Números enormes: Huawei Mate X

N

MWC 2019 – A Huawei anunciou hoje em Barcelona seu primeiro dispositivo dobrável, o Mate X. A fabricante, que disse ter vendido 206 milhões de smartphones em todo o mundo, adotou uma filosofia diferente da Samsung – que também mostrou seu dobrável na semana passada, o Galaxy Fold.

Estamos na fase um da guerra pelos smartphones dobráveis. O conceito que a Huawei apresentou hoje envolve uma tela grande de 8 polegadas que se dobra ao meio, gerando outras duas menores – uma principal frontal de 6,6 polegadas e uma traseira de 6,4 polegadas (que fica junto às câmeras com lente Leica do Mate X).

O grande desafio – e ponto pra engenharia da Huawei – foi deixar o aparelho muito fino, com apenas 11mm fechado e 5,4 mm na sua parte mais grossa quando aberto. Bônus track do projeto: tem conectividade 5G também (é o primeiro smartphone 5G da Huawei).

É uma proposta diferente da Samsung, com uma tela externa e uma maior que se abre para fora.

De qualquer modo, são aparelhos ainda com um pé mais no conceito do que do produto final, tanto que a Samsung só falou dele na sua apresentação (sem mostrar depois dela na área de demonstração no lançamento do Galaxy S10) e a Huawei deixou o Mate X à vista, porém seguindo a regra de pode ver mas não pode tocar e os colocou em redomas de acrílico.

Apesar dos preços já anunciados (US$ 1.980 para o Galaxy Fold, 2.299 Euros para o Mate X), são produtos de primeira geração com muitos ajustes a serem feitos até o lançamento oficial em algum momento da metade do ano.

Depois do evento de lançamento, participei de uma mesa redonda com engenheiros da Huawei para falar do Mate X. Perguntei qual o maior desafio de projeto para Cliff Chiang, vice-presidente de pesquisa e desenvolvimento da Huawei.

Ele disse que o principal foi criar o mecanismo dobrável para aguentar o uso direto abrindo e fechando o Mate X. Chiang também comentou que a Huawei tem feito estudos de usabilidade com consumidores em todo o mundo para avaliar como as pessoas podem vir a usar um aparelho dobrável – que pode ser de um modo na China e outro na Europa, por exemplo. O executivo se mostrou muito otimista em relação aos aparelhos dobráveis, no fim das contas (e isso é ótimo).

Sobre a bateria, como definir se uma bateria de 4.500 mAH em um aparelho como o Mate X é suficiente? “Medimos a felicidade do consumidor por 24 horas, e confiamos que a capacidade de 4.500 é suficiente”, comentou o executivo.

Ainda acho que vou ver outros dobráveis no MWC esta semana, além de designs para o futuro.

Huawei Mate X: mais fotos

Disclaimer: Henrique viajou ao MWC 2019 a convite da Huawei.
Fotos e opiniões são dele mesmo.

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin é o fundador do ZTOP+ZUMO e da newsletter de tecnologia Interfaces. Já escreveu na PC World, PC Magazine, O Estado de São Paulo, Folha de S. Paulo e criou o ZTOP+ZUMO em 2007, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC.

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos