Preview: Net na Web (video on demand a 20 Mbps)

P

net-na-web-guia-de-programacao

Net na Web é o nome do novo serviço da operadora de tv/internet/telefonia chamado NET Virtua 5G, em fase de testes.  Zumo teve acesso ao novo serviço, que funciona com conexões de 20 Mbps ou 60 Mbps (estou com o pacote de 20 mega + DVR  + TV em HD).

E que diabos é Net na Web? É um YouTube turbinado, uma tentativa de fazer um Hulu para os brasileiros, um clone do Joost – com melhor qualidade. Em resumo, é um site (protegido por senha) com alguns programas dos canais da Net – SportTV HD, GNT HD, Multishow HD, National Geographic, BBC e Nickelodeon – em definição padrão e o que eles chamam de “HD na Web”. O player padrão demora alguns segundos para carregar o vídeo, mas depois a reprodução ocorre sem engasgos.

Quando digo “alguns vídeos” é verdade: são, enquanto escrevo essas linhas, 21 programas estavam disponíveis para assistir on demand – e oito deles são desenhos animados de 15 minutos de duração (ainda nesta semana devem aparecer mais quatro programas, da Fox e da Discovery, segundo a Net) . O streaming ocorre sem erros ou falhas, e dá para ver em tela cheia numa boa. A tecnologia por trás do Net Virtua 5G é a DOCSIS 3.0. Na instalação, o modem não foi trocado, mas o set-top box sim (para o modelo da Cisco com HD de 160 GB).

De novo, esbarro no problema da “alta definição” no computador (creio que teremos aqui uma discussão parecida com a do receptor PixelView USB com TV Full Seg). A imagem do streaming do Net na Web é impressionante (um bom comparativo é o Vimeo em HD), mas não sei ainda se é exatamente “alta definição”.

O serviço depende da sua banda disponível, mesmo com 20 Mbps de conexão. Quando acessei o site pela primeira, segunda, terceira vez, o streaming funcionou numa boa, sem engasgos. Agora, quando fiz alguns downloads simultâneos (picos de 319 kbps no Bit Torrent), nada.

O browser também é uma questão a ser esclarecida. O player é baseado no padrão Windows Media Player.

No Windows Vista: Não funcionou no Firefox (a área do vídeo fica em branco). Não funcionou no Internet Explorer 8 RC1 (ainda mais no dia que atualizei para o RC da versão 8 – e deu um erro pedindo para eu atualizar o navegador para o IE 6; problema resolvido ao habilitar o Windows Media Player). Finalmente, funcionou no Google Chrome. A máquina com Windows Vista é um PC Intel Pentium 4 3,2 GHz com HyperThreading (aguentou bem sem ser dual-core, mesmo sendo essa uma recomendação da Net para a instalação do serviço). O computador está ligado via cabo a um roteador wireless 802.11g.

No Windows XP: Funcionou no Firefox e no Internet Explorer uma vez, na rede sem fio, sem engasgos. Em outra tentativa – para tentar gravar um vídeo e capturar mais telas para colocar neste preview -, não funcionou. É um notebook com processador Intel Celeron.

Vale lembrar que o Net na Web ainda é um serviço experimental e que não está disponível aos clientes ainda, e também não temos previsão de quando esse serviço estará aberto aos assinantes. Caso o conteúdo da internet seja o mesmo dos canais a cabo e materiais exclusivos, pode vir a ser uma boa alternativa pra fugir da TV e ir pro computador – de vez. Na prática, é um jeito de testar serviços de IPTV sem falar nesse palavrão e possivelmente confundindo o consumidor.

Algumas telas do serviço:

  • Disclaimer 1: a banda de 20 Mbps é temporária, e continuo pagando pela minha banda de 12 Mbps (já é boa o suficiente). Se tiver dúvidas/sugestões sobre os 20 Mbps, deixe um comentário.
  • Disclaimer 2: em novembro de 2008, na hora de fazer upgrade da rede de 4 mega para 12 mega + TV analógica para digital, em novembro, a operadora prometeu um aumento de apenas 30 reais na conta final por ser um pacote promocional. A Net vem, desde janeiro, cobrando quase 100 reais de diferença e agora diz que não se “lembra” de qualquer promoção oferecida em novembro. De qualquer modo, continuo pagando pelo serviço.
  • Disclaimer 3: testei, no fim do ano passado, a banda larga ADSL Turbonet Mega Maxx também de 20 Mbps da operadora GVT, em Curitiba. Preciso terminar de organizar as informações e os vídeos que fiz dos downloads e publico aqui.

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos