Nintendo 3DS: lançamento japonês e reações constrangedoras

N

Hoje o Nintendo 3DS chegou às lojas do Japão. E a reação dos jogadores foi muito diferente do esperado.

A Nintendo investiu muito pesado em mídia, para bombar o lançamento. Por exemplo, durante a exibição de Kamen Rider OOO e Gokaiger (populares séries de super-heróis, voltadas para a família), na manhã do domingo passado, foram 8 comerciais do console e dos jogos.

Todo esse esforço tem explicação. O japonês sempre foi maluco por games. Quando há um lançamento de peso, como algum game da cultuada série Dragon Quest, há filas que se formam com dias de antecedência, e as lojas abrem de madrugada para suprir a demanda.

Mas com o 3DS, a coisa foi bem diferente. Segundo agências internacionaissites especializados em games e a mídia local, as lojas abriram no máximo duas horas mais cedo que o de costume, e as filas, apesar de grandes, rapidamente se desfizeram. Encalhe de consoles? Muito pelo contrário.

Dessa vez, a Nintendo fez a lição de casa e armou uma estratégia de venda diferente com os lojistas. Inicialmente, o console foi colocado em pré-venda, na quantidade exata que a Nintendo podia entregar. Assim, quem queria o portátil no dia do lançamento se antecipou e foi buscar seu novo brinquedo na data marcada, sem afobação. Também muita gente comprou o aparelho em lojas online como a Amazon, o que ajudou a evitar as insanas filas. Estima-se que a Nintendo colocou no mercado 400 mil portáteis.

A estratégia foi muito melhor que a do lançamento do Wii, pois o console ficou em falta por quase dois anos, obrigando os consumidores, tanto do Japão quanto do resto do mundo, a peregrinar pelas lojas, muitas vezes sem sucesso.

O portátil foi lançado por ¥ 25.000, mais ou menos R$ 510, um valor considerável até para os padrões nipônicos. É exatamente o mesmo preço do iPod Touch, a plataforma portátil de games que mais ameaça o poderio da Nintendo. Para efeito de comparação, um PS3 custa em média ¥ 28.000 e o PSP, ¥ 21.000.

Nos EUA, o console será lançado 27 de março e custará US$ 250.

Com o lançamento se aproximando, a Nintendo também começou o bombardeio de mídia por lá. Mas os comerciais são um tanto exagerados…

Se esse tipo de vídeo é eficiente, os consumidores dirão. Os jogadores hardcore não engolem esse tipo de reação forçada, inclusive é o tipo de coisa que comentam no Twitter. Mas deve funcionar com a audiência formada por jogadores casuais.

Ou pelo menos inspira algumas risadas causadas pelo humor involuntário.

Sobre o autor

Jô Auricchio, editor convidado

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos