ZTOP+ZUMO

(re)monte seu PC: GPU e os gráficos híbridos

Agora que montamos nosso Mídia PC, o próximo passo é montar a máquina matadora de games. Mas para isso, precisamos conhecer algumas tecnologias cruciais que fazem a diferença. E uma delas é a de gráficos híbridos.

O nome é esquisito, mas o benefício é enorme. Basicamente, toda placa-mãe de respeito traz no chipset uma GPU capaz de dar conta do processamento básico do dia a dia, e até fazer as vezes de Mídia PC sem reclamar. Mas para jogos, essa GPU não segura a onda.

Os games são a melhor forma de ver se um sistema é bom. Esqueça aquele papo obcecado de ficar rodando esse ou aquele jogo a 120 quadros por segundo. Ou de rodar um jogo mal programado a tantos quadros por segundo para ver se a máquina é boa. O pior: tem gente que faz questão de rodar os games a uma resolução ridiculamente absurda, só para ver até onde o sistema aguenta. Isso é balela. 99% das pessoas só precisa rodar o jogo na resolução nativa do monitor que tem, e esse jogo tem que rodar solidamente a 60 quadros por segundo.

Continue a ler este post no (re)monte seu PC

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin