ZTOP+ZUMO (tech, opinião, inteligência)

Hands-on: Motorola RAZR i

Depois de anúncios com fabricantes locais (Índia, Rússia, China), a Intel mostrou hoje seu primeiro smartphone desenvolvido com a Motorola, o RAZR i.

Com promessa de processador ultra-rápido (2 GHz, o primeiro a atingir essa marca de velocidade), o RAZR i chega ao mercado brasileiro em meados de outubro, sem preço definido ainda.

A Motorola diz “até 2 GHz” por conta da capacidade do chip em atingir tal clock dependendo do uso do aparelho (o mínimo é 600 MHz, com limite de 2 GHz). O processador, com um núcleo apenas, é baseado na arquitetura X86 e usa recursos de hyper-threading, comuns nos PCs, para emular um segundo núcleo.

E é realmente curioso, depois de anos vendo a marca Intel em computadores, virar um aparelho e ver o selo “Intel Inside” ali.

À primeira vista, o aparelho é bastante rápido, mas só rodando benchmarks e usando o RAZR i no dia-a-dia que podemos tirar conclusões mais profundas.

E, por conta do acabamento em alumínio e kevlar, é um smartphone bastante leve (126 gramas) – e com bordas levemente arredondadas, fugindo do padrão de ângulos da Motorola. No topo, vemos o conector para fone de ouvido…

Atrás, a câmera de 8 megapixels (mais sobre ela abaixo):

Na lateral direita, o botão de liga-desliga, o controle de volume e o botão disparador da câmera (yay!)

Do outro lado, uma portinhola esconde o slot para cartão microSD para expansão de memória e para o microSIM card da operadora, além do conector microUSB para troca de dados e carregamento da bateria.

Até aí, pareceria um smartphone convencional, nada muito diferente do que a própria Motorola não tenha feito antes – até ver a tela Super AMOLED. Com resolução 720p qHD (540x 960) e 4,3 polegadas, ela ocupa 70% da parte frontal do aparelho, o que é muito bacana para ver filmes, fotos ou jogar em tela cheia. Ao rodar um vídeo, por exemplo,a reprodução começa com alguns botões em tela…

Mas depois, a tela cheia ocupa todo o espaço. Note a fina borda lateral entre tela e a carcaça do aparelho, seguindo o que a maioria dos fabricantes de TVs LED vem fazendo faz algum tempinho. E a tela é BEM bonita e nítida. Por ter 4,3″ e chegar aos limites do próprio aparelho, o RAZR i consegue ter uma tela maior em um aparelho menor que outros concorrentes, por exemplo.

No software, o RAZR i vem com Android 4.0 ainda (buu) com promessa de atualização para 4.1 Jelly Bean em breve.

Mantém a interface praticamente padrão do Android “puro” do Google…

Mas traz alguns truques novos na manga: ao arrastar a tela inicial para a direita, ali está um atalho para as principais configurações do telefone. E esse ícone redondo na tela é um widget novo da Motorola (parecido com os widgets que já vimos no Windows 7 em alguns ultrabooks, como o Asus Zenbook UX21).

Ah, sim, a câmera super rápida – que realmente liga em menos de 1 segundo mesmo com o aparelho em espera e tira até 10 fotos em sequência.

Agora é esperar outubro para o anúncio oficial da Motorola no Brasil e descobrir o preço e a configuração oferecida para o mercado local.

 

 

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin