ZTOP+ZUMO 10 anos!

Novo Dell Latitude chega em setembro

Daqui a dois meses, uma série de novos lançamentos serão anunciados pela Dell “e isso é apenas a ponta do iceberg”, disse Margaret Franco (foto), diretora de produtos da Dell. Para ela, estamos vivendo um momento de mudanças no segmento de mobilidade onde a especialização – ou mais exatamente o desenvolvimento de modelos especí­ficos para atender determinados tipos de usuário/aplicação – parece ser a palavra de ordem.

Para ilustrar seu raciocí­nio, Margaret descreveu um novo biotipo do ecossistema digital que ela chama de “Digital Nomad” (nômade digital) que seria uma evolução do “Road Warrior” – aquele profissional que sempre viaja e precisa levar seu escritório debaixo do braço.

O Digital Nomad seria aquele usuário sempre conectado e que precisa ter a sua disposição, todos os recursos da computação pessoal disponí­veis a todo momento. Isso pode ser traduzido num portátil com grande autonomia de bateria, com fácil acesso í  internet, e que seja atraente (ao ponto do seu dono ter o prazer de tê-lo sempre ao seu lado) e muito seguro, tanto em termos de resistência a maus tratos quanto na proteção de seus dados.

Um bom exemplo dessa visão é o lançamento de um driver de dispositivo que pemite operar o tablet Latitude XT por meio de toques (mais sobre isso em outro post da semana passada) disponí­vel na forma de um download gratuito, inclusive para todos os Latitude XT vendidos desde o seu lançamento (yay!).

Henrique complementa: a Dell diz que já liberou o download driver multitoque do Latitude XT para brasileiros também.

Outro petisco servido durante sua apresentação foi a apresentação na nova geração de notebooks Dell Latitude que irá substituir a atual linha D 630/830 com um visual completamente novo, ou perto disso.

Novamente, não tivemos autorização de fotografá-lo mas pudemos chegar bem perto dele e até manipulá-lo.

Assim como o HP Elite, o novo Latitude no ele utiliza liga de magnésio na sua construção (um metal leve e resistente) e seu gabinete possui linhas retas, limpas e um acabamento que lembra metal escovado e que, no caso no modelo apresentado era da cor preta. Também notamos que ele possui novas dobradiças de metal aparente (como no ThinkPad série T), que passa uma impressão de rigidez na sua estrutura e confiabilidade.  O logo circular da Dell foi substituí­do pela palavra Dell/Latitude gravada em letras metálicas localizado na lateral esquerda da tampa do portátil. Internamente, o produto já estava identificado como um Latitude, mas a descrição da série e modelo estava coberto com um pedaço de fita isolante (dang!).

Além das tradicionais portas USB, Firewire, som, rede e SVGA, também vi uma nova porta DisplayPort mas nenhuma porta serial, o que talvez possa estar presente nas suas soluções de docking ou mesmo na forma de adaptadores USB.

Sua baia de periféricos é do tipo gaveta, de modo que podemos trocar, por exemplo, uma unidade de DVD por outro periférico mais conveniente. Pelo próprio desenho da baia, não acredito que ele possa aceitar os acessórios da atual série D630. A executiva da Dell também explicou que sua equipe de design e desenvolvimento também teve uma atenção especial sobre o teclado no que se refere í  sua precisão e conforto de uso, além de manter o sistema de dois dispositivos apontadores: trackpoint e touchpad além do sensor Biométrico.

Como o produto não foi ligado, não pudemos obter mais detalhes técnicos da sua plataforma nem se ele estará disponí­vel com processador da AMD. Fora isso, Margaret falou de outras inovações que deverão ser implementadas nos futuros modelos da Dell, como discos SSD de 128 GB da Samsung (aparentemente, o mesmo tipo usado pelo ThinkPad X300) e a implementação de GPS para viabilizar novas aplicações de geolocalização nesses portáteis.

Como o GPS precisa ter uma visão limpa do céu para captar o sinal do satélite, perguntei para Margaret qual seria a real utilidade de um notebook com GPS se o seu ambiente natural é o interior de casas e prédios. Ela me respondeu que esse problema pode ser bem minimizado com o uso combinado de sinais vindo das torres de telefonia celular. Perguntei se seria essa a tecnologia seria usada nos computadores da Dell e ela fez uma pausa, pensou um pouco, e disse para esperarmos até o lançamento do produto para descobrir, daqui a dois meses.

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.