Resumo da semana 22 de 2019

R

Huawei, Computex, 5G e os destaques da semana em tecnologia.

newsletter Interfaces com o Resumo da Semana é enviada por e-mail toda sexta-feira e é gratuita. Leia as edições passadas.

Linha do Tempo Guerra Fria 2.0

25/5: A Huawei recebeu restrições da Wi-Fi Alliance e se retirou de uma entidade que cria padrões para semicondutores.

26/5: Ren Zhengfei diz que os EUA nunca compraram da Huawei e que não podem atuar como polícia do mundo. Afirma ainda que não quer retaliação da China.

27/5: No Brasil, a empresa diz ser pragmática e que é bem-vinda por aqui. E falou sobre 5G e os testes com operadoras. O El País entende que o problema é o 5G, não a Huawei (¯\_(ツ)_/¯).

28/5: O substituto do Android nos aparelhos Huawei será lançado em junho, garantiu o TechRadar (que depois chutou o prazo para 2020). A Bluetooth SIG cortou relações.

A FedEx sumiu com pacotes da Huawei, e rumores indicam que fornecedores da Apple já começaram a mudar de país. Imagine quando os EUA, já muito “ansiosos” com a gigante de Shenzhen, descobrirem que a Huawei investe pesado em cabos submarinos.

29/5: Nos EUA, a Huawei voltou a aumentar a pressão no processo judicial que move contra o país. O IEEE sugeriu aos seus membros que funcionários da empresa não façam revisão por pares de papers científicos submetidos ao órgão.

A SD Association voltou atrás e liberou o uso de cartões SD pela Huawei (e o editor do Android Central fez o melhor trocadilho em inglês). A operadora japonesa SoftBank optou por Nokia e Ericsson para sua infraestrutura 5G.

30/5: Vazou um tablet Android da marca, o MediaPad M6 (os wearables da marca continuam vendendo bem, segundo o IDC). O Procon de São Paulo notificou Huawei, Google, operadoras e varejo buscando informações para proteger o consumidor, em uma medida “o que estou fazendo aqui?”.

E não é nada, não é nada, o Google volta a mostrar a Huawei no site de testes beta do Android Q, de onde tinha sido removida.   

31/5: A China anunciou suas primeiras medidas de retaliação. Um dos focos de restrição será o acesso a metais raros para uso em eletrônicos.

Eletrônicos de consumo

Computex Taipei: Destaques para novos chips da Intel (com máquinas novas da Dell e um protótipo extraordinário de laptop com duas telas), AMD, NVidia e itens de aniversário de 30 anos da Asus, como um Zenfone 6 especial (12 GB de RAM!), um Zenbook de couro e uma placa-mãe muito doida.

Ainda na série “coisas que só a Asus inventa – e depois deixa pra concorrência melhorar”, todos os notebooks da marca agora têm uma tela integrada ao trackpad e um modelo high-end traz duas telas 4K.

A ARM anunciou também como serão os designs de processadores usados em 2020: com mais capacidade de processamento de IA, realidade aumentada e 5G.

Oi Samsung, queremos pra ontem carregadores rápidos de 100W nos nossos smartphones. Obrigado. E mais um rumor do Galaxy Note 10 diz que o aparelho não terá botões (!).

A Bytedance, dona do TikTok, quer lançar seu próprio smartphone.

A Bose renovou o visual da sua linha de fones de ouvido com cancelamento de ruído. Ficou bonito (mas somos fãs do modelo da Sony para usar no avião).

Um review muito positivo do Asus Zenfone 6. MKBHD disse que o aparelho traz uma das suas ideias ruins favoritas e ressaltou que é um mid-end apesar do que Asus e parte da imprensa diga que é um high-end.

TVs: um teste de modelo da Multilaser e outro da TCL.

A Amazon nos EUA pôs à venda o até então não-anunciado Moto Z4 (alguém comprou e fez unboxing!). Dias depois, a Motorola anunciou o produto, ainda compatível com módulos, fininho e com entrada para fones de ouvido, sem previsão de chegada ao Brasil.

WWDC, a conferência anual de desenvolvedores da Apple, ocorre semana que vem, com iOS 13 como principal novidade esperada. Coberturas brasileiras direto do keynote no TechTudo, G1, NovaPost e Tecnoblog.

Internet

A BBC fez sua primeira transmissão ao vivo usando a nova rede 5G instalada em Londres pela EE com infra-estrutura Huawei: imagens em 4K em altíssima qualidade, tudo muito rápido. Só que o pacote de dados não aguentou muito tempo e estourou a cota do plano.

Apple, guardiã da privacidade, protetora dos dados pessoais, foi processada por compartilhar dados de usuários do iTunes em dois estados norte-americanos. Por outro lado, tem um iPod touch novo no pedaço. O tocador de música é famoso por ser usado por pessoas que não querem ser encontradas com facilidade.

Um teste do Washington Post descobriu que os apps para iPhone têm uma vida secreta e mandam, sim, informações de rastreamento para terceiros (incluindo o próprio aplicativo do jornal). Porém uma visita ao lab de testes da Apple na Califórnia revela alguns (e poucos) segredos do iPhone (uma plataforma de mais de um bilhão de usuários já).

Na caixa “falta de privacidade”, um bastidor de como o Grindr representou um problema de verdade para a segurança dos seus usuários entre EUA e China.

O que o Facebook fez de errado esta semana: se negou a remover um vídeo deep fake (falso) da deputada Nancy Pelosi. Acabou deixando o vídeo com alcance menor. Twitter não removeu, YouTube tirou do ar.

O que o Twitter fez de errado esta semana: resolveu começar agora a estudar (?) se supremacistas brancos têm um lugar na plataforma. Se as pessoas de lá usassem a plataforma, o estudo seria desnecessário, certo?

O Carrefour prometeu não vender mais set-top boxes com TV a cabo pirata em São Paulo.

No vácuo de Game of Thrones, Chernobyl é o novo sucesso da HBO. A minissérie virou assunto no Twitter, indicação constante e trouxe de volta o tema do acidente nuclear para os termos mais buscados no Google e na Wikipedia. A emissora também lançou um podcast sobre a série com análises e comentários da equipe (e colocou no YouTube).

Google Maps agora indica alerta de radares e de limites de velocidade no Brasil e em outros 40 países.

Em campanha para a The North Face, publicitários brasileiros passam mais uma vez vergonha na internet ao tentar “hackear” buscas e inserir imagens do cliente em artigos da Wikipedia (e, óbvio, buscar por prêmios em Cannes). Nos perguntamos como os críticos editores da Wikipedia deixaram isso passar.

A Sony anunciou a data de lançamento e um trailer com gameplay de Death Stranding, jogo aguardado (e com desenvolvimento atrasado) de Hideo Kojima. Se alguém entender algo, mande um sinal. Aproveitando nosso passeio pelo IGN – dá uma olhada no Pokémon Sleep, jogo que monitora seu sono e faz com que isso interfira no gameplay.

Você já viu o primeiro GIF da história?  

TechBiz

A Gol é a primeira cia. aérea brasileira a iniciar os testes de embarque com reconhecimento facial, dispensando o cartão de embarque. A ideia é polêmica, no mínimo (envolve privacidade e segurança dos dados biométricos). Iniciativas similares vêm sendo testadas no pioneiro Uruguai, nos EUA (onde é possível optar pela saída do sistema), no Qatar e até mesmo em cruzeiros.

O Brasil já tem uma entidade para proteção de dados do cidadão, aprovada pelo Congresso Nacional na última quarta. Cris de Luca explica.

Finalmente o Google Cloud aceita pagamento em reais. E clientes da G Suite ganham um modo confidencial para o Gmail.

Número alto de seguidores não significa vendas: com 2,6 mi de seguidores, essa moça vendeu apenas 36 camisetas.

Quase 900 mil casas brasileiras cortaram o cabo das suas TVs nos últimos 12 meses.

O brasileiro gostaria de ser cliente de uma operadora Samsung ou Apple, diz estudo.

O Partido Pirata conseguiu quatro assentos no parlamento europeu.

Mais de 92 mil drones tiveram uso aprovado no Brasil só em 2019.  

5G em aviões? Quem sabem em 2021, com tecnologia da Gogo.

Fiat propõe fusão com a Renault para formar o que seria o terceiro maior grupo do setor automotivo do mundo e teria 30% do mercado brasileiro (se tornando a maior do país). Uma das razões para a fusão seria o potencial para desenvolvimento de tecnologias para veículos elétricos e autônomos.

A Volkswagen Brasil investiu alto e já vê retornos na transformação digital.

A Folha de S.Paulo analisou imóveis disponíveis no Airbnb e encontrou muitas empresas (e não pessoas físicas) negociando dezenas de locações. Hotel que chama, né?

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin é o fundador do ZTOP+ZUMO e da newsletter de tecnologia Interfaces. Já escreveu na PC World, PC Magazine, O Estado de São Paulo, Folha de S. Paulo e criou o ZTOP+ZUMO em 2007, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC.

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos