Preview: tablet Acer Iconia TAB A500 (Android Honeycomb)

P

Depois do Motorola Xoom, do Asus Transformer e do Samsung Galaxy Tab 10.1, a Acer também resolveu estrear seu tabler Iconia TAB A500 no mercado brasileiro. O portátil começa a ser vendido ainda este mês, de acordo com a fabricante, pelo preço sugerido de R$ 1.499 em sua versão Wi-Fi (lembrando que os taiwaneses também estão na lista do “natal dos tablets” e querem produzir por aqui).

As configurações do Acer Iconia TAB A500 não mudam muito do padrão atual de mercado: processador Nvidia Tegra 2 de 1 GHz (dual core), 1 GB de RAM (uia!), Wi-Fi, Bluetooth, módulo 3G opcional (não informaram quanto ou quando), tela de 10,1″ (1280 x 800), câmeras frontal (2 megapixels) e traseira (5 megapixels), saída HDMI, slot para cartão microSD e uma porta USB (!).

No geral, a Acer mexeu pouco na interface do Iconia TAB A500 e seu Android 3.0 (sem infos ainda sobre update para 3.1 ou 3.2)

O tablet que vi foi o de um amigo, que trouxe o gadget da Itália em junho.

A única grande modificação da Acer é uma “estante” de apps que organiza aplicativos por categorias – games, livros, multimídia etc, mas que você pode customizar com os programas que quiser.

E fica meio vazia… melhor voltar para a interface original, certo?

O acabamento do Iconia TAB A500 é todo em aço escovado (chique) e com menos propensão a marca de dedos. A parte de cima tem uma portinhola…

que, ao ser aberta, mostra o slot para cartão microSD (à direita) e a entrada para o modem 3G (lacrado).

Embaixo, o conector para o carregador…

e, na lateral, o botão de liga/desliga, a saída para fones de ouvido e a porta mini HDMI (veio sem cabo, por sinal)

olha o aço escovado aí:

NNo fim das contas, o mais interessante no Iconia A500 são essas duas portas: uma USB e uma micro USB, ambas funcionais. Vale lembrar que o Xoom não oferece uma porta USB, e o Transformer só com o uso do teclado (opcional).

E, como no Transformer, ativar a porta USB não tem limites: pen drive, HD externo, teclado…

Finalmente, para dar uma ideia de tamanho, o estranho formato widescreen dos tablets Android ao lado do iPad 2.

Em tempo: a gata preta na foto que abre este post é a Pink, “filha” da Dani Braun e do Fábio Dexter (e dono do Iconia).

E, de qualquer modo, essa não é a hora de comprar tablets (Android ou não). Os preços começaram a baixar, mas devem cair ainda mais até o Natal. 

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos