Nokia 100 quer brigar com o Android de 80 euros na África

N

Um novo desafio para o sr. Stephen Elop: vender celulares de 20 e 25 euros para o “próximo bilhão” de donos de telefones móveis. Com os novos Nokia 100 e Nokia 101, o cenário para o duelo está montado – se os Androids megabaratos não estiverem no caminho. Ops, já estão. Mesmo. De verdade. Não é à toa que os novos aparelhos de hoje foram anunciados em Nairóbi, no Quênia.

Os dois modelos são praticamente iguais: rodam sistema operacional Series 30, têm rádio FM, lanterna, bateria com até 6,7 horas de conversação (25 dias em stand-by), ícones em grade, joguinhos pré-carregados e, dependendo do mercado, dados vindos do serviço Nokia Life Tools (previsão do tempo, informações de saúde, aulas de idiomas, notícias).

O modelo 101 tem três diferenciais: entrada para dois SIM cards, um tocador de MP3 com headset incluído, e slot para cartão de memória (até 16 GB). O Nokia 100 começa a ser vendido no próximo trimestre pelo preço sugerido de US$ 30/20 euros, e o Nokia 101, ainda neste trimestre, por  US$ 35/25 euros.

Pergunta retórica do dia: com 100 dinheiros para comprar um telefone e se conectar ao mundo, o que você compraria? Um Android de 80 dinheiros ou um Nokia dual-SIM de 25 dinheiros? 

 

 

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos