ZTOP+ZUMO (tech, opinião, inteligência)

Hands-on: Nespresso Expert (ou internet das coisas no seu café)

A Nespresso Expert é a mais nova máquina de café da marca, e o segundo modelo com conectividade Bluetooth a chegar às lojas (o primeiro foi a Prodigio). Mas você precisa de uma cafeteira conectada?

Nespresso Expert

A máquina segue o padrão de simplicidade da Nespresso: você insere a cápsula de café em uma ranhura na Expert, decide o volume de água para o café, a temperatura e aperta um botão. Pronto, o café saiu perfeito na xícara.

Na prática, a grande diferença de uma máquina mais profissional, como a Expert, em relação a modelos mais simples/baratos (como a Inissia meu modelo anterior)…

Nagano comenta: Então esse nome Inissia vem de “Inissiante?” ;-D

Viva o coador de meia!

…é o silêncio na extração (o ruído é menor na Expert), ter um fluxo de água quente separado e o fato de a máquina mais cara jogar sozinha a cápsula na gaveta após o café ficar pronto. A Expert também é o primeiro modelo a fazer café estilo Americano (=com mais água, o que não faz meu estilo).

Mas a pressão das máquinas, tanto as mais baratas como as mais caras, é a mesma: 19 bar, suficiente para tirar um café expresso cheio de espuma (como os italianos gostam!).

Para um dono de máquina de café expresso tradicional (leia-se: moer o grão, colocar o pó na manopla, fazer o café, lavar tudo depois, tirar pó de café da alma), a praticidade de uma Nespresso é gigantesca. A cápsula não faz sujeira, e é preciso limpar apenas resíduos líquidos dos recipientes (e jogar as cápsulas fora separar para reciclagem).

A Expert é uma máquina grande (pesa 4,4 kg!), com capacidade do recipiente de água para até 1,1 litro.

Na frente da máquina temos a saída de café/água quente, os botões giratórios de controle de água e temperatura, a gaveta de cápsulas usadas e um suporte removível de xícaras menores.

Os dois botões giratórios de controle mudam a indicação. No primeiro, ao centro, você define entre café ristretto (25 ml), expresso (40 ml), lungo (110 ml) e americano (25 ml de café e 110 ml de água quente). O ícone da gota permite extrair água quente de forma rápida pela máquina (para chás, por exemplo).

O outro botão giratório controla a temperatura da água (morna, quente, muito quente).

Vendo a saída de café da máquina, por baixo, dá para notar que são duas cânulas: uma para o café e outra para água quente. Assim, seu chá não corre o risco de ficar com gosto de café sujo.

Acima da máquina estão o botão de liga-desliga/início de extração (à direita) e a gaveta de cápsulas. Basta deslizar essa tampa prateada para a direita…

E ver o recipiente das cápsulas.

Depois da extração do café, a Expert joga automaticamente a cápsula na gaveta inferior.

Falando em cápsulas, uma pausa de pedido para a Nespresso Brasil: traga as cápsulas de café gelado para cá (só estão à venda na Europa, e são incríveis). É uma cápsula normal, só que você coloca duas pedrinhas de gelo na xícara. 

Tá, e a conectividade?

Liguei o Bluetooth do smartphone e após alguns segundos, o app Nespresso encontrou a máquina.

Em resumo, o app ajuda a:

  • controlar a descalcificação da máquina (algo comum na Europa e sua água “dura”);
  • controlar quantas cápsulas você tem e gerenciar seu inventário (mmm), além de comprar novas cápsulas online;
  • ajustar a quantidade de água para cada tipo de café (ristretto, expresso, lungo, americano), reduzindo ou aumentando o volume d’água.
  • mandar a máquina fazer um café ou programar para determinado horário (o que é interessante).

Na prática, a conectividade é mais um truque para impressionar os amigos (e as garotas) do que algo para usar todo dia. O que importa mesmo na Nespresso Expert é fazer café, e isso ela faz muito bem.

A Nespresso Expert começa a ser vendida hoje (04) pelo preço sugerido de R$ 999.

[Nespresso]

Nagano comenta:

Para quem acha que esse negócio de uma máquina capaz de tirar automaticamente um café fresquinho na hora de acordar é coisa de gente moderninha, há mais de 50 anos os bretões do Reino Unido e des suas colônias utilizam uma engenhoca chamada genericamente de Teasmade, uma mistura de relógio despertador com cafeteira e, no caso desse modelo Goblin D.23C de 1951 tinha até a função de abajur:

A sua máquinha de Nespresso tem isso?

O mais curioso é que a fabricante desse produto — a Goblin — existe até hoje produzindo diversos modelos mais ou menos hi-tech:

Até Mr. Bean tem o dele:

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

  • meu sentimento sustentável ainda não permite comprar uma máquina de cápsulas.
    Ainda não estudei o ciclo do produto – e precisaria saber onde destinar o resíduo.

    e Moka é vida!!!
    😀
    https://images-na.ssl-images-amazon.com/images/I/41169ZAI08L._SY355_.jpg

    P.S.: Esse café americano não passa de um cháfe,
    é muito aguado, por isso os copos da Starbuck são daquele tamanho – precisa tomar litros pra obter a mesma cafeína de um pingado.
    https://i.pinimg.com/originals/c0/97/21/c09721ce141f3ab5c265ff3dec8f4641.jpg

    • Henrique Martin

      essa cafeteira italiana é o único tipo de café que eu não gosto 🙁

      • Henrique Martin

        sobre a reciclagem: a máquina vem com um saquinho para guardar as cápsulas e devolver na loja para reciclar

    • Mario Nagano

      Essa cafeteira de cima é coisa de europeu fresco.

      O tradicional café aguado americano legitimo é feito num Farberware Classic Stainless Steel Yosemite 8-Cup Coffee Percolator!!!

      https://uploads.disquscdn.com/images/2ef1484e9d9531f5ac7e055f1fcb9cac3809c9e6bd3aeaf7f72c94eb6b9ff23d.jpg

      Reza a lenda que os americanos aprenderam a tomar café ruim graças a essa engenhoca.

    • Gabriel Resende

      Segundo o marketing da Nespresso, se devolvermos as cápsulas na loja, elas são totalmente recicladas: tanto o alumínio quanto o resto do pó do café.

      • mas não tem nenhuma loja “oficial” nespresso aqui na cidade.
        Onde deveria levar as cápsulas a serem descartadas?

      • Leonardo Carneiro

        Até tentei fazer isso. Fui guardando as capsulas em um saco plástico, pq não passo na loja da nespresso todo dia. Depois de 15 dias no saco, quando fui colocar as capsulas que ainda estavam na máquina para levar na loja, percebi que tinha se criado um ecossistema auto-sustentável inteiramente novo dentro do saco, com direito a vários fungos e outros mosquitinhos voadores e lesminhas. Não estou afim de ficar criando isso em casa.

        • Mario Nagano

          Nespresso é vida!

          • Adriano De Lima

            Literalmente…. Eca!

  • Adriano De Lima

    Essa matéria foi tão legal que vou ali na copa pegar mais um copo do precioso soro do despertar! (feito no modo tradicional em coador de pano!)

    • Mario Nagano

      É isso ai companhero — Viva o coador de meia!!!

      • Adriano De Lima

        Kkkkkkkk!
        Tem gente que diz que deste modo o sabor é mais intenso…

        • Mario Nagano

          E isso sem falar no aroma (de queijo) — Haw haw haw!

          • Adriano De Lima

            Dude… No!
            Café com queijo é coisa de mineiro. (como também) Kkkkkkk
            Paulista come café com bolacha.

        • Henrique Martin

          no coador é mais forte