Hands-on: Celular Positivo P70 com WhatsApp

H

Telefone básico com 3G roda uma versão enxuta do Android 4.4 e o insanamente popular app de mensagens do Facebook.

Em julho do ano passado durante a Eletrolar 2018, a Positivo Tecnologia lançou o Positivo P70, um pequeno telefone 3G…

… que chamou a nossa atenção por vir equipado com o popular WhatsApp:

Mas por ser um produto de entrada voltado para o segmento de valor, esse tipo de produto não costuma chamar muito a atenção da mídia — muito menos ser liberado para testes — mas como estávamos curiosos para saber qual seria a experiência de uso desse aparelho, nós fizemos uma solicitação para a comunicação da Positivo (hi Rosane!, hi Rosinha!) que, gentilmente, nos enviou um exemplar para testes:

O kit do produto é formado pelo telefone propriamente dito, adaptador de rede elétrica modelo CR-P30 com entrada bivolt (100~240 volts) e saída USB de 5 volts x 500 mA, cabo USB micro, fone de ouvido estéreo, guia rápido de uso e uma bateria removível modelo BT-P30 com tecnologia de íons de lítio de 3,7 V x 700 mAh/2,59 Wh:

Ele foi desenvolvido pelo pessoal da Positivo a partir do modelo P30 (não confundir com o P30 da Huawei), só que este recebeu uma nova placa-mãe equipada com processador MediaTek MT6572 um SoC dual core ARM Cortex-A7 de 32 bits de 1,3 GHz com GPU ARM Mali-400, 512 MB de RAM, 512 MB de armazenamento interno, tela de 2,4″ com resolução nativa de 320 x 240 pixels, câmera traseira com resolução VGA, rádio FM, porta USB, Wi-Fi e Bluetooth.

Ele mede aproximadamente 5,0 x 11,9 x 1,2 cm (LxAxP) e pesa 76 gramas.

Também vale a pena destacar que o P70 é compatível somente com as redes 2G (GSM): 850 / 900 / 1800 / 1900 MHz e 3G (WCDMA) B1 e B5.

Como era de se esperar de um modelo de entrada, seu desenho é simples e espartano com acabamento em plástico preto fosco, cujo layout das teclas lembra os antigos modelos da Nokia, o que faz com o seu uso seja meio que intuitivo:

Esse visual limpo também pode ser percebido na parte de trás do aparelho onde também fica a sua câmera traseira (sem flash) e a saída do seu alto-falante mono:

Já na parte de cima podemos ver a sua porta USB micro e o conector de fone de ouvido. Note que esse aparelho não possui nenhum botão físico nas laterais de modo que tanto o controle de liga/desliga e o volume são acionados pelo teclado frontal.

Já para se ter acesso ao interior do P70 é preciso remover sua capa traseira…

… onde fica o compartimento da bateria…

… e os slots para dois cartões SIM padrão (não micro, nem nano) e Micro SD de até 128 GB.

Dos 512 MB de memória disponível para armazenamento, a partição que abriga o Android já ocupa ~400 MB, de modo que o P70 tem apenas 125 MB para armazenar aquivos, sendo que ~118 MB já são ocupados pelos arquivos do sistema, restando algo como 50 MB para o usuário final.

Assim, nossa recomendação é que o mesmo já instale um cartão de memória de, pelo menos 16 GB ou 32 GB de boa procedência,claro.

Curiosamente, o manual do usuário diz que não se deve usar o aparelho com o carregador de bateria conectado, sob o risco de diminuir a vida útil da bateria.

Android Inside?

Uma das maiores curiosidades do P70 é que ele roda uma versão otimizada do Android 4.4, fato que não é divulgado pela Positivo, mas que é revelado por um breve momento quando o conectamos pela primeira vez num PC e o Windows 10 identifica o aparelho como um “MT65xx Android Phone“:

Mas cá entre nós, isso nem seria necessário já que o “look and feel” da sua interface deixa muito claro quem é o pai da criança, o que até ajuda quem já usou um dispositivo com Android a se familiarizar com o aparelho…

… já que ele passa uma sensação de não estarmos pisando em um terreno desconhecido:

Daí podemos concluir que o P70 é um smartphone Android com teclado?

Não exatamente…

É bom deixar claro que o P70 foi feito para ser um featurephone e como tal ele tem limitações bem significativas em especial no que se refere ao uso dos seus apps e o seu relacionamento com o Google, que é praticamente nenhum.

Por exemplo, não é possível registrar uma conta de usuário do Google no P70, o que impede a sua integração com as muitas facilidades oferecidas pela empresa, tais como sincronizar agendas e contatos, fazer backup do sistema ou acessar o Gmail.

De fato até tentei cadastrar minha conta de Gmail do cliente de email do P70 e o Goggle prontamente negou o acesso (alegando usuário/senha incorreta) ao mesmo tempo que enviou um alerta crítico de segurança!

Segundo o manual do P70, existe um jeito de contornar esse problema que seria o seguinte:

Acesse o site Google pelo PC, e faça o login na conta desejada.

Depois vá em “Minha Conta>Login e segurança”> “Apps com acesso à conta” e habilite a opção “Permitir aplicativos menos seguros”.

Dai a nossa conclusão é que o P70 utiliza sim o Android, mas apenas como um sistema operacional padrão de mercado que ajudou a empresa a acelerar tanto o desenvolvimento do mesmo quanto da criação ou adaptação dos apps nele embarcados — ou seja — sob o ponto de vista do P70 ser apenas um telefone celular com alguns extras e não um smartphone, não vemos nada de errado nisso.

E a experiência de uso?

Para nós, um dos grandes desafios dos criadores do P70 foi de encontrar um jeito fazer com que essa versão do Android pudesse ser usada em num dispositivo com teclado de telefone e sem tela de toque.

Sob esse ponto de vista, na nossa opinião essas implementações foram feitas, digamos, “na medida do possível”. Em alguns casos, o uso do teclado em alguns apps é simples e intuitivo, caso da calculadora:

Já em outros como no app de lembretes, o bom senso (ou pelo menos quem teve telefones da Nokia) nos diz que as opções na base da tela [CONCLUÍDO] e [CANCELAR] deveriam estar relacionados com os botões de atalho da esquerda e da direita que estão logo abaixo da tela…

… só que a pressioná-los nada acontece, de modo que o usuário deve ir navegando entre as opções com o disco direcional e confirmar com o botão do centro ou usar a seta de mouse que também pode ser conduzida pelo mesmo direcional como se fosse na tela do PC e “clicado” com o botão central/confirma:

Já o botão de atalho da direita também funciona como o botão de “voltar” ou “apagar/backspace” do Android e, se o mantivermos pressionado, ele também entra no modo de chavear entre as aplicações abertas:

Do mesmo modo ao pressionar o botão de recusar/finalizar a ligação (ou de liga/desliga) este também funciona como botão de “Home” que leva para a tela inicial do Android.

Assim, se juntarmos todos esses exemplos o que temos é uma interface que, no geral — funciona — mas que no início não vai deixar o usuário muito a vontade. Em algumas situações em que ele vai ficar tentando adivinhar o que fazer ou que botão pressionar para fazer aquilo que deseja.

E para ser sincero, a resposta só vai ser descoberta por meio de tentativa e erro já que o manual de 28 páginas do P70 não gasta mais do que três parágrafos (e uma foto) para falar apenas de um dos apps instalados, o WhatsApp:

Fato é que e vai chegar uma hora que, de tanto acertar e errar o usuário vai descobrir e dominar todas as manhas dessa interface, o que pode tornar o seu uso mais fácil e intuitivo.

A boa notícia é que — como nos smartphones com Android — o P70 pode receber atualizações de SO via OTA o que permite na prática que esses erros podem ser corrigidos e sua interface melhorada:

Apps embarcados

Com relação à sua biblioteca de apps, nossa impressão é que a seleção até que é boa no sentido que ela atende o essencial, com exceção de algumas futilidades como um joguinho casual para passar o tempo:

Outro app que gostamos mas que está de fora é a lanterna, mas isso porque a câmera do P70 não tem iluminador:

Um app que nos chamou a atenção foi o de Rádio FM que funciona sem a necessidade de plugar o fone de ouvido no aparelho para servir de antena, algo por sinal que só tinha visto no ZTE S302 e seus descendentes.

Outro app interessante é o Gravador de Som que também está integrado ao app de telefone e rádio FM de modo que ele também pode ser usado tanto para gravar ligações de voz quanto programação de rádio:

Outro recurso meio escondido (mas bem interessante) do P70 é que ele possui modo “Tethering” ou seja, ele pode compartilhar o seu acesso a Internet tanto via Wi-Fi quanto por cabo USB.

Já o seu painel de configurações também oferece um bom número de opções tirando proveito do seu parentesco com o Android:

E o WhatsApp?

Finalmente chegamos ao que realmente nos interessa — ou seja — como é o WhatsApp no P70?

A boa notícia é que ele não de trata de um app que faz de conta que é WhatApp, mas sim o dito cujo de fato com tudo de bom (e nem tanto) que vem com esse produto:

De fato a primeira (boa) surpresa é que o app informa que está desatualizado e que é necessário baixar uma atualização, o que mostra que (pelo menos em tese) os usuários não precisam se preocupar se o WhatsApp do P70 vai parar de funcionar por ficar obsoleto por falta de atualização:

E como o P70 não possui lojinha de apps, o sistema faz o download e a instalação da nova versão por meio de um arquivo .APK baixado direto da internet:

Já o processo de registro é o mesmo do WhatsApp: ele usa o número do próprio telefone que é autenticado via SMS e depois de mais algumas informações, já está pronto para uso. Para adicionar os contatos eles precisam estar cadastrados na sua agenda de contatos ou serem convidados via SMS, Facebook ou e-mail.

Com relação ao seu modo de uso, ele é um daqueles apps que funciona essencialmente no modo “aponte e clique” com a seta do mouse controlado pelo botão direcional. E como já dissemos antes, o botão de atalho da direita funciona como o botão de “voltar” do Android. Isso de um certo modo indica que esse app não foi muito modificado para funcionar num aparelho com teclado como o P70.

Já a entrada de texto com o teclado segue o mesmo estilo dos antigos telefones com teclado numérico, ou seja, cada botão invoca um certo número de letras e símbolos sendo que os pontos e caracteres especiais se dividem entre as teclas [1] e [0]:

A má notícia é que esse teclado do P70 não é preditivo (como o sistema T9) nem conta com corretor ortográfico, de modo que a única amenidade que ele oferece é uma barra de seleção que ajuda o usuário a localizar a letra desejada.

Já os emojis são acessados clicando no ícone da “carinha” no lado esquerdo da linha de entrada de texto:

Para enviar as mensagens é preciso “clicar” no botão de envio na tela:

Se você acha que esse sistema de entrada de mensagens é meio precário e não muito produtivo (surpresa! surpresa!) — a Positivo concorda com você! — ao ponto da empresa ter bolado uma solução bem interessante para contornar esse problema que foi criar um botão de atalho WhatsApp que, ao ser pressionado..

… ativa o modo de mensagens de voz do WhastApp permitindo assim que o usuário envie grave um recado de voz que é enviado quando o botão é liberado — simples assim!

A idéia neste caso é que o usuário do P70 prefira trocar mensagens por meio de recados de voz, o que por sinal muitas pessoas já fazem principalmente quando estão andando na rua:

Uma dificuldade que sentimos nessa interface é de descobrir claramente como rolar a tela do diálogo para cima e para baixo já que a opção óbvia — usar o botão direcional — não move a tela e sim o apontador do mouse.

Fora isso, vale a pena ressaltar que esse app também envia, recebe e até reproduz vídeos, fotos e outros tipos de anexos, inclusive documentos, apesar de que neste último caso, nossa impressão é que isso serve apenas para recebe, guardar e depois retransmitir para outro usuário, porque o P70 não teria condições de abrir, por exemplo, um arquivo em PDF:

No geral a maioria das funções do WhatsApp estão presentes do P70 com algumas limitações, como por exemplo não permitir o backup na nuvem, mas é possível fazer um backup local no cartão SD.

Curiosamente essa versão também possui o recurso de “Whats App Web” só que, infelizmente, sua câmera VGA não tem resolução suficiente para ler o código QR na tela do PC para concluir o processo de configuração/associação.

Fora isso, algumas funções mais interessantes do WhatsApp estão presentes nesse aparelho…

… como a chamada de voz (via internet) o que pode ser algo muito interessante para conversar com os parentes e amigos de perto ou de longe sem gastar créditos de telefone …

… e até a chamada de vídeo. Só que neste caso a pessoa que está do outro lado não vai conseguir quem está ligando do P70 porque ele não tem câmera frontal, de modo que imagem transmitida para o destinatário vem da câmera traseira:

Para contornar esse problema, um leitor nosso sugeriu fazer as ligações na frente do espelho do banheiro.

Nossas conclusões

Com mais de 120 milhões de usuários no Brasil (números de agosto de 2018) é inegável o impacto social, econômico e até político do WhatsApp no País, de modo que a importância de um lançamento como o P70 não deve ser menosprezado, já que muita muuuita gente abandonou seu bom e velho telefone celular e comprou seu primeiro smartphone só para usar o WhatsApp e aqueles que não foram talvez ainda não o fizeram por acharem complicado usar um smartphone.

Sob esse ponto de vista, o P70 não deixa de ser uma alternativa mais simples, descomplicada e até bem acessível — já que apesar do preço sugerido estar em R$ 280 na lojinha da empresa ele já pode ser encontrado no varejo online por até R$ 180.

Mas apesar do P70 ter um grande apelo como idéia e funcionar até que bem como telefone, a implementação do Android neste aparelho ainda nos pareceu estar meio crua — ou pelo menos numa versão 1.0.

Isso porque partes da sua interface carecem de algum tipo de informação clara sobre como usar, caso de boa parte dos apps embarcados que o manual do usuário simplesmente ignora a sua existência — incluindo do Facebook Lite, outro app talvez tão relevante quanto o WhatsApp que também está presente no P70:

A boa notícia é que o sistema operacional já nos pareceu ser bastante estável, não travando em nenhum momento e o fato dele poder ser atualizado via OTA acena com a possibilidade de que ele pode melhorar com o passar do tempo.

Já a implementação do WhatsApp nos parece adequada, já que ela se comporta do mesmo jeito que nas outras plataformas com mudanças realmente mínimas para se adequar às peculiaridades do P70.

Isso tem o seu lado bom e nem tanto já que, ao mesmo tempo que isso garante um alto nível de compreensão e compatibilidade com outros sistemas, a sua interface funciona mais no modo “aponte e clique” do que com o teclado propriamente dito o que não é a maneira mais fácil de mandar uma longa mensagem de texto (apesar de que na época dos Nokias também não era) de modo que incentivar o uso do modo de recado de voz é uma solução bem interessante encontrada pela Positivo.

Fora isso, a possibilidade de fazer ligações de voz e até de vídeo “de graça” pelo WhatsApp (via Wi-Fi) também pode ser um atrativo a mais para usuários de feature phones com planos pré-pagos que, normalmente não contam com esse recurso.

Em contrapartida, esse app tem algumas idiossincrasias como por exemplo a impossibilidade do uso do WhatsApp Web porque a câmera do P70 não consegue ler o QR Code da tela do PC e o modo de videochamada que não consegue mandar a imagem de quem está chamando devido à ausência de uma câmera frontal.

De fato, nossa maior crítica ao P70 nem é com o WhatsApp, e sim ao fato desse aparelho só ser compatível com as redes 2G e 3G.

Acreditamos que caso ele também fosse compatível com as redes 4G (tecnologia para isso já existe) além de usufruir de uma rede mais moderna, tornaria seu recurso de compartilhamento de internet (ou tethering) ainda mais útil e atrativo até para um público mais amplo, que poderia até adotá-lo não só como um telefone com WhatsApp mas também como um modem 4G para compartilhar internet de maior velocidade com outras pessoas e até com um notebook.

Seria legal né? — Sim seria… Mas cá entre nós, isso não é o foco desse produto.

Por fim, quem é o público-alvo desse produto?

Acreditamos que fora aqueles que ainda não têm e nem querem ter um smartphone por achá-lo muito complicado — mas que de algum modo desejam e/ou precisam estar conectados no WhatsApp — o P70 também pode ser uma solução atraente para aqueles que procuram por uma alternativa mais simples, discreta e relativamente barata para substituir o seu caríssimo smartphone topo de linha em situações de contingência como naquela hora em que circulamos em locais digamos, menos seguros.

Sad, but true 🙁

Ainda em tempo:

Segundo nosso leitor Efavretto, o P70 é um ODM de um modelo chamado XB52U 3G fabricado pela Mobiliwire Mobiles (NINGBO) Co.,Ltd:

O curioso é que analisando as imagens desse produto ele não tem a função WhatsApp no botão de [ # ]

… o que nos leva a crer que esse botão pode ter sido mesmo uma implementação do pessoal da Positivo, já que mesmo o manual da Mobiliwire não cita a existência deste app no seu produto, ou que ele não é muito popular na China. 😉

Sobre o autor

Mário Nagano

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World.
Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos