Moto Z10: 3G com fabricação local

M

Minha vida e a da Motorola vivem se trombando. Hoje fui até a sede da empresa em São Paulo para falar de outros assuntos relacionados a celulares e, poxa vida, percebi que fui um tanto injusto ao falar do Motorola MOTO Z10. Mexi um pouco com o aparelho e ele é incrí­vel (acho que a última vez que pensei isso de um Motorola foi ao ver o RAZR original alguns anos atrás).


O design do Z10 é excepcional. A parte traseira, toda em metal, combina direitinho com a frente em preto. Fechado, o aparelho está todo na vertical, certo? Deslize o slider para cima e uma pequena parte móvel “entorta” o aparelho, deixando o Z10 meio curvado, para se ‘adaptar’ ao rosto de quem fala. A câmera de 3,2 megapixels é rápida, muito rápida – pode até tirar 15 fotos na sequência e a pessoa fotografada nem percebe. E roda Symbian/UIQ, que abre um mundo de possibilidades para instalar novos programas e brincar com multimí­dia – entre os serviços em conjunto que devem ser oferecidos com o Z10 nas redes 3G é a capacidade de envio automático das fotos para blogs e Flickrs da vida – bom pra esvaziar o cartão de memória.

Boa notí­cia: o Z10 começa a ser fabricado no Brasil pela Motorola ainda neste semestre, para aproveitar a vindoura onda de lançamentos 3G por parte das operadoras, segundo Edson Bortolli Jr, diretor de marketing de produto da Motorola Brasil.  O Z10 não tem preço definido ainda e deve chegar í s lojas no meio do ano.

Vi um ROKR E8 lá também. Era um protótipo ainda, com teclado em chinês. A parte frontal do celular é toda em vidro reforçado, e os leds mudam de acordo com a função. Funciona direito, mas preciso ver o produto final para ter certeza do que acho do aparelho.

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos