Philips UpBeat SHB2505: fones sem fio simples, baratos e úteis

P

Philips UpBeat (SHB2505): fones de ouvido da marca foram lançados quase um ano atrás, mas oferecem uma boa qualidade de som com excelente relação custo/benefício.

Philips UpBeat SHB2505: o que é isso?

Os UpBeat seguem o formato conhecido de outros fones do tipo True Wireless como o Huawei FreeBuds 3, os PowerBeats Pro ou o novo Samsung Galaxy Buds+: bateria interna + estojo de carregamento com mais bateria. Os UpBeat usam tecnologia Bluetooth 5.0 e vêm em uma caixa simples, com uma área transparente que mostra os fones:

Ao abrir a caixa, vemos o case de recarga, os fones, borrachas extra para ajustar ao seu ouvido (o formato médio, que já veio instalado, me serviu bem) e um cabo microUSB para recarga do case.

O case cabe na palma da mão – mas é maior que o de fones similares (como os Buds+, que cabem no bolso da calça, mas menor que o supercase dos Powerbeats Pro). Tem um indicador de LED do lado externo, para mostrar a quantidade de bateria restante.

E não, você não está vendo errado: não sei o motivo, mas a caixa tem dois tons de branco – um na tampa e outro na base.

Ao abrir a caixa, os fones propriamente ditos. Atrás dela, o conector do cabo microUSB (um dos pontos negativo desses fones, já que a maioria já é USB-C – o mesmo de grande parte dos smartphones).

Ao remover os fones, vemos o “berço” que eles ficam acomodados. Segue o padrão com o encaixe para recarga da bateria dos fones individuais.

Cada fone individual tem um botão de controle. O interessante é que eles podem ser usados um por vez, se necessário – descobri quando tirei os UpBeat por um tempo e, quando coloquei de volta no ouvido, só “liguei” um deles. Vale notar que os fones têm indicadores de som ao ligar, conectar e colocar em cada ouvido (esquerdo/direito) – em inglês apenas.

Eles são bastante confortáveis no canal do ouvido, e a aba de borracha ajuda a deixar encaixado direito. Aqui, com a borracha média e, na imagem seguinte, sem a borracha.

E o som? e a bateria?

Gostei bastante do perfil sonoro dos UpBeat. Têm graves perceptíveis, médios bastante nítidos e agudos bem equilibrados. Nada exagerado, na média mesmo. A Philips tem um histórico (hoje um pouco esquecido) em qualidade de som, e acredito que essa herança está presente nos UpBeat.

São fones para uso cotidiano, dentro de casa ou (quando der para sair no fim da quarentena) no transporte ou no escritório. Encaixam com conforto no canal auditivo e são bastante simples de usar (o botão do fone permite ainda atender chamadas e controlar volume/faixas).

E, após o primeiro pareamento com o smartphone (usei com o Samsung Galaxy S20 Ultra), basta abrir a caixa carregadora para conectar, como a maioria dos fones TWS faz. Um detalhe pontual: o fone de ouvido do lado direito, com música ou podcast desligado, faz um pequeno ruído perceptível quando colocado no canal auditivo. Mas basta começar a reproduzir som que passa.

Não gostei da qualidade de chamadas com o UpBeat – nas que fiz, a resposta foi que estava distante demais ou com som metálico. Se você precisa de fones TWS com bom microfone, vá de Samsung Galaxy Buds+ ou de Huawei FreeBuds 3, um pouco mais caros. Mas se a grana está curta e o microfone não é de grande urgência, os Philips UpBeat são uma boa compra.

A Philips promete duração de bateria de 3 horas para os fones e mais 9 no case de recarga. Na prática, as três horas se confirmam (os Upbeats consomem entre 25% e 30% de carga, em média, por hora, de acordo com a indicação de conexão no smartphone).

Philips UpBeat SHB2505: resumo

O que é isso? Fone de ouvido Bluetooth do tipo “True Wireless”
O que é legal? Som bastante equilibrado, formato ergonômico encaixa bem no ouvido. Bateria cumpre o que promete
O que é imoral? Qualidade do microfone é questionável.
O que mais? Caixa vem com estojo de transporte e cabo microUSB para carregar a bateria. 
Avaliação: 7,0 (de 10). Entenda nosso novo sistema de avaliação.
Preço sugerido: R$ 499 (mas tem muitas ofertas com valor menor por aí)
Onde encontrar: Philips / Amazon (que tem uma versão roxa bem diferente)

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin é o criador do ZTOP e da newsletter de tecnologia Interfaces. Já escreveu na PC World, PC Magazine, O Estado de São Paulo, Folha de S. Paulo e criou o ZTOP em 2007, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC.

+novos