5 minutos com Moto G (2015)

5

Comprar um smartphone novo, principalmente Android, é um processo confuso porque falta consistência na oferta de cada fabricante. Por isso tem gente que não larga um iPhone: sua experiência de uso, no geral, é consistente de uma geração para outra, com melhorias gerais em hardware e também no software.

A Motorola me parece – num feito único – criar essa consistência com sua linha de produtos Moto G, agora na sua terceira geração, anunciada ontem e já à venda no Brasil.

Consistente?

Sim: experiência de software simplificada ao máximo com hardware eficiente (não necessariamente topo de linha), design parecido ao longo dos anos. Visto de frente, o novo Moto G não difere muito das sua encarnação de 2014 (a de 2013 era um pouquinho mais básica, sem alto-falantes estéreo frontais). Se você tem o modelo do ano passado, não vai notar muita diferença ao pegar no aparelho.

moto g 2015  - 1

Até mesmo formato e peso não mudaram muito em relação à geração 2014. Um pequeno upgrade no processador (nota: é o mesmo usado no modelo de entrada Moto E, mas com velocidade um tiquinho mais rápida), todos modelos com 4G integrado e uma interessante opção de configuração com mais RAM (2GB, que vale a velha máxima: quanto mais RAM, melhor).

Toda a linha 2015 da Motorola – sem exceções – é compatível com 4G, e todas as variantes do Moto G novo tem entradas para dois SIM cards de operadoras (o que prova que o dual-sim venceu a barreira de resistência das empresas de telecomunicações)

Nas configurações, além do novo processador, as grandes novidades são a câmera de 13 megapixels (que a Motorola diz ser melhor que a das gerações anteriores), um pequeno aumento na capacidade da bateria e a proteção IPX7 contra água (1 metro de profundidade até 30 minutos, mas não é pra mergulhar com o aparelho, né). Recebi pra testes o Moto G 2015 com 2GB de RAM com frente preta/traseira rosa e 2GB de RAM, sem TV digital.

Abaixo uma comparação entre os Moto G de 2015 (terceira geração) e 2014 (segunda geração).

moto g 2015 specs - 1

Voltando ao produto: alto-falantes estéreo na frente, câmera para selfies de 5 megapixels…

moto g 2015  - 2 moto g 2015  - 3

E um acabamento curvado que lembra – de longe – seus irmãos maiores da linha Moto X 2015. Embaixo tem o conector microUSB…moto g 2015  - 4

…e em cima, a entrada pra fones de ouvido.moto g 2015  - 5

Seguindo o padrão Motorola, na lateral direita temos o botão de liga/desliga e o controle de volume.
moto g 2015  - 6

A grande mudança de design do Moto G 2015 é a parte traseira: a câmera agora é cercada por uma estrutura de alumínio. O acabamento da capa traseira mudou também, com uma textura emborrachada. Por conta do anúncio da chegada do serviço de customização MotoMaker, da Motorola, ao Brasil, é possível escolher duas cores pra frente (branco ou preto), a cor da proteção da câmera, a capa traseira e itens de hardware (RAM/TV etc.). Segundo a Motorola, são mais de 3.200 opções de combinações possíveis.
moto g 2015  - 7

Ah sim: o MotoMaker também permite gravar uma mensagem personalizada na traseira. Essa é a que veio na minha unidade. moto g 2015  - 9

E tem a câmera, minha principal curiosidade com o Moto G novo. Tem uma resolução maior (13 megapixels) e, diz a Motorola, é a mesma do Nexus 6 (aparelho da Motorola que não foi lançado aqui). Como o Moto G é um aparelho consistente, devo focar mais nos benefícios da câmera em um vindouro review.

moto g 2015  - 8

O flash traseiro é um Dual LED, com dois tons para equilibrar as cores. Um truque interessante de software do Moto G novo é que ele finalmente incorporou a “balançadinha” para ativar a câmera (algo vindo do Moto X original de 2013) e traz uma nova brincadeira: agite o aparelho duas vezes para ligar a lanterna.

moto g 2015 - flash  - 1

Removendo a capa traseira do Moto G…moto g 2015  - 10

…vemos do lado esquerdo os slots para um chip de operadora e um cartão microSD (até 32 GB) e do outro lado o outro slot para SIM card de operadora. Diz a Motorola que o uso de dual-SIM é inteligente e o consumidor, tendo os dois SIM cards instalados, decide qual usar para dados via software – a outra linha fica disponível apenas para voz.

moto g 2015  - 11 moto g 2015  - 12

Vale notar também que a tampa traseira tem essa proteção para os slots, que ajudam a fechar o compartimento traseiro contra água (graças ao IPX7). moto g 2015  - 13

O software

moto g 2015 telas   - 1

Com o novo Moto G, a Motorola manteve as coisas simples, e isso é ótimo. Nada de interfaces que adicionam recursos e deixam o aparelho mais lento, nada de apps de terceiros instalados, só o básico. São apenas DUAS telas de apps (uau). Tem o básico do Google instalado, alguns apps da Motorola e só.

O Android utilizado é o 5.1.1.

(nota do Henrique: capturei essas telas antes de inserir minha conta do Google no aparelho; a Motorola já liberou alguns updates para esse dispositivo que estou testando).

moto g 2015 telas   - 2 moto g 2015 telas   - 3 moto g 2015 telas   - 4 moto g 2015 telas   - 5 moto g 2015 telas   - 6

Em tempo: o Moto G 2015 já está à venda com preços iniciais sugeridos em R$ 849 (8GB internos, 1 GB de RAM), mas o valor final varia de acordo com a customização feita no MotoMaker (caso, claro, você compre direto da Motorola – Varejo e operadoras terão modelos sem personalização, óbvio).

[Motorola]

Em tempo 2: brinquei com o MotoMaker e criei um “Moto G do Henrique”: frente branca, traseira Azul Navy, detalhes em Laranja, capa opcional amarela. Não botei mensagem 🙂

Captura de Tela 2015-07-29 às 11.07.59

 

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

<span class="dsq-postid" data-dsqidentifier="100035 http://www.ztop.com.br/?p=100035">comentários</span>

      • Dou como sugestão ao redator pesquisar um pouco mais algumas informações antes de colocar o post no ar ou responder alguns questionamentos:

        Primeiro os alto falantes frontais não são estéreos na terceira geração do Moto G (2015).

        Segundo, na pergunta do rapaz logo acima, os dois chips são si compatíveis com o 4G e não há necessidade de troca física do slot quando a franquia do chip 1, por exemplo, terminar. O que acontece é que lá em configurações você deve selecionar qual chip é o 4G ativo. Obviamente selecionando, por exemplo, o chip 1, o chip 2, enquanto o 1 estiver selecionado, só receberá chamadas de voz…

  • No modelo com TV, a Motorola acabou com aquele rabicho ridículo e ruim, que ela chamava de antena? Aquilo “mata” o visual e a praticidade do modelo. Além do mais a imagem e recepção perde feio dos modelos da LG e Samsung, que tem a antena incorporada no aparelho. Bola fora da Motorola!!!

    • então, mas bola dentro da Motorola: o modelo com TV Digital usa sinal Full Seg

      • Henrique, por favor, tire uma dúvida, se possível: A versão com TV é 1gb ou 2gb de ram? Porque procurei em vários lugares e não achei essa informação.

  • Já posso imaginar andando no trem, vendo gente com esse aparelho escrito na traseira “foi deus que me deu”.
    Paciência.

    • Também podem escrever “Modelo de 1 GB de RAM” e o meliante pode pensar se vale a pena cometer o delito

    • sim. entra lá no site da Motorola, dá pra brincar com as configurações

  • Bem confuso esses posicionamentos de preço, deve ser um parto saber qual Moto G vem com 2GB de Ram nas outras lojas que não a da Motorola. Pra mim devia ter deixado 1GB de Ram só nos 8GB de espaço mesmo e pronto. No mais vou esperar Asus e Xiaomi se pronunciarem antes de comprar um novo celular.

  • o moto G 3º geração tem flash frontal ?
    E é um bom aparelho ?

    • Deka, nao tem flash frontal. Essa é uma exclusividade do Moto X Style 2015, a versão topo de linha dos Moto X que deve custar na casa dos R$ 1.799,00 e tem uma configuração bem mais robusta que os outros aparelhos lançados.
      O moto G 2015 eé um aparelho incrivel mas tudo depende do uso que voce vai ter pra definir se esse seria o aparelho mais recomendado no seu caso.
      Eu comprei um pra minha mãe pois ela usa basicamente pra navegação simples, fotos e redes sociais.

  • A fabricante liberou o modelo 2Gb para todos os sites testarem e, obviamente, elogiarem o desempenho. Dessa forma, quem procurar informação mas não se atentar muito em detalhes (apenas para balizar uma compra) vai ao varejo, onde sequer informa-se a memória dos modelos 1Gb e o cliente vai pra casa esperando o “excelente desempenho, a fluidez maravilhosa” e vai se deparar com a minha experiência do modelo de 2014: comprar após ler reviews elogiosos ainda com Android 4.4.4 e comprar já atualização liberada para 5.0.2 e ter como experiência um aparelho lento, bugado e muito adepto de travamentos.

    • Marcos, nesse caso o problema é de software mesmo. O 5.0.2 é problematico, tanto que no Moto X de primeira geraçao a Motorola pulou esse update indo diretamente para o 5.1.
      Pelo que andei lendo, o update deve chegar em breve e corrigir os erros e lentidão do teu aparelho.

      • Vendi, Maiquel. A fabricante, antes de liberar atualização, deveria fazer testes conclusivos de desempenho. Não fez, liberou, ferrou muita gente…

        • Estou nessa mesma situação, achando até que fosse algo só com o meu aparelho… Espero que o update venha logo.

          • Tb pensei o mesmo, pois os sites diziam tantas maravilhas do Moto G que “só podia ser defeito da unidade”, mas não era. Neste de 3ª geração, o que vai ter de ingênuo comprando gato (1Gb) por lebre (2Gb), pensando que terá um “ótimo desempenho”… No varejo, nem citam a memória dos modelos mais populares (leia-, mais baratos). Exalta-se câmera, ipx7, 4G. Quem entende minimamente, não se permitirá enganar, mas tantos leem artigos na web e creem piamente e vão às lojas comprar depois (o detalhe aqui é que toda a imprensa só recebeu o modelo com 2Gb para testar, mas os desatentos vão achar que “é tudo a mesma coisa”).

  • Boa tarde,

    Sem querer criar flame war. Usei iPhone nos últimos 2 anos, o meu ainda é o 4. Está no finalzinho da vida e preciso trocar de aparelho.

    COm o preço do iphone do Brasil não vou ficar com ele.

    Minhas experiências no passado com Android não foram muito boas principalmente devido ao so vir carregado de aplicações e lento. Prezo pela simplicidade mesmo e pelo o que li até o momento essa 3ª geração do Moto G vai me atender bem.

    Uma alternativa nessa mesma faixa de preço seria o Zenfone?

    Bom domingo para vocês.

  • Caras, vcs são demais. Henrique e Nagano, matérias “cheias”, leitura altamente informativa e madura. Tem um site aí (cof! Info cof! cof!) que se tivessem vcs na redação, não estaria tão ruim das pernas…

  • Parabéns pelo hands-on.
    Pergunto se o Xiaomi ou Asus Zen Fone não pode ser um concorrente ao Moto G, por vir com hardware semelhante?

    MAs o Moto G não era um mid-level com preço TAMBÉM intermediário?

    Sobre consistência, fale com a samsung. Precisa de um mapa pra entender tantas versões mid-level. As high end são mais definidas, pelo menos: Galaxy S6 Flat/Edge e Note 4 (ainda esperando a versão S6 Zoom com flash de verdade – xenon)

  • Infelizmente comprei o modelo de 16gb e com 1gb de ram. O celular não trava nem nada, só que usa uns 60% de memória, se a caso vir uma atualização pro android 6.0 o meu moto g3 vai ficar travando e lento?

    • Só lembro da moça falando que conseguia um mais barato pra mim :’)

  • Oii.. que cor é essa do detalhe da proteção da camera? Não estou achando no Moto Maker…

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos