Programação 4K: o dilema da TV nova

P

Ter uma TV 4K no Brasil em 2017 ainda é um dilema: ou você só assiste Netflix/Amazon Prime Video/alguma coisa no YouTube ou se conforma com o upscale no resto (TV aberta/cabo e demais serviços de streaming). Nos dois últimos finais de semana, a NET deu mais uma amostra do que vem por aí – e ontem a Samsung fez uma promessa interessante para 2018.

Eu sei que as fotos não fazem jus à qualidade da imagem, mas… imaginem uma transmissão perfeita e com som Dolby incrível. Foi o que aconteceu (mais ou menos). A NET mandou um email algumas semanas atrás perguntando quem tem TV 4K e é assinante da operadora.

Não tenho uma TV 4K, mas estou com um aparelho de 55″ 4K da Samsung para review (com uma soundbar incrível da marca, por sinal; meu limite doméstico para TVs é de 55 polegadas), então disse sim para a NET. No sábado, segundo dia de Rock in Rio, o técnico toca a campainha aqui de casa e instala um set-top box novo complementar ao que eu já tenho, além de um divisor para o cabo da operadora (ignorem a bagunça em torno da TV)

O sábado à noite foi de ansiedade: ver ao vivo, no canal Multishow 4K experimental (704), os shows no Rio. O lineup de 2017 não era lá dos meus favoritos, mas, fazer o que? Foi meio frustrante descobrir que o canal estava com o som bagunçado (parecia que somente um dos canais de áudio estava sendo transmitido), sem ouvir voz ou guitarras no sábado e domingo. O jeito foi ver no Multishow HD, que pelo menos estava com o som perfeito nesses dias.

No final de semana seguinte, a experiência foi completa. Botei no 704 e tudo foi incrível. Não vi tudo porque tive compromissos pessoais no sábado e no domingo, mas na quinta e na sexta consegui ver alguma coisa do palco principal (que foi o único a ter transmissão 4K).

O nível de detalhe era absurdo, o que me leva a uma conclusão curiosa: 4K não é para todo conteúdo. Com 1080i (que é a resolução original da NET) com upscale na TV da Samsung, a imagem já fica muito boa. Para música, OK, funciona. Acho que para filmes e séries idem. Para TV ao vivo, acho que é complicado demais – e, de novo, muito detalhe.

Como as rugas dos Tears for Fears 🙂

Ou o suor do vovô do Def Leppard. 

Este é o set-top box da NET compatível com 4K. O smart card da operadora fica embaixo da caixa, por sinal. Em tempo: o Rock in Rio foi só um teste, sem previsão de lançamento oficial para os assinantes (E eu já guardei a caixinha na embalagem, aguardando retirada).

Falando em conteúdo 4K, ao fechar este post vejo que a mesma Samsung vai lançar – em 2018 – um app para suas TVs de altíssima definição para transmitir jogos da Seleção Brasileira de Futebol em 4K, desenvolvido em parceria com o canal SporTV.

Assinantes de TV a cabo com canais Globosat no pacote terão acesso ao aplicativo 4K. Diz a Samsung o app “vai oferecer conteúdo premium sobre partidas, comentários exclusivos, multicâmeras e transmissões on-demand, tudo com a tecnologia 4k disponível no portfólio das Smart TVs Samsung, modelos de 2016 e 2017“.

A conferir em 2018, quando vamos cortar o cabo para assinar inúmeros canais de streaming e gastar mais que uma TV a cabo convencional.

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin é o fundador do ZTOP+ZUMO e da newsletter de tecnologia Interfaces. Já escreveu na PC World, PC Magazine, O Estado de São Paulo, Folha de S. Paulo e criou o ZTOP+ZUMO em 2007, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC.

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos