ZTOP+ZUMO 10 anos!

Moto X4 dá as caras (e eu perdi a conta)

A Motorola anunciou hoje na IFA 2017 seu novo Moto X4. Sim, a linha “premium acessível” (e que teve muitos fãs nas suas duas primeiras gerações; a terceira foi bem sem graça) volta a existir no lineup de produtos da fabricante.

Mas faz sentido um Moto X em 2017?

Vendo rápido as especificações técnicas do Moto X4, nada chama muito a atenção: processador Qualcomm Snapdragon 630 de 2.2 GHz (octa-core), 3 GB de RAM, tela de 5,2″ Full HD, 32 GB de armazenamento, bateria de 3.000 mAH com carga rápida, Android 7.1 (poxa, até a Sony já tem lançamento com Android 8! A Quantum tem um com 4 GB de RAM!).

O que tem de diferente (mais ou menos): a câmera dupla na traseira – uma com sensor de 12 megapixels Dual Autofocus Pixel (f/2.0) e outra de 8 megapixels grande angular (f/2.2) -, a câmera frontal de 16 megapixels de resolução e o acabamento do smartphone, com metal e vidro e proteção IP68 contra água e respingos, nas cores preto e azul.

E tem Alexa, a assistente virtual da Amazon, integrada (recurso que não vai funcionar no Brasil em português tão cedo), mais alguns truques de software (como desbloqueio de senhas de sites com a digital, chamado Moto Key).

Na prática, é um Moto G5S com esteróides. E a existência do Moto X novo é debatida faz tempo (ouvi falar dele primeiro no lançamento do Moto Z, em junho do ano passado).

Por que me sinto perdido na linha 2017 da Motorola?

Da simplicidade de poucos modelos anos atrás (E, G, X), um para cada público (entrada, intermediário, high-end) fomos para uma sopa de letrinhas: Moto C, Moto C Plus, Moto E4, Moto E4 Plus, Moto G5, Moto G5 Plus, Moto G5S, Moto G5S PlusMoto Z2 Play, Moto Z2 Force e agora o Moto X4.

Quatro modelos de entrada (C, C Plus, E4, E4 Plus) quatro intermediários (G5, G5 Plus, G5S, G5S Plus), dois intermediários premium (X4 e Z2 Play) e o premium (Z2 Force, que reza a lenda que risca a tela fácil). Sem contar os aparelhos de 2016, que continuam à venda (Z, Z2 Play etc etc etc.).

Não estou desdenhando da Motorola, fico triste em escrever este texto: ela tem um histórico excelente  de bons aparelhos e design incrível, ainda mantém o Android simples e sem frescuras. A linha Moto Z provou que módulos podem dar certo no smartphone (e fez a LG mudar de estratégia para seus flagships).

Sinto que, após a troca de dono (Google pela Lenovo), voltou a urgência de aumentar muito o portfolio e canibalizar seu próprio mercado (tanto que não vemos mais smartphones com a marca Lenovo Vibe no Brasil: tudo é Moto).

Se em 2014/2015 alguém perguntava se o Moto G era bom, era indicação certa: só tinha um modelo.

Hoje acho todos iguais. A identidade visual da Motorola é a mesma (máxima válida para a Sony também), nem existe mais a opção de customizar cores do aparelho: leitor de impressões digitais na frente, corpo metalizado/plástico, câmera envolta em um círculo atrás. O X4, pelo menos, tem vidro e metal, o que diferencia um pouco – e um detalhe de ranhuras em torno da câmera que parece um barbeador elétrico.

Em tempo: o Moto X4 começa a ser vendido na Europa em setembro, pelo preço sugerido de 399 euros e em breve no resto do mundo.

[Moto]

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

  • marcelomartins

    Como bem dito, as 2 primeiras gerações foram a frente do seu tempo. O resto: blé

    Tive as 2 primeiras gerações inclusive. A segunda especialmente foi um espetáculo. Tela grande pra época. Corpo pequeno. Alto falante frontal. Processador top. Preço de mid range. Só acerto.

    • E a bateria era uma merda 😂

      • marcelomartins

        Eu não tive problemas. Fiquei mais de 1 ano com cada um deles.

      • Igor

        a bateria realmente era uma merda, mas tinha um bom carregamento rápido, então não fazia muita diferença pra quem tinha uma tomada próxima (ou comprasse aquelas baterias portáteis)

    • Igor

      minha sogra herdou um Moto X 2 de minha esposa já com 2 anos de uso e usou mais de um, numa boa, rápido pra cacete, até que roubaram (uma pena) – antes ela usava um antigo iPhone 4 e passou a usar bem mais celular com o X 2

      agora tá com um Moto G 4 (foi o que conseguiu comprar) que é mais lento que o seu antigo X 2

  • Leonardo Carneiro

    a motorola samsungzou

  • Eduardo o Guimaraens

    Ainda guardo em excelente estado o meu x2

  • Adriano De Lima

    É impressão minha ou esse aparelho perde um tudo pra um Zenfone 3 (pro) lançado ANO PASSADO!?

  • Igor

    é uma pena a Motorola ter se inspirado na Samsung… antes tinha derrubado preços (inclusive da concorrência) e feitos aparelhos incríveis em 2013/14

    ps.: torço que a Lenovo não fique mudando novamente o nome da Motorola

  • Leonardo D Monkey

    revolucionário ! , apenas 1 auto falante … porque nenhum outro fabricante copia isso ? …