Gadget (saudável) do dia: Purificador e ionizador de ar Sharp IG-DL1

G

Combinação de luminária de cabeceira com purificador de ar, o produto da Sharp promete eliminar bactérias, vírus, fumaças e até odores do ar.

Mais conhecida por aqui pela sua antiga linha de TVs, videocassetes e até microondas (que eram produzidos em parceria com o grupo Pereira Lopes) a Sharp do Japão chegou oficialmente no Brasil em 2001, mas manteve-se afastado do segmento de varejo, focando os seus negócios por aqui mais no segmento de B2B.

Mas isso não impediu que alguns produtos escapassem para o varejo como a lendária linha de TV AQUOS e mais recentemente a sua linha de purificadores de ar como o novo modelo IG-DL1, uma curiosa combinação de iluminador de cabeceira com purificador de íons que a empresa afirma fazer bem para a saúde.

Para isso, ela vem equipada com uma pequena ventoinha que força a passagem do ar por um gerador de íons que são espalhados pelo ambiente e ajudam a remover odores diversos, além de outros microorganismos e agentes alérgicos que pairam no ar, tendo assim efeitos benéficos para pessoas com algum tipo de alergia ou problema respiratório.

Sharp_IG-DL1_uso

Para ser menos exotérico e mais científico, essa tecnologia de purificação de ar por meio de íons, no geral funciona da seguinte maneira: O ar passa por um gerador de íons negativos — criados a partir de reações com moléculas de água — que atrai partículas com carga positiva presentes no ar, como fumaça do cigarro, pólem, esporos de mofo e até ácaros mortos (e seus dejetos) formando assim concentrações que se precipitam no ambiente e não são aspirados pelas pessoas.

Simples não?

No Japão, diversas empresas desenvolvem suas próprias versões dessa tecnologia, sendo que a da Sharp é batizada de Plasmacluster Ion Generator e que aparentemente funciona de um modo um pouco diferente

Sharp_IG-DL1_plasmacluster

 

Sharp_IG-DL1_plasmacluster4

…sendo que o sistema usado na IG-DL1 gera aproximadamente 100.000 ions/cm^3  a 70 cm da saída de ar e que cai para 25.000 ions/cm^3 a 1 metro da saída de ar que é o alcance máximo desse aparelho.

De fato, a Sharp até afirma que as moléculas de água carregadas eletricamente pela IG-DL1 também são atraídas pela pele humana, mantendo assim a sua umidade, tornando-a mais flexível, saudável e até mais bela (mais detalhes aqui).

Sharp_IG-DL1_plasmacluster2

Fora isso, esse purificador vem equipado com uma lâmpada de LED branco que funciona como luz de cabeceira e pode ser colocada ao lado da cama em cima de uma mesinha ou presa em algum móvel por meio de um clipe que já acompanha o produto.

Ele mede aproximadamente 19,0 × 56,5 x 20,0 cm e pesa 1,2 kg (com a base instalada). A Sharp do Brasil não informou o seu preço sugerido, mas indicou uma lista de revendas aqui.

Sharp_IG-DL1_de_pe

Apesar de muito popular nos países da Ásia, esse purificadores de ar com tecnologia de íons nunca pegou por aqui — apesar de algumas empresas até terem tentado. Para mim o exemplo mais curioso foi o do monitor Samsung SyncMaster 796MB+ cujo tubo de imagem (quando aquecido) produzia íons negativos e radiações FIR (Far Infrared Ray) que, segundo a empresa, também ajudaria a limpar o ar. Para completar, sua tela anti-reflexiva recebeu tratamento à base de TiO2 e Silver Nano, elementos que propiciam um efeito antibactericida.

Talvez o purificador mais bem sucedido por aqui foi o notório Sterilair, inventado pelo brasileiro Alinthor Fiorenzano Júnior em 1983 e originalmente fabricado pela Yashica do Brasil. Seu funcionamento porém, nada tem a ver com geração de íons.

Sobre o autor

Mário Nagano

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World.
Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos