Números enormes: câmera Nikon 1 J1 no Brasil

N

A câmera acima é a Nikon J1, modelo de terceira geração que a fabricante japonesa lançou sem nenhum alarde no mercado brasileiro.

Por ser um modelo com preço médio sugerido nos Estados Unidos de US$ 650 (e já dá para achar mais barato), qual o valor, com impostos de importação, lucro da fabricante e do varejista e o tal “lucro Brasil” que você acha que J1 custa no nosso varejo?

Primeiro, o preço na Amazon.com norte-americana, na configuração básica: câmera Nikon 1 J1 com lente 10-30 mm: US$ 649, com desconto de 10%: US$ 580,99, aproximadamente R$ 1.051.

Agora, o preço no varejo brasileiro (na Fnac do MorumbiShopping em São Paulo, ontem à noite), na mesma configuração:

(note a cara de “é né… fazer o quê?” do cara de chapéu ai em cima)

Nagano comenta:  3.499 Dilmas?  Uia! Uia! E o pessoal que achava o iPhone 4 GS nacional desbloqueado de 64 GB era caro na loja da Apple. E olha que a J1 não faz ligações, não baixa apps,  nem acessa a Internet. 🙁

By the way, a J1 não é a câmera mais cara dessa linha por aqui. A Nikon 1 V1 também chegou por aqui pelo preço sugerido de R$ 5.999 e está sendo vendido pela bagatela de R$ 4.849 nas Americanas.com, R$ 4.949,10 no Extra.com e R$ 5.224 no Pontofrio.com.

Pelas minhas contas, se dividir esses R$ 5.228 por 1,8 (cotação média do real em US$) chegamos a um valor de ~ 2.904 Obamas, o que dá quaaase pra comprar um corpo de Nikon D800 de 36,3 MP (sem lente) por US$ 2.999 no Amazon.com.

Se considerarmos o preço sugerido pela Nikon Brasil (R$ 5.999) isso equivale a ~ 3.333 Obamas, o que dá pra comprar um corpo de Nikon D800 FX (também sem lente) que a mesma Amazon.com vende por US$ 3.299 e ainda sobra troco pra comprar um cartão de memória de 8 GB.

eeeeba!!!

Uma pesquisa rápida em lojas online oficiais da Nikon no Brasil mostra um resultado similar, com algumas opções oferecendo um pouco de desconto:

Fazendo a conta reversa, R$ 3.499 equivale, em dólar (cotação a R$ 1,80), a US$ 1.932 ou 2,9 vezes a mais que o preço nos EUA. Por que tão caro? É a pergunta que não quer calar – seja para iPhones ou câmeras digitais importadas ou videogames.

A única similar da Nikon 1 J1, que tem componentes made in China, à venda por aqui é a Sony NEX-C3 (fabricada no Brasil, com preço sugerido de R$ 1.999). Suas antecessoras importadas (NEX-3 e NEX-5, já fora de linha, custaram no máximo R$ 2.500 por aqui, com preços similares em dólar ao da Nikon 1 J1).

O que dá para suspeitar, no caso da Nikon 1 J1 – que nem é o modelo topo de linha dos japoneses – o cálculo do preço final inclui impostos e muito lucro em cima do equipamento, seja por parte do varejo e da própria Nikon Brasil.  Não basta culpar apenas os impostos.

Vendo esse preço local, não é à toa que a Nikon Brasil não divulgou o lançamento da câmera por aqui. Quer dizer, saiu uma nota apenas, pelo que consegui encontrar. Minha recomendação para qualquer caso desses de preço abusivo: não compre, a não ser que seja milionário ou vencedor da Mega Sena.

(recado ao povo da agência de comunicação da Nikon: lembrem que o erro no lançamento da D800 foi de vocês, não nosso, ok? Ainda queremos testar a Nikon 1 e outras câmeras da Nikon, independente do preço).

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin é o fundador do ZTOP+ZUMO e da newsletter de tecnologia Interfaces. Já escreveu na PC World, PC Magazine, O Estado de São Paulo, Folha de S. Paulo e criou o ZTOP+ZUMO em 2007, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC.

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos