ZTOP+ZUMO 10 anos!

Gadget do dia: Destruidor de HDD Nittoh Crush Box HDB-20V

Dispositivo portátil promete destruir os dados do seu HD em menos de 20 segundos, permitindo assim o seu descarte seguro.

Não é de hoje que ouvimos histórias mirabolantes de HDs usados adquiridos no mercado de segunda mão que ainda continham arquivos de dados tanto pessoais quanto de empresas, o que caracteriza uma séria falha de segurança em um mundo cada vez mais digitalizado.

Para resolver esse problema foram criadas diversas soluções — e até normas técnicas regulamentadas — para o descarte seguro de HDs, o que podem variar de uma simples (e demorada) super-formatação por meio de softwares especializados até a destruição física do HD que é, na teoria, a maneira mais segura de acabar com seus dados no sentido mais exato da palavra.

Porém, falar é mais fácil do que fazer já que destruir um HD não é uma tarefa tão simples, já que apenas jogá-lo na parede ou dar-lhe uma surra com martelo pode até fazer com que ele pare de funcionar, mas isso não garantia de que sua mídia magnética não sobreviva.

Para resolver esse problema de maneira simples e rápida, a Nittoh Seiki Co. desenvolveu uma série de equipamentos de menor porte para uso departamental ou em pequenas empresas que são capazes de destruir um HD em menos de um minuto como o Crush Box HDB-20V:

Medindo aproximadamente 40,0 x 23,5 x 17,5 cm (LxAxP) e 12 kg de peso, ele é um dispositivo onde o usuário primeiro insere o HD de 3,5″ no seu compartimento lateral, baixa a trava de segurança e inicia o processo de destruição movimentando sua alavanca superior por umas 15 vezes, o que move um pistão hidráulico equipado com duas pontas que primeiro perfuram a mídia e depois ainda dobram o gabinete do disco na forma de “M” aumentando ainda mais o estrago. Ao fim do curso do pistão um pino localizado na base da alavanca sobe, indicando que o processo está finalizado.

O resultado final é mais ou menos este (note os dois furos que atravessam o disco (e as mídias internas de lado a lado):

Segundo a fabricante, o HDB-20V atende as normas americanas do DoD 5220.22-M e da NSA de modo que ele pode ser usado por agências do governo e órgãos militares, assim como pequenas empresas, oficinas de reparos, recicladores, departamentos de suporte de TI etc. onde a demanda por esse tipo de serviço não chega a ser alta, mas que é necessária de tempos em tempos.

Se comparado com a concorrência, trata-se de um equipamento elegante, simples, durável, relativamente compacto, fácil de operar e não consome energia elétrica!

Fora isso a empresa também fabrica a Crush Box HBD-15 um modelo ainda menor que funciona sob o mesmo princípio, mas que não atende as normas da NSA.

Em contrapartida, ela também é capaz de destruir HDs de 2,5″, CDs, DVDs, Blu-rays (até 5 por vez), disquetes, Zip disks, discos MO e até telefones celulares!

O Crush Box HBD-15 ainda vem com bolsa, o que facilita o seu armazenamento e transporte:

Legal né?

Tanto o modelo HDB-15V quanto o HDB-20V podem ser encontrados na loja Japonesa Logitech Direct (que aparentemente não tem nada a ver com a famosa fabricante de mouses e teclados) pela bagatela de 228.389 ienes (~R$ 6.424) e 288.361 ienes (~R$ 8.111) respectivamente.

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Leonardo Carneiro 14/10/2017, 14:08

    Parece ser algo realmente robusto e durável. Se os drives mudarem de formato e não der mais pra usar, ainda dá pra tentar quebrar castanhas.

    • Henrique Martin 15/10/2017, 13:27

      sempre dá pra usar uma furadeira!

      • Adriano De Lima 16/10/2017, 11:56

        Foi o que ouvi aqui também. kkkk

        • TakoKuOko 07/11/2017, 21:38

          Sempre usei furadeira… agora o “tanto” de empresa que da um wipe e descarta ainda é enorme.

          • Adriano De Lima 07/11/2017, 23:36

            Sempre acho um exagero destruir HDs. Normalmente nas empresas brasileiras HDs são descartados quando deixam de funcionar de fato.

          • Mario Nagano 08/11/2017, 08:21

            Quando um HD pifa aqui em casa, eu abro eles para retirar os magnetos que ficam na base do mecanismo do braço de leitura/gravação — eles são fortes pra burro!

          • Adriano De Lima 08/11/2017, 12:17

            Dá pra fazer muitas traquinagens com esses imãs.

          • TakoKuOko 13/11/2017, 19:51

            Olá Adriano! Não entendi o seu comentário… Você não acha desnecessário destruir o HD apenas pelo fato de que o OS já não mais consegue ler os dados armazenados?

          • Adriano De Lima 13/11/2017, 20:56

            Veja bem, há casos e causos…
            Já trabalhei em lugares onde os discos eram utilizados até pararem de funcionar mesmo. Além disso os dados sensíveis não ficavam armazenados nestes discos e é muito exagerado pensar que alguém vai pegar discos usados pra vasculhar informações sigilosas (talvez por nudes…) é ainda saber determinar o contexto daqueles fragmentos de dados recuperados. É claro que existem exceções…

          • TakoKuOko 13/11/2017, 21:16

            Ah, entendi… veja, vamos aos “causos”. Algumas empresas em que trabalhei como suporte, apesar das opções, recomendações, advertências, de que deveriam salvar os documentos nos seus respectivos diretórios departamentais, os funcionários destas empresas teimavam em salvar dados nos HD´s… ai já viu, deu pau no HD, já era. No entanto o alguns gerentes não se preocupavam em pensar qual seria o destino do dispositivo. Com relação à nudes, eu penso nas pessoas que levam os seus notes para reparo e não se preocupam em sequer formatar o HD.

          • Adriano De Lima 13/11/2017, 21:42

            Quanto aos nudes, minha opinião é bastante enfática. Não quer que outros vejam sua nudez, então não mostre, não tire fotos, nem grave vídeos! Simples assim.

          • TakoKuOko 13/11/2017, 21:59

            Concordo! Algumas pessoas reclamam privacidade mas fazem questão de ser exibicionistas…

          • Adriano De Lima 13/11/2017, 22:23

            Principalmente os mais famosos.
            Agora…
            Quem nunca trabalhando no suporte técnico não passou por situações constrangedoras com arquivos pessoais dos clientes. Sempre trabalhei com seriedade e sigilo, mas confesso que já ri muito destas situações.

          • Mario Nagano 08/11/2017, 08:28

            E isso sem falar daqueles que acabam na seção de itens “semi-novos” nos sucateiros da Sta Ifigênia.

    • Mario Nagano 15/10/2017, 20:36

      Tb tem uns produtinhos bem medievais a venda:

      https://www.youtube.com/watch?time_continue=43&v=ez3f_Ahk33Y

  • dflopes 14/10/2017, 18:16

    muito util em Brasília em tempos de lava jato.

  • Anderson Costa 16/10/2017, 09:40

    Aqui no Brasil, quando tal tarefa é necessária, eles utilizam uma furadeira de bancada mesmo, com broca de 10mm, e fazem pelo menos dois furos nos discos do HDD. Mas o mais seguro mesmo é desmontar o HDD e destruir integralmente as mídias e os módulos de memória cache, algo como moer os materiais. Há um caso antigo de um HDD que estava parcialmente danificado por fogo e que foi possível recuperar parte dos dados. Esse feito foi realizado pela Ontrack, mais famosa aqui no Brasil pelos softwares DDO (Dynamic Drive Overlay, utilizados em computadores sem suporte a HDDs superiores a 500MB – história bem velha). A própria Ontrack, na época, falou que esse foi o caso mais difícil que eles tinham enfrentado.

  • Highlander 17/10/2017, 23:52

    Martelar não resolve?

    • Mario Nagano 18/10/2017, 10:46

      O problema de martelar é que os discos magnéticos (que realmente contém os dados) estão naturalmente protegidos por um gabinete de metal e alumínio, de modo que eles podem eventualmente sobreviver intactos à uma surra de martelo — a não ser que a surra continue até despois do rompimento do gabinete e também chegue aos discos ao ponto de também destruí-los.