Resumo da semana 20 de 2019

R

Nesta semana, o conteúdo exclusivo para assinantes da newsletter é sobre os novos Androids (Motorola, Asus, OnePlus) e histórias do lançamento do P30 Pro. A newsletter Interfaces é enviada todo sábado de manhã e é gratuita.

Leia o conteúdo exclusivo da semana passada.

O que acontece na próxima semana em tecnologia?

Xiaomi. Xiaomi. Xiaomi. No Brasil, de novo. Continua e amplia a parceria com a DL Eletrônicos, agora em mais varejistas. Agora vai?

Eletrônicos de consumo

A Motorola/Lenovo fez uma coletiva para mostrar um vídeo do seu smartphone dobrável Moto Razr. Só que em vez do produto, mostrou uma renderização feita por um fã.

No mundo real, a mesma Lenovo mostrou de verdade seu protótipo de notebook dobrável que chega ao mercado só em 2020 e uma linha nova de notebooks.

A HP lançou nos EUA um portátil gamer com duas telas, o Omen X 2S.

Mario Nagano brincou com a cadeira-trono-PC-gamer da Acer. O mais surpreendente é saber que esse brinquedo de marmanjo está à venda de verdade no Brasil, preço sob consulta.

Já a Samsung diz que os problemas do Galaxy Fold estão resolvidos. E lançou um menu secreto em alguns restaurantes em Londres, que só pode ser acessado em smartphones da marca com realidade aumentada. Sem citar números, diz que o S10 vendeu pra caramba no Brasil.

Vai um cartão microSD de 1 Terabyte aí? Só US$ 449.

Em janeiro, na CES de Las Vegas, a Royole mostrou telas dobráveis que podem ser usadas em chapéus e bolsas. A Louis Vuitton gostou da ideia (não sei se a LV usa a Royole como fornecedora).

A Huawei tem planos de lançar uma TV 8K com conectividade 5G ainda este ano. Se for confirmado, será a primeira TV 5G do mundo. Por conta da rusga Huawei-EUA, existe uma tendência de boicote contra a Apple na China.

A moda dos painéis contínuos, que são telas enormes, em carros, começa a dar as caras. Agora o novo VW Golf foi “flagrado” e a empresa alemã mostrou esboços apresentando grandes telas no lugar dos mostradores, seguindo o padrão da Mercedes série A e falou na troca das chaves por app no celular.

Elon Musk diz que a Tesla corre o risco de ficar sem dinheiro se não realizar “mudanças radicais”. Ele fala em corte de gastos de pessoal, o mercado fala em entrega de carros, capacidade de produção e modelo sustentável e escalável de negócios. Ele fala em fazer uma “dieta”, o mercado espera que ele entregue os 400 mil carros já vendidos.

Internet

O que o Facebook fez errado nesta semana? Usuários do WhatsApp foram vítimas de um hack sofisticado. A empresa pediu para que todos atualizassem seus aplicativos.

O que o Facebook fez certo nesta semana? Removeu 265 contas do Instagram e do Facebook por “comportamento não-autêntico” (leia-se páginas fakes usadas para diversos propósitos, incluindo eleitorais na América Latina). Total de seguidores dos fakes removidos: 2,8 milhões de contas.

O Twitter entrou na luta contra a desinformação antivacina. Uma marca de água de coco decidiu inovar e oferecer xixi pros haters – óbvio que no Twitter.

E o app gay Grindr precisa ser vendido pelo seu dono chinês para continuar operando nos EUA (a história é bem confusa).

Podcasts: quatro entre dez internautas já ouviram podcasts. Já ouviu o nosso Sem Filtro? (Spotify | iTunes | Feed)

James Charles, um poderoso YouTuber de maquiagem, perdeu milhões de seguidores e virou o vilão da internet ao entrar numa disputa com a influenciadora de makeup Tati Westbrook (que ganhou outros milhões no perrengue). Uma outra YouTuber de pegadinhas fingiu ser executiva do WalMart e demitiu pessoas. Que idiotice.

Ah vá da semana: o Google sabe tudo que você compra online, só de espiar as notas fiscais enviadas para o seu e-mail. Está tudo arquivado aqui.

Leitura da semana: o Buzzfeed News diz que o TikTok é o futuro das redes sociais. Henrique segue entusiasta e Samir ainda não conseguiu seguir ninguém no novo oasis de vídeos curtos da internet. (é porque ele não conhece o cozinheiro mais feliz do mundo)

Grumpy Cat morreu, a Wired fez um texto depressivo sobre o fim da alegria na internet. Descanse em paz, Tardar Sauce.

Na Coreia, bandas de K-Pop podem virar holograma, apesar dos japoneses já fazerem isso a pelo menos uma década.

BizTech

Notícia que todo mundo esperava acontecer faz tempo e finalmente aconteceu: o Buscapé foi vendido para seu concorrente Zoom. Alguém de negócios por favor faça a matéria “Algum investimento da Naspers deu certo no Brasil?” (contexto: Buscapé vendido ~ provavelmente ~ por menos que foi comprado pelo fundo sul-africano; os investimentos na Editora Abril etc. etc)

O Itaú (sim, o velho e bom banco) lançou uma carteira digital com nome que não passou pelo controle-de-vão-fazer-piada-com-ele (ITI). O potencial que isso abre para um mercado de desbancarizados-com-smartphone no País é enorme.

Ninguém sabe a razão, mas o Bitcoin voltou a subir. Já tem gente comparando com a loteria.

O mundo moderno do pós-trabalho levou à criação de uma empresa, a Xerpa, que adianta salários para funcionários (de corporações pós-moderninhas) via aplicativo.

A 99 adotou uma solução de IA para reconhecimento facial de motoristas no Brasil, enquanto todo mundo sofre para identificar modelos e placas dos carros quando estão chegando. Em San Francisco, uma lei quer proibir o uso de reconhecimento facial.

Recursos de IA foram usados também para criar uma receita de maionese vegana, já em um supermercado perto de você.

A Hewlett Packard Enterprise comprou a Cray, fabricante de supercomputadores, por US$ 1,3 bilhão.

A licitação de espectros para 5G em 2020 começa a tomar forma no Brasil. A Atlantic fala um pouco das grandes mudanças que isso vai trazer.

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

Por Henrique Martin

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos