Microsoft pula fora da fusão com Yahoo!

M

(ou “a defesa Chewbacca de Steve Ballmer“)

Éeee, então, lembra o papo de que a Microsoft ia fazer uma proposta hostil aos acionistas do Yahoo! para levar a empresa í  força? Não deu nada, literalmente, nesta noite de sábado (no meio do feriado – pra nós, claro).

A Microsoft anunciou neste sábado (3) í  noite que resolveu retirar a proposta feita para adquirir o Yahoo!.

Diz Steve Ballmer, executivo-chefe da Microsoft, em um comunicado oficial:

“Continuamos a acreditar que a proposta fazia sentido para a Microsoft, Yahoo! e para o mercado. Nossa meta em se unir ao Yahoo! era de ampliar as opções e inovação no mercado e criar real valor para nossos acionistas e funcionários.

Apesar de nossos esforços, incluindo o aumento da oferta em quase US$ 5 bilhões, o Yahoo! não se manifestou em aceitar nossa oferta. Após cuidadosa consideração, acreditamos que o valor pedido pelo Yahoo! não faz sentido para nós, e nos melhores interesses dos acionistas da Microsoft e seus funcionários decidimos retirar nossa proposta.

Temos um time talentoso e um plano para seguir e aumentar nossos negócios por meio de novos serviços inovadores e transações estratégicas com outros parceiros de negócios. Embora o Yahoo! teria acelerado nossa estratégia, estou confiante que podemos continuar seguindo nossas metas.

Em tempo: o PaidContent reporta que a Microsoft ofereceu no máximo US$ 33 por ação, o Yahoo! queria US$ 37. Esse foi a “falta de sentido” notada por Ballmer.

Kevin Johnson, presidente da Microsoft para plataformas e serviços, completa:

Estamos investindo pesado em novas ferramentas e experiências na web, melhoramos dramaticamente nosso desempenho em buscas e na satisfação do anunciante, e continuaremos a ampliar nossa escala por crescimento orgânico e parcerias.

O comunicado oficial segue com uma carta de Ballmer a Jerry Yang, CEO do Yahoo!, onde agradece pela consideração com a proposta, diz estar desapontado com o rumo que o processo levou e lamenta que nem mesmo o fato de ter aumentado a proposta levou a uma mudança nos rumos da negociação yada yada yada.

Quem ganha? Bem, nessa hora o pessoal do Google deve estar dando pulinhos de alegria. Hoje o mercado de buscas e publicidade online é dominado pelo Google, posição que acredito que será ameaçada se surgir um concorrente extremamente inovador (alguma sugestão?) em um mercado que muda de tempos em tempos (vide caso Netscape ou buscadores como o próprio Yahoo! e o Altavista)

Quem perde? A Microsoft, por deixar de ganhar uma força extra no mundo online.

E o Yahoo!? Os funcionários devem estar dando pulinhos de alegria também. Os acionistas, nem tanto. Mesmo com resultados positivos no primeiro trimestre do ano, é caso de observar o que vai acontecer. Aposto em mais uso de Google como plataforma publicitária e de busca e, em um chute futurológico enorme, a sua lenta transformação em um grande portal de serviços e conteúdo, estilo AOL. (yay, Flickr salvo por enquanto!)

Para quem quer ler em inglês outras informações sobre o caso Microhoo, o TechCrunch publica alguns detalhes mais obscuros da negociação e um e-mail de Ballmer para os funcionários da Microsoft.

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos