Nokia vai voltar ao mercado de smartphones

N

Da série “notícias que a gente sabia que iam acontecer, mas não tinha ideia de quando”, a Nokia anunciou hoje que vai voltar ao mercado de smartphones e tablets – desta vez, rodando Android.

Por que a gente sabia que ia acontecer?

Simples: depois de vender a unidade de mobilidade para a Microsoft (naquela novela toda de “plataforma em chamas”, o golpe cavalo-de-tróia de Stephen Elop e a desistência da Microsoft com os Lumia), o acordo Nokia-Microsoft previa o uso da marca Nokia em smartphones a partir de meados de 2016.

E estamos em meados de 2016.

A Nokia remanescente (Nokia Technologies), fabricante de infra-estrutura de redes, da incrível câmera 360 Ozo e, mais recentemente, dona da Withings (que faz wearables bem legais), anunciou hoje que uma nova empresa, chamada HMD, vai licenciar de forma exclusiva a marca Nokia para smartphones, tablets e feature phones.

“Os novos smartphones e tablets serão baseados em Android, unindo uma das marcas mobile mais icônicas do mundo, a Nokia, com o principal sistema operacional e comunidade de desenvolvimento de apps”, disse a empresa, em um breve comunicado oficial.

Na prática, a HMD licenciou a marca da Nokia e disse que vai investir US$ 500 milhões nos próximos três anos para ajudar a nova Nokia a crescer.

A fabricação será feita pela FIH (leia-se Foxconn), que comprou hoje o que restava da unidade de feature phones da Microsoft por um valor irrisório (US$ 350 milhões, mas OK, é só uma parte do negócio) em comparação ao que a Microsoft pagou pela Nokia toda (US$ 7 ,2 bilhões), em um negócio esperado para ser finalizado ainda este ano.

E, meio óbvio dizer isso, a HMD é liderada por ex-executivos da Nokia original.

A Microsoft comentou, de forma lacônica, “que continua a desenvolver o Windows 10 Mobile e dar suporte aos fones Lumia, como o Lumia 650, Lumia 950 e Lumia 950 XL, além de fones produzidos por parceiros como Acer, Alcate, HP, Trinity e VAIO“.

A nova Nokia chega em um momento de consolidação de mercado interessante – onde Apple continua a reinar no mercado premium e marcas relativamente novas em telefonia – Lenovo, Asus, Xiaomi, VIVO, LeTV – brigam pau a pau para manter sua participação de mercado (e tentar ameaçar a Samsung, claro). Estou bem curioso com o que vem por aí  – afinal, é a Nokia, mas não a Nokia que aprendemos a admirar.

 

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin é o fundador do ZTOP+ZUMO e da newsletter de tecnologia Interfaces. Já escreveu na PC World, PC Magazine, O Estado de São Paulo, Folha de S. Paulo e criou o ZTOP+ZUMO em 2007, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC.

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos