Parabéns í  HP

P

Confesso que não morro de amores por impressoras. Acho elas caras demais pelo pouco benefí­cio que me trazem. Em casa, por exemplo, quase nunca preciso imprimir algo. Não imprimo nem recibos de home-banking ou compras online: gero PDFs e guardo em uma pasta no HD. Mais prático, indexável e ocupa menos espaço fí­sico.

Até tenho uma impressora em casa, uma HP Deskjet 840C USB que comprei em 2000, se não me engano, para usar com meu (então novo) iMac. Nesse perí­odo ela nunca me deu problemas. Mas desde que me mudei pra São Paulo, há três anos e meio, nunca me dei ao trabalho de reinstalar ela na mesa. Ela ficou esse tempo todo em cima de um armário, pegando poeira. Literalmente grossas camadas de poeira, sem proteção nenhuma.

Eis que hoje precisei imprimir um documento e, meio incrédulo, tirei ela de cima do armário. Limpei a poeira, pensando “Ha! Essa aqui já era, nunca mais imprime” e pluguei na tomada só por desencargo de consciência antes de encomendar uma nova. Coloquei papel, iniciei um auto-teste e… imprimiu! Imprimiu perfeitamente, como se nunca tivesse ficado parada. Funcionou apesar da poeira, e do fato de que os cartuchos de tinta que estão nela já devem ter uns 4 anos de idade.

Meus parabéns í  HP. Vocês acabaram de me dar um ótimo motivo para continuar comprando suas impressoras e suprimentos.

Sobre o autor

Rafael Rigues

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos