ZTOP+ZUMO 10 anos!

Por que monitores de PC são ou não são Full HD?

Aproveitando o evento de ontem da Samsung, bati um papinho com Paulo Gragnani, gerente de produtos digitais da empresa e especialista em monitores, para quem levei uma dúvida que sempre deu um nó na minha cabeça (e para a qual, até agora, ninguém havia aparecido com uma resposta convincente).

Em um mercado em que cada vez mais equipamentos de ví­deo como TVs, filmadoras e players de disco Blu-Ray trabalham no chamado modo de tela Full HD 1.080p (1.920 x 1.080 pontos), nunca entendi por que os monitores de PCs não dispõem desse modo de tela nativo.

De fato, cheguei até a me desentender com técnicos da HP na época do lançamento do desktop HP Pavilion série m9000br, porque a empresa dizia ser capaz de reproduzir ví­deos em Full HD, o que eu duvidei. No final da história, empate técnico: verificando no painel de controle do desktop, de fato, a saí­da de ví­deo gerava 1.920 x 1.080 pontos, mas seu monitor HP Pavilion w2207h de 22″ wide oferecia a mesma resolução nativa de qualquer outro modelo de 22″, 1.680 x 1.050 pontos (duh!).

Ou seja, Full HD tem ou não tem que apresentar 1.080 linhas de fato? E se isso for verdade, por que as telas LCD de 22″ (e os futuros modelos de 24″) apresentam apenas 1.050 linhas? Custa muito pros fabricantes incluir mais 30 linhas e 240 colunas de pontos e unificar esse padrão?

O executivo da Samsung explicou que, antes de mais nada, as telas de TV e de LCD são mundos í  parte, com desenvolvimento independente e caracterí­sticas próprias, principalmente em relação ao tamanho dos pontos e de seu espaçamento na tela. Assim, as telas de PCs foram feitas para serem vistas a uma curta distância (ao contrário das TVs), de modo que, sob um certo ponto de vista, uma imagem de 1.080 linhas vista de perto numa tela de PC com 1.050 linhas pode ser considerada alta definição. Conclusão: Full HD seria mais uma questão de percepção do que precisão matemática.

Ah… agora entendi. :^)

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Ótimo post. Eu sempre tive esta dúvida e não encontrava nenhuma explicação lógica.
    Obrigado!

  • Armando

    O tamanho do “pixel per inch” é diferente sim. Mas com 1080p, pra quem conhece e é exigente com detalhes (como eu), ah! Faz toda diferença sim! 😀

  • Rodrigo

    Péssima desculpa heim … q de lógica nao tem nada. Seria gosto ? haaaa para ! Entao Resumindo
    Para quem nao tem percepção qualquer porcaria serve é isso q ele quis dizer !

  • Alceu

    Entendi mas não me convenci… uma imagem de 1920×1080 em uma tela de 1680×1050 pixels sofre redução… portanto existe diferença de qualidade sim!!!… mesmo que pequena! Se os custos de produção de um monitor LCD com a resolução mais alta são inviáveis é um problema de mercado…

  • Alessandro

    Explicou, mas não convenceu. 1080 não é 1050, assim como 1680 não é 1920.
    Pra mim foi uma desculpa ridícula para não aumentar a qualidade dos monitores. Chega a dar raiva.
    Tenho um Sansung SyncMaster 226BW e a qualidade do texto é péssima quando comparado a um monitor CRT. Imagens até q ficam boas, mas texto é horrivel.
    Acredito que com pixels menores esses problemas seriam resolvidos. O pixel do meu monitor é de 0.29 igual aos antigos monitores VGA.
    Dá raiva de ver um executivo da Samsung falando que é tudo uma questão de percepção. É fácil culpar o consumidor por um problema de qualidade deles.
    Façam monitores com pixels menores e de melhor qualidade, para só depois podem virem falar essas bobagens!

  • Se pensar que o que vale é a percepção, podemos dizer que a tela dos iPods de última geração são alta definição 😛

  • daniel

    bom !!! o que o cara falou é verdade sim …. se vc ficar perto de uma Full H como no PC … vc vai ver que no pc … é bem melhor. =\ isso é .. depende do monitor que vc tiver ne =P

  • Que coisa heim!, então seria algo como quem tem mais percepção, huehuhe.

  • Isso remete à diferença de proporção entre os monitores TV (16:9) e os monitores PC (16:10). Eu já tinha notado que o corte das telas na proporção 16:9 leva a uma série de arredondamentos, que a proporção 16:10 resolve. Além disso, tem a área do desktop. Alguém que trocasse seu monitor 19″ 4:3 por outro 16:9 teria uma perda de 10% de área, enquanto que na troca por um 16:10 a perda é de 6%. Minha aposta é que o corte do LCD na proporção 16:10 deve ser mais conveniente para a fabricação e reduz a perda de área percebida pelo usuário!

  • Carlos

    Leiam o bom e velho jornal (o de papel mesmo) e vejam os resultados. À medida que se afasta a definição é diferente do que o mais próximo.
    São impressos ponto a ponto.

  • Pedro – Video Maker

    E o cara era gerente??? Enrolador!!! Quando você emite um sinal, com um número de linhas, e o monitor não o suporta, não é feito o crop dessa imagem, que seria o mesmo que “arrancar fora” essas linhas a mais.
    O que é feito, é o entrelaçamento das linhas, por blend-mode, “prensando” as linhas, afim de serem exibidas no número disponível de pixels verticais. FULL HD é FULL, sem nenhum blend de linhas.
    O formato 1080p, não possue entrelaçamento algum (progressive).
    Já o formato 1080i, interlaced, entrelaça linhas, varrendo a tela 60 vezes por segundo, recompondo as linhas pares e impares, alternadamente. Mesmo sendo entrelaçado, não se admite o blend de linhas ao de chamar de FULL.
    Enfim, FULL, é 1080 linhas, e de preferência, 1080p (progressive).