ZTOP+ZUMO

Números enormes: NVidia GeForce 660 Ti

A NVidia GeForce GTX 660 Ti é a versão para mortais das placas de vídeo anunciadas em maio com a nova arquitetura Kepler.

Por que é importante?

1) Preço. Lá fora, vai ser vendida pelo preço sugerido de US$ 300, em média (depende do fabricante, claro) – contra valores entre US$ 400 e US$ 1.000 das irmãs maiores (GeForce GTX 690/680/670).

2) Desempenho: é uma placa cuja GPU é baseada na nova micro-arquitetura Kepler (com produção em processo de 28 nanômetros). Isso significa performance melhor com menor consumo de energia.

Em relação à GTX 670 (a versão intermediária), a GeForce GTX 660 tem o mesmo número de núcleos CUDA, mesmo clock (915 MHz/980 MHz) e RAM GDDR5 (2 GB).

As especificações técnicas da placa:

Segundo a Nvidia, a GTX 660 Ti tem um desempenho melhor em relação à geração anterior (41% mais rápida em comparação à GTX 560, de 2011, e 58% mais veloz que a GTX 470, de 2010). O gráfico abaixo mostra a comparação entre 2012 e 2010:

E em comparação com a concorrente da AMD/ATI (HD7870). Claro que são números de benchmarks fornecidos pela própria Nvidia, mas são consideráveis, certo?

3) O que mais? A GTX 660 Ti tem suporte a DirectX 11, TXAA e PhysX e consegue suportar uma configuração de 3+ 1 monitores em uma única placa.

4) Quem vai vender? Segundo a Nvidia, fabricantes como ASL, ASUS, Colorful, ECS, EVGA, Gainward, Galaxy, Gigabyte, Innovision 3D, Jetway, Leadtek, MSI, Palit, Point of View, PNY, Sparkle e Zotac já têm suas versões da GTX 660 Ti disponíveis nos EUA.

 

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin