ZTOP+ZUMO

Nokia, a plataforma está pegando fogo

Parabéns, Stephen Elop, você tem culhões. Se a carta que o sr. mandou ontem para seus funcionários da Nokia e que vazou em alguns sites– e muita coisa indica que o texto é real -, ganhou o prêmio de CEO do ano. Sério.

Quando o big boss mostra a cara e diz coisas como:

“Descobri que estamos em uma plataforma de petróleo que pega fogo. E tivemos mais de uma explosão, temos múltiplos pontos de calor escaldante que estão alimentando o fogo ao nosso redor.

Por exemplo, há um calor intenso vindo dos nossos concorrentes, mais rápidos que esperamos. A Apple mudou o mercado ao redefinir o smartphone e atrair os desenvolvedores a um ecossistema fechado, mas muito poderoso.

Em 2008, a fatia de mercado da Apple em aparelhos acima de $300 era de 25%; em 2010 passou para 61% (…). A Apple demonstrou que, se bem projetado, os consumidores compram um aparelho caro com grande experiência de uso e os desenvolvedores criam aplicativos. Eles mudaram o jogo e, hoje, dominam a faixa dos aparelhos caros.

E tem o Android. Em dois anos, o Android criou uma plataforma que atrai desenvolvedores, fornecedores de serviço e fabricantes de hardware. Android chegou para aparelhos caros, agora estão vencendo nos intermediários e irão rápido seguir para aparelhos abaixo de 100 euros. Google se tornou uma força gravitacional, atraindo muito da inovação da indústria para seu lado”

É sinal de que alguém, além dos investidores, percebeu que a Nokia está mergulhada numa crise interna enorme, e nada foi feito para mudar. Se o CEO não falar essas coisas, quem vai falar? Nessa hora, é fácil botar a culpa na “imprensa que não entende nada de mercado” – sim, muita gente dita “especializada” não entende nada mesmo porque só enxerga o mercado norte-americano e, sob esse ponto de vista, é muito fácil falar mal.

Elop, numa sinceridade incrível, ainda fala que a Nokia está perdendo mercado de aparelhos baratos para os chineses – que lançam “aparelhos mais rápido que leva para a Nokia deixar pronta uma apresentação em PowerPoint”. Ops!

Sobre as plataformas: a carta dá a entender que não teremos mais que um aparelho com MeeGo este ano, e o Symbian, “que se tornou incapaz de competir na América do Norte”.

“Nossos concorrentes não estão roubando o market share com aparelhos; eles estão tomando nosso market share com um ecossistema completo. Isso significa que temos que decidir se vamos criar, catalisar ou nos unir a um ecossistema.

Essa é uma das decisões que temos de fazer. Enquanto isso, perdemos mercado, perdemos reconhecimento e perdemos tempo”.

O que Elop quer dizer, na minha visão:

criar = investir no MeeGo (que não deve ser extinto e a Intel pode dar um gás nele) e jogar o Symbian para o mercado low-end; catalisar = dar um gás no Windows Phone 7, com um ou dois aparelhos voltados ao mercado norte-americano;
unir = abraçar o Android e criar o melhor hardware que já se fez para essa plataforma.

Fato: se é verdade ou não, saberemos na sexta-feira  – até mesmo se as ideias propostas por este Ztop ecoaram de algum modo lá dentro e se vai rolar a dança das cadeiras esperada (cabeças já rolaram na subsidiária brasileira, por sinal). Um encontro com analistas de mercado vai expor toda a nova estratégia da Nokia na sexta-feira, e no domingo começam as atividades do Mobile World Congress, e a Nokia estará lá. A conferir.

Em tempo: o melhor comentário sobre a carta veio de Jay Montano, do MyNokiaBlog:

Tudo isso poderia ter sido evitado se a Nokia tivesse feito um N900 mais fino 😛

trilha sonora para este post:

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

  • dflopes 09/02/2011, 09:09

    Sempre mencionei que para aparelhos high-end, deveriam vir com maemo/meego, incluindo o N8.
    E o restante poderia ter symbian. MAs eles fizeram TUDO ao contrário, refazendo o symbian com uma carinha nova, mas o coração de sempre… ¬¬

    E não acho que o n900 seria tão aceito no mercado caso ele fosse mais fino. Ainda é, basicamente, um PC portátil, com repositórios e tudo mais. O "minha" bala de prata seria o N8 com meego.

    Hoje, só estou com o symbian pois são os unicos aparelhos que me oferecem flash xenon (satio).
    Mas é um porre instalar qualquer coisa (ceritificado expirou, precisar hackear com helloOx2, pegar certificado no OPDA, etc, etc, etc) e hoje ainda tenho programas pendentes pois ainda não parei pra fazer isso (swipe, angry birds, smart connection, etc)

    Mas espero que a nokia não afunde, pois ela sempre apresenta bons hardwares e a concorrencia sempre é boa para nós, consumidores.

  • Rogermusic 09/02/2011, 12:35

    Recentemente vimos a motorola se reerguer apenas usando o Android. E olha que não fez grandes coisas. E chamamos isto de renascimento.

    A Nokia se reposicionando a partir do seu CEO… Vai Chutar traseiros!

  • vanei 10/02/2011, 11:10

    Infelizmente a Nokia não vai conseguir uma virada tipo fez a Motorola com a eminente parceria com a Microsoft para celulares com Windows Phone.
    Se a Nokia tivesse gasto as energias que gastou para criar um SO do zero (Meego) na melhoria do Maemo (que por sinal é muito bom), estaria numa situação menos pior (não melhor, apenas menos pior), pois poderia já ter um SO decente. Era só ter dado ao Maemo um visual mais moderno e umas funcionalidades novas, posto num hardware decente e partir pro abraço. Mas não, parece que não aprendeu com o Symbian que não se cria um SO novo em poucos meses. Tá dando cabeçada em ponta de faca mesmo.

  • Jonathan David 17/09/2011, 22:53

    O que vocês estão falando, Symbian é uma grande plataforma criada com uma das melhores linguagens do mundo como C++, a questão não é a culpa do Symbian e sim dos desenvolvedores e da Nokia, que deveria dar mais apoio aos desenvolvedores do Symbian e ter progredido juntos com os outros OS. Onde está a prova ?, no Symbian Anna, se eles tivessem colocado o Anna em vez do erro do S60V5 ninguém estaria falando mal do Symbian. Vida longa ao Symbian!!!