Os laptops educacionais e para todos

O

Hoje a Intel, em parceria com o Governo Federal, anunciou que vai fornecer aproximadamente 800 Classmate PCs (versão do laptop barato para estudantes) destinados a um projeto piloto que começa no próximo ano letivo. O governo Lula vai avaliar como esses portáteis são usados pelos alunos de escolas de todo o paí­s – não só o Classmate PC, mas também o XO (antigo OLPC, de Nicholas Negroponte, também conhecido por ‘laptop de 100 dólares’) e um terceiro, desenvolvido na índia. Serão 1.000 XOs, uns 50 micros indianos (bem conceituais, aparentemente) e de 700 a 800 Classmate PCs.

O governo, como tem que ser, diz que é um perí­odo de testes, e está mais que correto ao afirmar isso. Só depois de descobrirem se vale a pena investir na compra dos tais equipamentos é que vão bater o martelo. Só que nesse tempo fabricantes como Positivo Informática e CCE Info já terão começado a montar os primeiros Classmates brasileiros – ponto para a Intel nessa guerra. Numa hipótese, mesmo que o projeto de Negroponte seja melhor para a educação, os Classmates já terão – no vocabulário da Intel – um “ecossistema” pronto para eles no Brasil – CCE e Positivo são os primeiros fabricantes a adotar o modelo da Intel para produção em todo o mundo.

Outra aposta: o Classmate roda Linux ou Windows XP Embedded. Escolas públicas vão receber máquinas com Linux, as particulares vão optar pelo Windows, com certeza. De qualquer jeito, é um processo que o governo Lula considera primordial, atacando, de uma vez só, o problema da educação, da inclusão digital e ainda cria incentivos para a indústria local de computadores. Eu posso estar muito enganado, mas a não ser que a turma do XO (AMD incluí­da) comece a fabricar também por aqui, quem já levou essa é a Intel. E, por tabela, mesmo que excluí­da dos programas oficiais do governo, a Microsoft, já que a plataforma Classmate pode rodar Windows também (e que venham as escolas particulares!).

***

Poucos já falaram disso, mas o assessor especial da presidência da República José Luiz de Melo Aquino, presente ao Intel Developer Forum (em SP), lembrou algo importante: vem aí­ o programa Laptop para todos (não deve ter esse nome), com definições de configuração e incentivos fiscais para os fabricantes, no mesmo molde do Computador para Todos (aquele que vende máquinas com Linux e o povo instala Windows pirata, segundo a Abes). Uma melhor definição sobre o assunto deve sair até o dia 15 de dezembro.

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos