ZTOP+ZUMO

Retrotech: Quebra-cabeça cata-gato Neko Atsume

Ilustrado com os felinos do notório jogo da Hit-Point, ele é um “Slow Toy” baseado nas mesmas idéias que inspiraram o videogame Tetris

Recentemente descoberto pelo ocidente, o jogo Neko Atsume (ねこあつめ) criado pela empresa japonesa Hit-Point já ultrapassou a casa dos milhões de downloads, sendo que muito do seu sucesso vem do design “fofinho” dos seus personagens e — como era de se esperar — criou no Japão uma enxurrada de produtos que ostentam a imagem dos felinos, que vai desde livro de receitas, passando por acessórios, brinquedos, aromatizadores até CDs de música.

No meio dessa montanha de produtos, um que nos chamou a atenção é o ねこあつめ つめねこ パズル (algo como “Quebra-cabeça cata-gato Neko Atsume”) — um brinquedo simples e, ao mesmo tempo, desafiador.

Nejo_atsume_jogo_box

Criado por Mitsuhiro Odawara para o braço de educação da Editora Gentosha — a Gentosha Education — esse quebra-cabeça é formado por oito peças da forma de ladrilhos que precisam encaixar dentro da sua moldura, sem deixar nenhum espaço vago.

Nejo_atsume_jogo_pecas

A grande sacada é que não existe uma única maneira de colocar as peças, de modo que o joguinho vem acompanhado de um guia com mais de 50 maneiras diferentes de começar o jogo, ficando por conta do jogador descobrir como terminá-las:

Nejo_atsume_jogo_desafios

Clique para ampliar

Por ser feito de madeira, ele também incorpora uma certa sensação de frescor e humanidade que não vemos em alguns produtos mais novos e industrializados. E se hoje fala-se tanto em “Slow Food“, “Slow Living” e até “Slow Web” (idéia que este Ztop+Zumo apóia) esse joguinho não deixa de ser um “Slow Toy” — movimento criado em 2010, cujo manifesto diz o seguinte:

Um Slow Toy ou Toy Craft é um brinquedo que inflama a imaginação, inspira a criatividade e dá às crianças a liberdade para desenvolver em seu próprio ritmo. É um brinquedo bem-feito, de boa qualidade e — ao invés de apenas distrair crianças — um Slow Toy realmente incorpora um real valor ao ato de brincar.

Ele deve inspirar a mente
Ele não deve exigir baterias
Ele não deve ser exclusivamente feita de plástico
Ele tem que resistir ao teste do tempo (não aplicável para os brinquedos artesanais)
Ele tem que prometer um real valor à brincadeira
Ele deve ser um brinquedo bem-feito (nos brinquedos artesanais – os materiais devem ser de alta qualidade)

Legal, né?

O interessante é que a mecânica desse quebra-cabeça é vagamente inspirado nos tetrominós, figuras geométricas formadas por quatro quadrados unidos lado a lado…

Tetrominos

… e que são a base de diversos desafios matemáticos, jogos de tabuleiro e quebra-cabeças

tetromino_game1

… sendo que este último inspirou Tetris, o famoso videogame criado em Moscou por Alexey Pajitnov em 1984 no Centro de computação Dorodnicyn da Academia de Ciências da URSS, por sinal, o mesmo lugar onde os cumunas simulavam explosões nucleares:

Tetris-VeryFirstVersion

“Tetris-VeryFirstVersion” by Source (WP:NFCC#4). Licensed under Fair use via Wikipedia

Observe porém, que no caso do Neko Atsume são usadas algumas peças de diferentes tamanhos, como triminós e pentaminós.

O seu preço sugerido jogo no Japão é de 1.404 ienes (~ R$ 43) e já pode ser encontrado no Amazon.co.jp.

Ainda em tempo:

A Gentosha Education possui outros jogos didáticos e Slow Toys no seu catálogo, sendo que eu particularmente gosto do Animal Shogi (どうぶつ しょうぎ) uma versão bastante simplificada do xadrês japonês (ou shogi) voltado para crianças com idade pré-escolar.

A grande sacada neste caso, é que o jogador tem à sua disposição apenas quatro peças que seriam o equivalente ao nosso Rei (Leão), Bispo (Elefante), Torre (Girafa) e Peão (Pintinho) que se movem num tabuleiro de apenas 4 x 3 casas. Já os mais crescidinhos também podem optar pela versão intermediária (com oito peças) e até a versão completa formado pelas mesmas peças do jogo tradicional, porém com uma temática animal.

Animal_shoguiEsse jogo foi concebido pela enxadrista japonesa Madoka Kitao que queria tornar o Shogi e a sua aparência mais atraente para o público infantil, em especial as meninas. E não menosprezem esse visual singelo, já que o nível de disputa é o mesmo do nosso xadrez.

E quem quiser experimentar, existe uma versão para tablets com Android pode ser encontrada aqui e as regras podem ser conferidas aqui. Mais informações aqui.

Fora isso, a empresa lançou recentemente outro jogo chamado Animal Soccer (どうぶつサッカー) que, aparentemente, pegou alguns elementos do Animal Shogi e combinou com o futebol:

animal_soccer

Dá pra ver que os centroavantes são da Ponte Preta!

 

 

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.