ZTOP+ZUMO (tech, opinião, inteligência)

Photoshop Express: edição e impressões gerais

Photoshop Express: detalhe para os seis thumbnails com opções de imagem

No Photoshop Express, gostei que, ao dar dois cliques na foto, abre a janela de edição. A interface “rica” baseada em Flash 9 é incrivelmente rápida, com três opções de edição: básica, refinamento e efeitos. Ao selecionar a opção de correção automática (auto correct), o Photoshop Express não mostra um botão para fazer isso de maneira automática, como no Picnik.

O Express então mostra uma galeria com seis miniaturas e, conforme você arrasta o mouse sobre elas, vê a foto original sendo modificada (isso vale também para os demais efeitos e correções). Mexeu o mouse, mudou a imagem. Dá também para arrastar, com o mouse, em algumas das opções, uma pequena barra para ajuste fino (eu quero 1,48 de luz a mais na opção Fill Light, por exemplo).

Para mim, parece que a Adobe aposta na intuição de cada usuário em o que é o mais “correto” em termos de imagem para ele, por isso a falta do botão de correção automática. Depois de ajustar a imagem, nitidez, contraste e ajustar (se quiser) efeitos especiais e perceber que ficou uma porcaria, o botão Reset All leva a foto de volta para o original. É possí­vel também trabalhar com tela cheia – neste caso, o teclado fica bloqueado, só o mouse funciona.

No geral, a primeira impressão do Adobe Photoshop Express é boa. A falha no upload de fotos maiores é um erro a ser corrigido ainda, caso a Adobe realmente queira criar uma comunidade de fotógrafos publicando e compartilhando fotos em seu novo serviço online. A integração com as fotos do Facebook é uma grande idéia (ver os álbuns de fotos e editar imagens direto), e o Google Picasa, mesmo sem o charme do Flickr, ganha também um editor de peso para suas fotos.

Galeria criada com o ExpressDe qualquer modo, as fotos editadas podem ser publicadas em galerias públicas que ficam com um excelente resultado final.

A verdade é que, mesmo com um produto potencialmente poderoso nas mãos, com uma marca fortí­ssima e respaldo de bons recursos online, a Adobe chega tarde ao mercado de fotografia online. O Flickr é uma força grande e a parceria com o Picnik já está feita (mas Adobe é parceira do Google – Picasa – que é parceiro do Yahoo! – Flickr – no OpenSocial e, bem, deixa de imaginar besteira, Henrique). E a velha máxima de que o tempo dirá quem será o vencedor nessa batalha também se encaixa aqui – mas será que precisamos mesmo de um vencedor para editar fotos online?

Agora quero uma versão AIR, já prometida pela Adobe, para aposentar de vez meu Paint.net (eficiente para redimensionar, péssimo para retocar imagens).

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

  • O Caborian.com avisa que o que se publica no Express é da Adobe os termos do contrato ao fazer o cadastro são os seguintes.

    Adobe does not claim ownership of Your Content. However, with respect to Your Content that you submit or make available for inclusion on publicly accessible areas of the Services, you grant Adobe a worldwide, royalty-free, nonexclusive, perpetual, irrevocable, and fully sublicensable license to use, distribute, derive revenue or other remuneration from, reproduce, modify, adapt, publish, translate, publicly perform and publicly display such Content (in whole or in part) and to incorporate such Content into other Materials or works in any format or medium now known or later developed.

    Valeu!