)

Passados os 3 minutos da receita, retira-se a tampa e o resultado final é este. Note que a gema não está totalmente dura, o que pode ser do agrado de uns mas não de outros. Neste último caso, pode-se levar a tigela para o microondas por 1~1,5 minuto para endurecer a gema, mas não se esqueça de furá-la antes com um palito para que não exploda.

E para aqueles que sentem a falta de um verdinho, neste momento pode-se também adicionar cebolinha picada e a sopa está pronta para o consumo.

A propósito, este ritual de preparo (com alguns requintes, diga-se de passagem) foi retratado numa cena do filme Gake no ue no Ponyo (2008) de Hayao Miyazaki:

Com relação ao seu sabor, para mim ele está mais para um super Cup Noodles do que para um lámen de pacote. Isso porque sua massa é bem mais fina, talvez para facilitar/acelerar o processo de reconstituição da massa. Já o sabor do caldo não tem nada de especial também lembrando um Cup Noodles de Galinha.

De fato o seu sabor é praticamente idêntico ao do Nissin Lamen Galinha, especial de 50 anos que experimentamos dez anos atrás.

No fim das contas, vale a experiência?

Eu diria que sim, porém mais pela curiosidade do que pelo prazer de consumir o prato em si já que — como disse antes — ele lembra muito o Cup Noodles só que numa quantidade bem maior, diga-se de passagem.

Mas como no Brasil, a Nissin do Japão divulga diversas receitas para dar uma incrementada no mesmo.

Esse produto foi adquirido na Casa Bueno que fica na Rua Galvão Bueno, 48 no Bairro da Liberdade, em São Paulo. O preço estava na faixa de R$ 5,00.

Bonus Track:

Se você quiser saber mais sobre a história do Lámen e a sua influência na nossa cultura (e economia) global, nossa dica é o The Untold History of Ramen: How Political Crisis in Japan Spawned a Global Food Craze (ISBN-10: 9780520282353 / ISBN-13: 978-0520282353 / ASIN: 0520282353) escrito por George Solt e publicado pela University of California Press que faz parte de uma série de interessantíssimas obras dedicadas ao estudo da comida no contexto da história x cultura x filosofia x política x sociedade x o escambau:

Talvez a revelação mais interessante deste livro é que o shina soba (支那そば = soba chinês) é uma invenção relativamente recente que surgiu nos anos 1910~20 na cidade de Yokohama como uma comida barata vendida pela comunidade chinesa para os trabalhadores do porto, mas que assumiu um papel vital e até estratégico durante a ocupação americana logo após a segunda grande guerra já que a produção e oferta de arroz não era suficiente para alimentar a população local — o que poderia levar o país ao caos (ou pior, até ao comunismo) — de modo que a solução encontrada foi importar grandes quantidades de trigo americano a preços subsidiados — só que faltou combinar com os nipões – já que eles não estavam habituados a comer pão ou biscoito.

A boa notícia é que pelo menos eles conheciam o macarrão, o que abriu uma grande oportunidade para empreendedores como Momofuku Ando, só que ele pensava grande e queria algo simples, prático e fácil de produzido numa escala industrial, dai a idéia de criar um lámen instantâneo.

Em outra passagem do livro, o autor também afirma que a Nissin não foi a primeira a colocar um macarrão instantâneo no mercado e sim uma pequena firma chamada Matsuda Sangyō que, em 1955 lançou um produto chamado Aji Tsuke Chūka Men (macarrão chines com sabor) — ou seja — três anos antes do Chikin Ramen de Ando! — Mas como a Matsuda não patenteou sua invenção e suas vendas não foram boas, a produção foi encerrada meses depois restando para a Nissin a fama de ter sido o criador desse produto:
“While Andō’s achievement in popularizing instant noodles in Japan and much of the rest of the world is undeniable, his status as the inventor of instant ramen is subject to some doubt.
A much smaller company named Matsuda Sangyō had already released an identical product in 1955 called Aji Tsuke Chūka Men (Flavored Chinese Noodles) three years before the release of Chikin Rāmen, but the company had not secured a patent and was forced to halt production after a few months due to weak sales.
Although the firm (renamed Oyatsu Company, or Snack Company) rereleased its instant noodles in 1959 as Baby Rāmen (later renamed Baby Star Rāmen) a crunchy snack eaten without adding water that is still available in Japan, Andō’s Nissin Foods became recognized as the first maker of instant noodles.

The infrequently cited alternate history of Matsuda Sangyō’s invention of instant ramen illustrates the ways in which the process of writing history itself is a political contest in which the writer establishes, filters, and assembles the facts in a way that often displaces conflicting versions of the past.”

Esse livro pode se encontrado no Amazon.com.br tanto na versão impressa quanto no formato Kindle.

Sobre o autor

Mário Nagano

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World.
Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos