Números enormes: Samsung Galaxy Fold

N

Além do Galaxy S10, a Samsung também mostrou (de longe) seu smartphone-tablet dobrável, o Galaxy Fold, primeiro aparelho a quase quebrar a barreira dos US$ 2.000.

A apresentação da Samsung hoje em San Francisco foi, ao meu ver, ao contrário de todo padrão de grandes novos produtos. O foco principal seria, numa Apple da vida, falar da atração principal, o Galaxy S10, e deixar uma surpresa para o final.

Na Samsung de 2019, não é assim. Veio primeiro a surpresa, o esperado Galaxy Fold, para depois falar do resto. E foi bom, já que deu o ritmo para a inovação que o mercado de smarthones precisa neste momento (marcas que vão mostrar aparelhos dobráveis no MWC semana que vem, o padrão está na mesa e o jogo está valendo).

E toda a demonstração do Fold foi ali, em pouco mais de 20 minutos. É um aparelho que ainda lembra os smartphones da pré-história com teclado (Nokia Communicator feelings). Por fora, uma tela de 4,6 polegadas HD+ Super AMOLED (proporção 21:9), por dentro a tela dobrável de 7,3 polegadas QXGA+ Dynamic AMOLED (4.2:3).

Fechado, é um smartphone grosso (parece, ao menos, já que as medidas não foram divulgadas). Aberto, é um tablet. Alguns desafios para desenvolvedores (e o Google já anunciou suporte para isso) são adaptar seus apps para a tela nova, apesar de que o Fold permite usar até 3 aplicativos simultâneos em multitarefa.

Outra coisa muito legal – que mostraram na apresentação – foi a continuidade de aplicativos, onde você começa usando na tela inicial e abre o telefone para seguir com o que estava fazendo.

Minhas grandes dúvidas sobre o Galaxy Fold são a duração da bateria (4.380 mAH é bastante, mas o suficiente para um aparelho desses), como funcionam as SEIS câmeras do produto, quão intrusivo é o notch lateral na tela interna, se tem uma marca de dobra no meio da tela interna (pelo telão do evento, discreta, mas sim).

O Galaxy Fold começa a ser vendido como um produto de luxo no segundo trimestre, com um preço sugerido inicial de US$ 1.980 nos Estados Unidos. A Samsung não liberou o Fold para demonstração pela imprensa ainda, então não dá para saber se é realmente incrível ou tosco como o FlexPai (espero encarecidamente que não).

Fotos de divulgação

disclaimer

henrique viajou a convite da Samsung. Fotos, opiniões e frustrações por não ver o Fold de perto são todas dele

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos