Novo Harry Potter na rede: vazamento ou lance de marketing?

N

Nem estreou nos cinemas (a estréia mundial é nessa sexta-feira, 19 de novembro), e o novo filme da franquia Harry Potter já caiu nas redes de compartilhamento pela internet.O rumor começou ontem. Do nada, uma avalanche de torrents com um longo trecho, com mais de meia hora, do filme Harry Potter e as Relíquias da Morte, invadiu o espaço digital.

No começo, muita gente achou que era hoax. Algumas agências de proteção digital até divulgaram um aviso sobre a ameaça potencial de invasão, caso o usuário incauto acessasse o conteúdo. Mas a realidade foi outra.

O fragmento do filme era totalmente real. Aparentemente, o vídeo foi gravado em uma avant-premiere que a Warner fez, com apenas 36 minutos do filme.

Vazamentos são comuns na indústria cinematográfica. Quem não lembra do filme do Wolverine, que vazou inteiro na web, na forma de uma cópia de serviço que ainda não tinha os efeitos especiais? Aqui no Brasil mesmo, um vazamento notório foi Tropa de Elite, que acabou inteirinho na mão dos camelôs antes da estreia.

Mas o que aconteceu com o novo Harry Potter é tão conveniente que parece calculado. Sempre tem um espertinho que entra no cinema com uma filmadora, mas uma premiere fechada, em ambiente controlado, dificilmente teria essa margem.

Outra coisa interessante: apenas os minutos iniciais do filme foram liberados. Isso na rede serve muito mais para atrair os fãs ao cinema que arranhar a renda de bilheteria.

Modo teoria da conspiração ON: A Warner tem se mostrado muito esperta com a mídia digital. O estúdio foi um dos primeiros a abraçar a distribuição digital de conteúdo, e hoje manda até uma versão MP4 dos seus filmes inclusa nas mídias em DVD. A Warner também foi o primeiro estúdio a lançar uma loja online com filmes clássicos sob demanda. O consumidor escolhe o filme, que será gravado sob encomenda em DVD e entregue em sua casa.

Nem os games passaram desapercebidos pelo estúdio. Em vez de martelar a horrível fórmula de fazer games horrendos atrelados aos filmes, o estúdio assumiu a produção dos jogos baseados em suas propriedades intelectuais e tem feito um trabalho muito decente. Até mesmo jogos de primeira linha, como FEAR 3, o estúdio tem bancado, com orçamento digno de blockbusters do cinema.

O vídeo liberado na web é suspeitíssimo. O aspecto da tela parece errado, mas é só convertê-lo para 1.080 linhas que tudo fica certo. Mesmo a sujeira do vídeo parece engendrada. E o áudio está muito bom, acima da média para uma gravação pirata.

Será que a Warner hackeou o ciclo de pirataria e intencionalmente deixou que um super teaser do novo Harry Potter vazasse de propósito? Eles jamais vão admitir, mas se foi isso mesmo, parabéns. Finalmente um grande estúdio começou a entender como funciona o mundo no terceiro milênio digital.

Sobre o autor

Jô Auricchio, editor convidado

<span class="dsq-postid" data-dsqidentifier="31204 http://zumo.com.br/?p=31204">comentários</span>

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos