Pós-CES 2011 – Roteadores da Asus não precisam ser hackeados

P

Se você já tentou fazer qualquer coisa, diferente do feijão com arroz, com um roteador doméstico deve ter batido em um muro de opções nebulosas, navegabilidade risível ou simplesmente barreiras que impedem que todas as funções do aparelho sejam acessadas.

Por causa disso surgiram firmwares modificadas para tentar abrir essas funcionalidades. De olho nessa demanda, a Asus fez uma linha de roteadores que não só libera o uso de firmawares como estimula a prática. E nem precisaria, pois os roteadores fazem de tudo…Conversando com o pessoal da engenharia da Asus, deu para perceber que eles fizeram uma listinha de tudo o que deixa os usuários irados em outros roteadores (cof cof, Linksys, cof!) e foram para cima resolver esses problemas. O primeiro grande problema foi a intensidade do sinal. Aqueles roteadores N com antena interna são uma porcaria nesse sentido. Não adianta o fabricante vir jurando de pés juntos que tal roteador consegue atravessar paredes. Na prática, qualquer coisa no caminho destroça a conectividade.

A Asus mirou nisso e afirma que deu um ganho de sinal considerável nos seus roteadores. Precisamos testar isso, mas em teoria eles conseguiram acabar com a terrível frustração que é perceber que o roteador que parecia fenomenal na caixa não consegue mandar o sinal da sala para a cozinha.

Veja a demo do roteador , que gravamos durante a CES 2011:

Link para o vídeo

A Asus também lançará um roteador mais compacto, com antena interna, que se mescla à decoração do ambiente.

Link para o vídeo

Ainda precisamos testar os dois em condições reais de uso, mas um detalhe que chamou muita atenção foi a interface de controle de ambos. Em vez de uma página feiona, parecida com a internet de 1994, a interface de ambos é muito mais visual, simples de entender e operar. Esse tipo de detalhe faz muita diferença na hora que um usuário comum, sem muita inclinação ao hackerismo ou a ser um geek alfa precisa mudar algo no roteador. Estabelecer uma bridge ou transformar o roteador em repetidor é ultra simples.

Um outro ponto marcou na demonstração: é possível utilizar qualquer firmware aberta no roteadores. Pois é, em vez do véu de ferro que muitos fabricantes colocam em seus produtos, limitando recursos apenas para cobrar mais no mesmo roteador com outra embalagem, a Asus libera o potencial do seu hardware para quem quiser extrair o máximo dele. Isso é respeito por quem gasta seu dinheiro em um produto e mostra também que a comunidade foi levada em consideração, coisa rara nesse mundo dos roteadores.

Agora, só falta ver a quanto essas belezinhas vão chegar ao Brasil. Se o preço for competitivo, vai ter roteador concorrente encalhando nas lojas. E quem sabe, isso acabe fazendo alguns grandões reconsiderarem algumas diretrizes na hora de desenvolver e colocar um produto no mercado. Que venha a competição!

Sobre o autor

Jô Auricchio, editor convidado

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos