ZTOP+ZUMO (tech, opinião, inteligência)

Pocket Review: Microsoft Wireless Optical Desktop 1000

Microsoft Wireless Optical Desktop 1000

Quando brinquei com o Logitech Cordless Desktop S510 há algumas semanas, fiquei interessado na idéia de substituir o teclado e mouse de meu Mac Mini (um Apple Pro Keyboard com layout de Portugal e um mouse USB genérico com dois botões e scroll) por equivalentes sem fios. Mas apesar do hardware da Logitech ser de qualidade, achei o preço (R$ 312, sugerido pelo fabricante) um pouco salgado e as falta de drivers que me permitissem usar todos os recursos em meu Mac me desanimou.

Passeando por uma loja de informática no fim de semana (nós temos esse hábito estranho) encontrei o que me pareceu a solução ideal. E ela veio de onde eu menos esperava, a Microsoft. O Microsoft Wireless Optical Desktop 1000 é um conjunto de mouse e teclado sem fios barato (comparado a hardware de qualidade no mercado) e totalmente compatí­vel com Macs rodando o Mac OS X. Os drivers, inclusive, estão no CD que acompanha o produto. Claro, também há drivers para Windows XP e Windows Vista.

Em contraste com o produto da Logitech, o design do teclado da Microsoft (todo em plástico preto) é cheio de curvas, que lhe dão uma aparência de “grandalhão”. O mouse tem o visual padrão de um mouse óptico da Microsoft, em prata e preto, com três botões e scroll. O receptor, que é plugado em uma porta USB do micro, é grandão (tão comprido quando o mouse, mas mais largo). Os engenheiros de hardware cometeram o mesmo erro da Logitech: tiraram os LEDS de Caps Lock e Num Lock do teclado e os colocaram no receptor, o que é incômodo se você pretende escondê-lo atrás do monitor.

Em termos de recursos, o teclado da Microsoft é bastante completo. O layout é ABNT2, as teclas são macias (uma constante nos teclados modernos) e bastante silenciosas. Dois drenos na parte debaixo servem para escoar eventuais lí­quidos derramados sobre as teclas, evitando danos ao periférico. Além das teclas normais, há um cluster com funções de controle de reprodução de mí­dia (duas teclas para volume, play/pause, parada, próxima faixa, faixa anterior, mudo) e dez outras teclas de atalho que abrem pastas como Documentos, Imagens, Músicas, o cliente de e-mail, o navegador, o cliente de mensagens instantâneas, a calculadora, acionam a função de “logoff”/desligar do sistema operacional ou colocam o micro para dormir.

Reprogramando teclas no Microsoft Wireless Optical Desktop 1000Todas elas podem ter suas funções reprogramadas, a gosto do freguês. Eu, por exemplo, atribuí­ as teclas de mí­dia aos controles correspondentes no iTunes, a tecla de e-mail ao Thunderbird, a do navegador ao Firefox e a do Messenger ao Adium. E falando em funções, as teclas F1 a F12 tem dupla personalidade: quando a tecla F-Lock está ativada, elas se comportam como teclas de função normais. Desative-a e elas assumem atalhos para funções comuns í  maioria dos aplicativos, como ajuda, desfazer, refazer, novo documento, abrir, fechar, responder, encaminhar, enviar, ortografia, salvar e imprimir.

Tanto o teclado quanto o mouse funcionam com duas pilhas pequenas (AA). Infelizmente não há nenhum LED indicador de bateria neles, mas esta informação (junto com o ní­vel de sinal) pode ser consultada no respectivo painel de controle de cada periférico, instalado na janela de Preferências do Sistema (num Mac) ou no Painel de Controle (no Windows).

O Microsoft Wireless Optical Desktop 1000 é uma boa escolha para quem quer entrar no mundo dos periféricos sem fio sem gastar muito. O preço (cerca de R$ 180) é justo, e a compatibilidade com o Mac é um recurso raro que é muito bem-vindo. Se você quer mais recursos, a Microsoft tem outros modelos, como o 2000 (com teclas de perfil ultra-fino, como o teclado de um notebook) e 0 5000 (com as teclas ultra-finas e um mouse com sensor laser, mais preciso e indicado para gamers).