Preview: Samsung Galaxy S10 (e família)

P

A Samsung anunciou hoje em San Francisco o novo Galaxy S10, topo de linha da fabricante e que chega em três versões – S10, S10+ e S10e, todos com uma parte frontal quase completa com a tela e um pequeno furo para a câmera de selfies.

Estamos quase na era do smartphone 100% sem bordas, com mais espaço útil na frente do aparelho.

Tem também um S10 5G maior, com outros recursos, mas dele falarei depois, assim como os fones Galaxy Buds e, (surpresa!) o Galaxy Fold, smartphone-tablet dobrável.

Como todo produto da linha Galaxy S, o S10 é cheio dos superlativos, com o S10+ com os recursos mais avançados, incluindo câmera dupla frontal, até 12 GB de RAM e até 1 terabyte de armazenamento interno.

Em resumo, S10 e S10+ têm o mesmo hardware, mudando apenas o tamanho da tela e a câmera extra frontal no modelo maior, o S10e é uma versão com alguns recursos a menos e sem a tela curvada nas bordas.

Os S10 serão lançados em todo o mundo em março, mas a Samsung Brasil ainda não divulgou data nem preço estimado – mas já adiantou que os modelos BR virão com processador Samsung Exynos 9820.

As configurações oficiais dos S10 são as seguintes:

Design

Aqui estão eles – da esquerda para a direita, S10+ e sua tela de 6,4 polegadas, o S10 com 6,1 polegadas e o novo S10e, com 5,8 polegadas. A Samsung diz que, apesar dos displays maiores, os produtos não cresceram – o S10+ é 0,5 mm mais baixo que o S9+, e o S10 tem a mesma altura que o S9, só que com uma tela maior (passou de 5,8 polegadas para 6,1 polegadas no novo modelo).

O S10e é o menor da família, e a Samsung diz que ele foi feito para consumidores que ainda querem um aparelho mais compacto, apesar da tela grande. O “e” do S10e significa Essentials, ou seja, um aparelho mais de entrada. É algo parecido com o que a Apple fez com o iPhone XR – mantenha as configurações básicas, remova alguns recursos mais caros e tenha um produto que pode ser mais interessante no preço final.

Uma breve galeria de fotos dos 3 modelos com a traseira branca, para comparação de tamanho.

O S10e vem apenas com duas câmeras na traseira e o leitor de impressões digitais fica na lateral do aparelho, não integrado ao display como nos outros dois modelos.

Os três modelos serão vendidos em quatro cores básicas – branco, preto, azul e verde.

O Galaxy S10e tem uma versão exclusiva em amarelo…

…e o S10+ nas versões com 512 GB e 1 TB têm um design com acabamento em cerâmica branca ou preta na traseira. A branca não deu muito certo (dá a impressão de que o logotipo da Samsung na traseira está borrado ou muito opaco), mas a preta é, talvez, o smartphone com melhor design que os coreanos já fizeram.

A cor é um preto metálico incrível, diferente de tudo. O branco “normal” dos demais aparelhos também é muito interessante, com uma espécie de efeito furta-cor na traseira.

Tela

A tela dos novos S10 mantém o design de tela infinita – só que em vez do notch (ou entalhe, franja, testa etc.), o display tem um furo (ou um “O”) no canto direito (no caso do S10+, um furo duplo). Não é a melhor solução possível, mas enquanto os engenheiros não inventam uma tela capaz de esconder a câmera frontal embaixo dela, o “O” é o que tem para hoje. Tanto que a Samsung vai tirar um sarro do notch em sua campanha de marketing no Brasil, pedindo ao consumidor para “unnotch” os seus telefones.

De qualquer modo, as bordas do topo e do inferior da tela estão muito pequenas. Os S10 e S10+ têm vidro Gorilla Glass 6 na sua frente e verso (exceto o modelo de cerâmica, que só tem na frente). O S10e vem com Gorilla Glass 5, e todos os modelos contam com estrutura de alumínio nas bordas.

A tecnologia da tela agora é um AMOLED Dinâmico, com um aumento de 14% no brilho (em média) comparando com a tela do S9 – com isso, a visibilidade da tela sob o sol é melhor. A tela vem com HDR10+ e um novo filtro de luz azul interno, que reduz a emissão de luz azul em até 42%, prometendo noites de sono mais tranquilas para gente que adora ficar com o smartphone na cama e depois reclama que não dorme.

A busca pela tela completa (ou quase, no caso dos S10) leva a mudanças estruturais na segurança do aparelho – saem os sensores do leitor de íris (que ocupam espaço) para a chegada de um leitor de impressões digitais ultrassônico (!) que fica embaixo da tela, em uma área específica na parte inferior. No S10e, esse recurso não existe, e o leitor de digitais fica junto ao botão de liga-desliga no lado direito do aparelho.

Fiz um teste muito rápido com o leitor sob a tela, O processo de cadastrar a digital é um pouco mais lento que um leitor convencional, mas o desbloqueio é bem rápido.

Câmera

Para falar das câmeras, é melhor começar com a estrutura básica do S10e: tem uma câmera traseira de 12 megapixels (77 graus de visualização) com estabilização óptica de imagem, dual pixel e abertura dupla de lente (f 1.5 e 2.4, como no S9) e outra de 16 megapixels grande angular (123 graus).

Já os S10 e S10+ têm essas mesmas duas câmeras do S10e mais uma de 12 megapixels com zoom. O software atualizado da câmera tem 10 novos modos de detecção de cena (roupas, rostos, mais pessoas na foto, sapatos, palco, carros, bebidas, gatos, cachorro, bebê) e um novo guia de composição de imagem na tela – uma bolinha que te ajuda a centralizar e tirar uma imagem com enquadramento melhor.

A Samsung não falou muito sobre a qualidade de imagens, mas vi uma demonstração lado a lado do S10+ com um Note 9 (no caso, o meu) em uma cena noturna e – mesmo com uma câmera incrível no Note 9 – o resultado do S10+ pareceu muito mais realista. De qualquer modo, ainda hoje vou pegar um S10 e amanhã posto fotos antes de voltar para casa.

A captura de vídeo no S10 conta com um novo modo de estabilização de imagem similar ao de câmeras da GoPro – aqui o truque é usar a câmera grande angular e recortar as bordas, aumentando a estabilidade da imagem.

A câmera frontal do S10e e S10 tem 10 megapixels de resolução e é capaz de gravar vídeo em 4K. A segunda câmera do S10+ tem 8 megapixels e serve para dar efeito de profundidade nas imagens com foco dinâmico. O recurso My Emoji ganha novos recursos, roupas e um visual menos caricato.

Desempenho e bateria

Os S10 vêm com processador Samsung Exynos 9820. De acordo com a Samsung, comparando com a geração anterior de Exynos (presente no S9), existe um ganho de 21% de CPU, 37% de GPU e 15% a mais de eficiência energética. Como sempre, a Samsung terá uma versão do S10 com processador Qualcomm Snapdragon 855 para o mercado norte-americano.

A bateria do S10 tem capacidade de 3.400 mAH, a do S10+, 4.100 mAH e do S10e, 3.100 mAH. Algo muito interessante no S10 e S10+ é a capacidade de recarregar outros dispositivos sem fio na traseira do aparelho, como outro telefone compatível com padrão Qi ou os novos fones Galaxy Earbuds. Basta ativar no painel de controle do Android e encostar o aparelho a ser carregado. É algo que a Huawei já fez nos Mate 20 e interessante de ver num produto da Samsung.

Os novos aparelhos rodam Android 9.0 Pie com interface One UI. Diz a fabricante que o software está mais inteligente e tem novos modos de aprendizado de uso do consumidor integrados com a assistente virtual Bixby, que continua sem falar português.

Os S10 também já vêm com conectividade Wi-Fi 802.11ax de última geração (quero ver encontrar um roteador pra isso!) e LTE cat. 20 (20 Gbps, também quero ver qual operadora fornece tal banda).

Nas apresentações prévias do Galaxy S10 aqui em San Francisco, a Samsung comentou que a família S10 tem ainda um irmão maior, o S10 5G, com tela de 6,7 polegadas, bateria de 4.500 mAH e uma câmera de profundidade 3D na traseira. Não vi esse aparelho ainda (e nem é algo que devemos esperar para o Brasil), mas ele tem o tamanho similar a um Galaxy Note 9, de acordo com os executivos da Samsung. A conferir.

Nos EUA, o Galaxy S10, Galaxy S10+ e Galaxy S10e chegam ao mercado no próximo dia 8 de março com preços a partir de US$ 899,99 para o Galaxy S10, US$ 999,99 para o Galaxy S10+ e US$ 749,99 para o Galaxy S10e.

O período de pré-venda por lá tem início amanhã (21/02) e por um tempo limitado a empresa irá oferecer um par de fones Galaxy Buds (US$ 129,99) de graça para todos aqueles que comprarem antecipadamente um Galaxy 10 ou 10+

Galaxy S10+: galeria de fotos

Galaxy S10: galeria de fotos

Galaxy S10e: galeria de fotos

aviso!
Henrique viajou a convite da Samsung Brasil. Fotos bonitas, marcas de dedos nos aparelhos e

opiniões são todas dele.

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos