ZTOP+ZUMO

Meus dois centavos sobre o Quantum Go

Eclipsado no meio de tantos lançamentos, o novo Quantum Go é um smartphone que merece um pouco mais de atenção.

Já faz algum tempo que recebi para testes um Quantum Go, novo smartphone comercializado pela empresa de mesmo nome e que tenta replicar por aqui o modelo de negócios de vendas diretas ao consumidor (pero no mucho) adotado por empresas como Asus e Xiaomi.

Como o Henrique já deu uma geral do produto logo após o seu lançamento, não era nossa intenção fazer um review “à moda da casa”. Mas depois de ser trollado incentivado por um colega que realmente queria ouvir uma opinião nossa sobre esse novo produto, resolvi fazer algo mais simples baseado em alguns testes que tinha feito por conta e “para consumo interno”.

Dito isso, então senta que lá vem história:

Para quem não sabe — ou ainda não percebeu — a Quantum é uma nova unidade de negócios da Positivo Informática que, apesar da sua longa tradição no nosso mercado não é considerada uma marca premium se comparada, por exemplo, com aquela empresa com nome de fruta.
Quantum_Go_deitado

De fato, no início deste ano a Positivo colocou no mercado um smartphone muito parecido com o Quantum batizado de Octa X800 sendo que muitas das suas especificações técnicas são muito parecidas com a do Quantum, apesar desta última ser visivelmente uma plataforma bem mais avançada e moderna — Viva a lei de Moore!

Quantum_Go_x_OctaPara facilitar esse raciocínio eu montei a tabelinha abaixo para que possamos comparar esses dois modelos e a grande surpresa do ano passado no segmento intermediário — o Zenfone 5 da Asus, que compete na mesma área do Quantum:

Quantum Go Positivo Octa Zenfone 5
Anunciado em 03/set/2015 24/fev/2015 16/out/2014
Preço sugerido
(versão analisada)
R$ 899
(4G/32GB)
R$ 650~800 R$ 599~769
(8GB/1,6 GHz)
Tela 5″ AMOLED
1.280 x 720
5″ LCD IPS
1.280 x 720
5″ LCD IPS
1.280 x 720
SoC MediaTek MT6753
1,3 GHz
MediaTek MT6592
1,4 GHz
Intel Atom Z2560
1,6 GHz
Núcleos de
processamento
Octa Core Octa Corte Dual Core com HT
(~ quadcore)
GPU ARM Mali T720 ARM Mali 450 PowerVR SGX 544MP2
RAM 2 GB 1 GB 2 GB
Armazenamento
interno
32 GB 8 GB 8 GB
Slot Micro SD Sim Sim Sim
Modem celular Dual SIM 4G Dual SIM 3G Dual SIM 3G
Wi-Fi / bluetooth / NFC sim / sim / não sim / sim / não sim / sim / não
USB OTG sim n/d sim
Camera frontal 5 MP 5 MP 2 MP
Camera traseira 13 MP 13 MP 8 MP
TV Digital sim (via acessório) não não
Sistema Operacional Android 5.1 Android 4.4 Android 5.0
Bateria 2.300 mAh 2.000 mAh 2.110 mAh
Dimensões (LxAxP em cm) 7,5 x 14,5 x 0,65 7,0 x 14,0 x 0,79 7,28 x 14,82 x 1,03
Peso (em gramas) 115 150 140

 

Para mim, o que essas especificações me dizem é que o Octa X800 tinha tudo para ser o mata-Zenfone 5, mas graças ao velho costume do pessoal de Curitiba de tirar todos os excessos para chegar na melhor relação de “custo x benefício”, fez com que ela economizasse em um item que realmente ajudou o pessoal da Asus a emplacar o seu produto: a quantidade de RAM. É um detalhe visto com certo desdém pela concorrência, mas que se mostrou ser algo mais relevante nos dias de hoje do que capacidade de processamento propriamente dito.

Já o Quantum Go aparentemente sanou essa deficiência, adicionando muuito mais memória Flash, RAM e uma bateria um pouco mais potente.

Com relação a sua apresentação, design e ergonomia, o Quantum é um produto realmente bonito, formado por elegantes linhas retas e o uso de vidro Gorilla Glass tanto na frente quanto atrás do produto.

Quantum_Go_back1

Observo porém que o uso de vidro em ambos os lados do aparelho faz com que ele seja meio “escorregadio” deslizando sem aviso quando colocado sobre uma superfície meio desnivelada, o que pode levar a acidentes inesperados. Sintam o problema na dramatização abaixo:

A melhor solução neste caso é usar uma das capinhas oferecidas pela empresa ou colar alguma etiqueta feita de algum material mais anti-derrapante como no exemplo abaixo (que veio com uma fruta de brinde):

Quantum_Go_back2

Eu particularmente gostei da sua borda levemente curva (que melhora a sua pegada) que à primeira vista parece ser de metal, mas é na realidade policarbonato (=plástico). Para mim, a escolha por esse material mostrou ser acertada já que, ao contrário do metal, ela resiste melhor às batidas sem deixar marcas (quem leu o post do Henrique sabe do que estou falando).

Apesar disso, gostaria de chamar a atenção para a estranha posição do slot Micro SD e do controle de volume que praticamente empurrou o botão de liga/desliga quase para o meio da moldura, numa posição pouco ergonômica, diga-se de passagem:

Quantum_Go_OLED_botoes_leg

Outro destaque desse aparelho é sua tela AMOLED de 1.280 x 720 pixels, que produz cores mais saturadas e funciona de maneira diferente do LCD…

Quantum_Go_OLED_tela_cor

… já que seus pontos de imagem realmente emitem luz (ao contrário do LCD que depende de uma fonte de luz traseira) o que também resulta num painel mais fino e eficiente em termos de consumo de energia.

Quantum_Go_OLED_cor

O interessante é que o Quantum Go possui um curioso modo de economia de energia que pode ser acionado quando o nível da bateria cai para menos de 15%, o que faz com que a tela fique monocromática…

Quantum_Go_OLED_tela_mono

… ou quase, já que, como nas jato de tinta os tons de cinza são obtidos por meio de pontos coloridos de menor intensidade, sendo que o preto absoluto é obtido simplesmente desligando o ponto de imagem:

Quantum_Go_OLED_mono

Para quem não sabe, até onde sei a grande desvantagem deste sistema é que o painel de AMOLED tem uma vida útil relativamente curta (segundo a Wikipedia ~14.000 horas para perder metade do brilho) se comparado com outras tecnologias como o LCD (25.000 ~ 40.000 horas) o que no nosso caso não faz muita diferença já que, muitos usuários trocam de aparelho bem antes disso.

Outro recurso que vale a pena ser comentado é a câmera do Quantum Go cujo sensor de imagem modelo S5K3M2 é um modelo CMOS de 13 MP produzido pela Samsung cujo grande atrativo é o uso da tecnologia ISOCELL cuja primeira versão de 8 MP foi usada no Galaxy S5.

Segundo a Samsung, o ISOCELL é uma evolução da tecnologia BSI cujo sensor adota um novo desenho que aumenta a quantidade de luz capturada, melhorando assim o seu desempenho em ambientes mal iluminados. O que a Samsung desenvolveu em cima disso foi criar uma espécie de barreira física entre os sensores vizinhos, isolando assim o pixel de imagem o que aumenta a precisão da informação capturada já que a mesma não “vaza” para os pixels vizinhos.

Quantum_Go_foto1

O resultado dessa tecnologia é um maior nível de detalhamento da imagem, o que algo muito atraente para um smartphone na sua faixa de preço:

Quantum_Go_foto1a

Detalhe em 100%

Quantum_Go_foto1b

Detalhe em 100%

Aqui mais alguns exemplos:

Quantum_Go_foto2

 

Quantum_Go_foto2a

Detalhe em 100%

Quantum_Go_foto5

Quantum_Go_foto5a

Detalhe em 100%

Outro recurso bem interessante dessa câmera é que ela possui um modo de altíssima resolução — batizado sem nenhuma modéstia de “Quantum resolution” — que eleva sua resolução nativa de 13 MP (4.160 x 3.120 pixels)…

Quantum_Go_foto3

Clique para abrir na resolução máxima.

… para uns 24 MP (5.696 x 4.272 pixels) por meio de algum algoritmo de interpolação (o Asus Zenfone 2 faz algo similar)— uma técnica meio desprezada na época das primeiras câmeras digitais e scanners de mesa, mas que neste caso produz resultados bem satisfatórios (para uma câmera de celular):

Quantum_Go_foto4

Clique para abrir na resolução máxima.

Mas isso significa que essa câmera é um presente de São Jorge (Eastman) para os fotógrafos de smartphones?

Naah… Quase.

Isso porque — para mim — sua interface com o usuário é meio tosca, com seus recursos espalhados pela tela na form de ícones (semi) intuitivos que dão acesso a modos meio exotéricos como “Foto ao Vivo”, “Faixa em Movimento”, “Visualização Multi-ângulo” e assim por diante.

Quantum_Go_camera_interface1

Além disso, muitos recursos realmente interessantes dessa câmera ficam escondidos dentro (de dois subníveis) do menu de configurações, o que dificulta ou até mesmo desestimula o seu uso, como os modos de cena…

Quantum_Go_modo_cenas … os filtros criativos…

Quantum_Go_camera_filtros

… e até um modo de Propriedades da imagem onde o usuário pode ajustar até cinco parâmetros de imagem…

Quantum_Go_ajuste_imagem

… para chegar naquele efeito que você pode chamar de seu:

Quantum_Go_foto5

Resumindo, o que quero dizer é que acho que um sensor tão bacana mereceria uma interface mais elaborada e polida.

E com relação ao desempenho? Como é de se esperar de um aparelho intermediário (ou como a Mediatek diz, “super-mid market“)  o Quantum não foi concebido para ser um foguete em termos de força-bruta/desempenho e sim de oferecer uma boa experiência de uso das aplicações mais populares do seu tempo.

Sob esse ponto de vista resolvi comparar o Quantum Go com o produto que — para mim — se encaixa perfeitamente nesse conceito, o Zenfone 5 da Asus, lançado no ano passado e que igualmente levantou as nossas expectativas sobre o que esperar de um smartphone intermediário.

Os resultados podem ser vistos embaixo:

Quantum Go Zenfone 5
Desempenho bruto
WebXPRT 2015 (HTML5) 47 +/- 1 51 +/- 1
WebXPRT 2013 (HTML5) 255 +/- 3 274 +/- 11
MobileXPRT 2013 (Performance) 145 154
MobileXPRT 2013 (User Experience) 98 99
Vellamo (HTML 5) 2.161 1.795
Vellamo (Metal Score) 1.098 776
Vellamo (Multicore) 1.581 980
Antutu Benchmark 5 35.546 23.060
Quadrant Standard Edition 21.803 7.982
Desempenho Gráfico
3DMark Ice Storm Unlimited 6.925 5.081
3DMark Ice Storm Extreme 4.302 3.677
3D Mark Ice Storm 8.063 6.622
BatteryXPRT (modo normal)
Airplane (hours) 15,5 12,5
Airplane (Performance Score) 733 787
Wi-Fi (hours) 13,0 11,1
Wi-Fi (Performance Score) 706 780

 

O que esses números mostram é que, no geral, o Quantum Go é um aparelho que supera o Zenfone 5 — o que até era de se esperar de um aparelho do ano passado — porém aqueles que adoravam se queixar da bateria do Zenfone 5, poderá não se sentir muito mais satisfeito com o Quantum. E é sempre bom lembrar que nem sempre um octacore de 1,3 GHz pode performar melhor do que um quase quadcore de 1,6 GHz em aplicações que não sabem tirar proveito de um processador de vários núcleos.

Assim, sob o ponto de vista de custo x benefíco, o Quantum Go me parece ser uma opção bem mais atraente que o Zenfone 5. De fato, eu até diria que ele tem grandes chances de ocupar o vácuo deixado pelo smartphone da Asus a medida que ele deixe o mercado em favor de novos modelos que estão chegando às lojas agora — em especial o Zenfone Laser (preço sugerido: R$ 899).

Enquanto isso não acontece, o novo smartphone da Positivo Quantum tem — em teoria — tudo para agradar o consumidor interessado em um smartphone elegante, esperto e acessível. Observamos porém que ainda existem algumas dúvidas no ar que só o tempo nos irá responder, principalmente no que se refere a qualidade do pós-serviço, assistência técnica e atualizações do sistema.

Quem viver verá.

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Panino, o Manino 22/09/2015, 15:48

    Otakos fazem as melhores resenhas, link do papel de parede?
    Medo desse troço deslizando no vídeo, parece que está vivo. O caso é sério.

  • tuneman 22/09/2015, 18:03

    já sabe qual variante do zenfone 2 laser vai ser lançada aqui?

    • Mario Nagano 22/09/2015, 18:54

      Já tem um no site da ASUS Brasil:

      http://www.asus.com/br/Phone/ZenFone-2-Laser-ZE550KL/

      Me parece ser o modelo com Snapdragon 410/Adreno 306, 2 GB de RAM, 16 GB de Flash, tela de 5,5″ com “resolução HD” e Android 5.0

      Preço sugerido R$ 899, por sinal o mesmo do Quantum Go (Ô.o)

      • tuneman 22/09/2015, 19:24

        porra bixo, venho monitorando a loja faz uns dias. hoje que começou a venda??
        alias, qual dos dois voce sugere?

        • Mario Nagano 22/09/2015, 19:36

          Com certeza teremos uma amostra para testes assim que a Asus Brasil liberar o aparelho. Até lá, só podemos palpitar.

          • Henrique Martin 23/09/2015, 08:17

            falei com a Asus ontem. Não vão liberar Zenfone Laser pra review 🙁

          • tuneman 23/09/2015, 11:52

            =´(

          • Thalles Ferreira 23/09/2015, 12:40

            Acho que não vão liberar pra review pra não canibalizar os Selfie/2, porque se elogiar muito o Laser, as pessoas simplesmente vão pegar o mais barato.

            Convenhamos que Zenfone Laser/Quantum Go/Moto G3 (com 2Gb de RAM) são basicamente tudo o que a maioria das pessoas precisa hoje pra um telefone fluido e funcional. Câmeras decentes, baterias aparentemente decentes, multitarefa digna, esqueci algo? 😛

      • tuneman 22/09/2015, 19:26

        e quando clico em comprar dá “PÁGINA NÃO ENCONTRADA…”…

      • Guilherme P. 27/09/2015, 14:42

        Mas o Quantum de 16GB custa 699 3G e 799 4G.

  • Marcus Pereira 22/09/2015, 23:42

    Nagano, sabe uma comparação que seria legal (se feita de forma mais “real use” que as idiotices do Androidpit Br)?
    Comparar o Quantum Go com o Redmi 2.
    Não seria uma comparação objetiva, já que pertencem a categorias diferentes, mas seria uma forma de ver como esses dois lancamentos se comparam.

    Acho que esses são os dois grandes lançamentos de custo benefício deste ano.

    • tuneman 23/09/2015, 00:58

      eu penso que nao há muito comparativo direto entre ambos, pois o valor de cada um é diferente.
      voce paga 500 reais pelo redmi2, mas tem quase metade das specs do quantum ou do zenfone laser….

      • Marcus Pereira 23/09/2015, 09:46

        É justamente o comparativo de especificações que eu gostaria de evitar.
        Queria ver as impressões de um teste de uso diário.
        Será que no dia a dia a diferença faz valer os 400 reais a mais?

        Em especificações não tem nem comparação, mas isso não necessariamente se reflete em usabidade.

        • tuneman 23/09/2015, 11:52

          até cogitei comprar um redmi2, mas queria um aparelho com 2GB de ram e 16GB de rom pra aguentar os proximos 2 anos.
          os apps e paginas web têm ficado muito pesados e ‘inchados’

          • Giancarlo Centoundici 20/02/2016, 07:10

            Na dúvida, comprei os dois 🙂
            O quantum go e o Redmi 2 pro, foram minhas duas aquisições planejadas pra este ano. Ambos foram as melhores relações custo/beneficio que tive do ano passado pra cá 👍 Tô me acostumando com a miui do Redmi, mas tô curtindo muito os dois, pra coisas bem diferentes um do outro.

          • tuneman 20/02/2016, 09:06

            eu peguei um quantum go tambem. poucos dias depois lançaram o redmi2 pro.
            qual dos dois você acha melhor?

          • Giancarlo Centoundici 24/02/2016, 09:54

            Prum heavy user que sabe explorar bem Android, quem um smart barato e decide usá-lo como substituto do notebook em determinadas situações, Quantum Go. Estou até editando vídeos direto nele, sem precisar passar pro note só pra fazer cortes, embutir efeitos simples e converter formatos.

            Pra quem quer um celular bom com mais memória do que um de entrada, mas não precisa de recursos avançados, Redmi 2. E olha que ainda edito fotos muito bem nele e faço postagens bem montadinhas em blogs meus através do Redmi. 🙂

        • Thalles Ferreira 23/09/2015, 12:36

          Depois de sair de um Redmi2 e voltar pra um aparelho de 2GB de RAM (por 500 reais a mais), sinceramente, no dia a dia faz MUITA diferença esses 500 reais a mais.

          • Marcus Pereira 23/09/2015, 13:23

            Pois é, meu caso foi oposto. Sai de um Z ultra e estou achando o Redmi mais fluido que ele…
            Estava quase desistindo do Android.

          • Thalles Ferreira 24/09/2015, 09:17

            Sério? Nunca mexi num Z Ultra, mas é quase inacreditável ler Redmi e fluido depois dos nervosos que passava com ele… Tá, meio exagero, ele é mais fluido que um Galaxy S4 dependendo do caso. Mas a UI da Sony não era pra ser tão pesada…

          • Marcus Pereira 24/09/2015, 13:18

            Não me entenda mau Thalles, não estou peopagandeando uma marca.
            Mas sempre achei o software da Sony mau programado… o Z Ultra depois do lollipop ficou muito ruim…
            Nesse sentido acho aintegração MIUI Redmi 2 bem mais acertada apesar de ser nítido a diferença de força bruta entre eles.

  • Coffinator 23/09/2015, 12:14

    O que ferra é o preço, sempre aparecem boas opções nessa faixa e a Asus também deve fazer umas promoções marotas no Z2 Laser.

  • dflopes 23/09/2015, 14:55

    interessante como matérias de celular recebem grande audiência…
    Também acharia interessante uma comparação com o Redmi 2 – apenas por serem smartphone mid level baratos.

  • Mario Nagano 23/09/2015, 18:13

    Eu concordo com a posição do Marcus (Tuneman) Pereira que o Quantum Go e o Redmi 2 são animais diferentes com specs diferentes e usabilidade varia muito de pessoa para pessoa.

    Até por causa disso é que não comparamos o Quantum com o Zenfone 2 / Selfie. Eles estão num patamar de custo bem acima.

    E cá entre nós, já ouvi histórias no mercado de que a Xiaomi no Brasil não está com toda essa bola.

    • Marcus Pereira 24/09/2015, 13:24

      Marcus Tuneman Pereira. Hahaahaha

      Mas falando sério, só da xiaomi liberar a compra em qualquer dia sem necessidade de evento Já demonstra que a demanda não está taaaaoo alta

      • Mario Nagano 24/09/2015, 14:33

        Falando nisso, acabou de acontecer uma coletiva “secreta” da Xiaomi e segundo os tweets do Henrique, a empresa libera a MIUI 7 final pro Brasil no dia 16 de outubro e a operadora Vivo vai vender Redmi 2 com um plano de Vivo Pós 2GB pela bagatela de 12x de R$ 21 ou R$ 679 no Vivo Pré.

        https://goo.gl/U4fLE3

  • Don Ramón 24/09/2015, 19:19

    É um aparelho bonito, com especificações bem interessantes e bom preço. Mas fico com um pé atrás quanto à marca (confiabilidade, garantia, assistência técnica e continuidade no mercado). Já miquei com um notebook por anos com problema na placa-mãe e me obrigando a usar um teclado externo porque a fabricante (brasileira) faliu depois que comprei o treco e simplesmente não havia peça pra manutenção. E como gato escaldado tem medo de água fria…

  • Sandro De Jesus Soares 26/09/2015, 09:06

    Uma semana com o meu Quantum Go! Um aparelho realmente digno de nota, mas que para cair nas graças do povo, vai ter que fazer como a Xiaomi e entrar em parceria com a vivo, porque senão acho meio difícil emplacar.

  • Anderson de Almeida Costa 13/11/2015, 13:37

    Fiz pesquisas sobre o aparelho Quantum Go. Gostei muito. Tenho dúvidas sobre a assistência técnica. Tentei ligar para o número que está no site da empresa 0800-777-244. Tentei por 8 vezes, e, só dava ocupado. Por esta falta de informação desta empresa, decidi em não comprar o aparelho! Mesmo assim, aguardo um melhor esclarecimento!
    Meu contato: andersonacost91@hotmail.com.

  • Anisio Caixeta E Silva 02/12/2015, 22:14

    Excelente aparelho em todos os aspectos. Tem gente falando em alguns pequenos bugs, mas são todos atribuídos aos de 3 G, desconheço bugs no 4 G. Esse meu quantum go 4 G é simplesmente apaixonante. Alterna entre apps com extrema fluidez, coisa que só notei igual no moto maxx. Impressionante. Espero que a quantum atualize sempre e faça um tremendo esforço pra garantir também a qualidade na assistência técnica. Parabéns aos desenvolvedores.