ZTOP+ZUMO

NeroKwik quer ser o conector universal de fotos no smartphone

O Nero Kwik, da Nero Software (sim, aquela para gravar CDs), quer ser uma espécie de app universal para compartilhar fotos entre diversos smartphones de distintas plataformas. O aplicativo, com versão gratuita, já funciona com iOS e Android, e em breve chega ao Windows 8 e Windows Phone.

Fui ver uma demo ontem no fim da tarde no MWC 2013 com Stefano Miotto, diretor de serviços técnicos da Nero, e o Kwik me pareceu bem legal. A ideia é simples: você baixa o app na App Store da Apple ou no Google Play (lista de dispositivos compatíveis no site da empresa) e ele organiza as fotos no seu dispositivo primário (crie uma conta e tal para poder ver em outros aparelhos: a versão gratuita funciona apenas em dois telefones/tablets; a paga não tem limite de aparelhos).

E o que o Kwik faz? Não é um backup online das fotos: o programa envia para o servidor uma miniatura (thumbnail) das fotos armazenadas. Quando você se conecta a outros aparelhos, a ordem das imagens será a mesma. Dá para criar novos álbuns e compartilhar no Facebook, por exemplo.

DSC04817

Mas a integração de fotos entre dispositivos é apenas um primeiro passo. Em breve, o Kwik vai conseguir acessar também fotos na sua conta do Facebook e, em um segundo momento, do Instagram também. Mas tem um porém: para ver as fotos, o aparelho onde elas estão armazenadas precisa estar online.

DSC04818

Outra função bacana do Kwik é poder compartilhar álbuns com pessoas selecionadas – sua namorada, por exemplo. Crie um álbum e libere acesso e só vocês podem ver. Ou aquele caso clássico de festas em que um monte de gente tira fotos e ninguém envia depois.

DSC04819

A ideia do Kwik é simples e direta ao ponto. Não é um substituto de um serviço na nuvem, como Dropbox ou Google Drive, mas é um modo rápido de ver imagens favoritas em vários aparelhos simultâneos, desde que tenham conexão à internet. A versão para Windows 8 sai nos próximos meses, assim como a para Windows Phone.

DSC04826

O NeroKwik é gratuito para iOS e Android, e uma versão paga (entre US$ 1,99-3,99) amplia o número de aparelhos conectados.

 

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin