O que você fez hoje, 19 de janeiro de 2012?

O

O que você estava fazendo no dia 19 de janeiro de 2012?

Eu, num dia fora do normal, dormi pouco na noite anterior, peguei um táxi e quase nada de trânsito para o escritório (apesar da vibe pseudo-nacionalista do taxista), editei um post do Nagano, participei de uma reunião de duas horas pra ouvir sobre tecnologias, almocei, escrevi um post sobre o novo aplicativo de livros da Apple, dei conselhos de trabalho para uma amiga, vi que a internet estava dando problemas no final da tarde e voltei pra casa – e quase nada de trânsito de novo.

Cinco minutos depois, um temporal enorme caiu sobre São Paulo. Vi um pouco de TV com o volume alto (culpe a chuva) e liguei o computador na sala para ver que o Megaupload foi tirado do ar por inúmeras acusações de infringir propriedade intelectual e envolvimento em crime organizado.

Diz o comunicado oficial, do Departamento de Justiça dos EUA, em uma tradução livre:

“Sete pessoas e duas corporações foram acusadas nos Estados Unidos de pertencer a uma organização criminal internacional alegadamente responsáveis por pirataria online massiva mundial de diversos tipos de trabalhos protegidos por direitos autorais, por meio do Megaupload.com e outros sites relacionados, gerando mais de US$ 175 milhões em produtos do crime e causando prejuízo de mais de meio bilhão de dólares em prejuízos para os detentores de copyright, anunciaram hoje o Departamento de Justiça dos EUA e o FBI“.

O que dá a entender é que o Megaupload e seu pacote de sites, que envolve também pornografia (nada contra), era um saco de gatos que conseguia retirar dinheiro de incautos usuários que pagavam para mandar arquivos e baixá-los, entre outros golpes e métodos de lavagem de dinheiro (epa, isso é crime mesmo, não?).

De 150 milhões de usuários cadastrados, vai dizer quem nunca ficou tentado a pagar por uma conta “premium” (aham) que permitiria um download mais rápido? Pirataria aqui é só a ponta do iceberg.

A questão é que a operação internacional – Kim Dotcom, dono do Megaupload, mora na Nova Zelândia – deflagrou outra como resposta.

Um dia após os protestos mundiais contra as leis de proteção de direitos autorais SOPA e PIPA nos EUA, é altamente conspiratório pensar na divulgação dessa megaoperação (trocadilho infame…) como um direito de resposta, certo? E aí entram os Anonymous, atacando sites e derrubando páginas por todo o mundo – gravadoras, entidades de proteção aos direitos autorais. Nada contra o que os Anonymous estão fazendo. Só acredito que, nesse caso, retaliar só pode reforçar a munição dos inimigos.

Fato é que as leis de direitos autorais nos EUA são ultrapassadas sim. Já vimos no passado a derrota do Napster, o YouTube remover vídeos com músicas de fundo (outro dia recebi uma notificação por e-mail por conta da música em um vídeo da CES postado aqui no ZTOP) e, bem, os grandões ainda têm o poder econômico (essa teoria da conspiração do TorrentFreak é ótima também).

Seria melhor se o ciberativismo real descobrisse um modo de fazer isso de maneira eficiente (mais Wikileaks, menos sites fora do ar), não apenas derrubando sites – pelo menos é o que diz a minha simples opinião de observador.

E, bem, hoje é 19 de janeiro de 2012. O dia que vai ficar na história, para o bem ou para o mal. E você, o que fez hoje?

Ah sim, pra fechar a noite, estou vendo Megamente na TV (na operadora de televisão a cabo que, por sinal, me prometeu serviços on-demand até o final de 2011, e não cumpriu ainda). Êta filme ruim!

 

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin é o fundador do ZTOP+ZUMO e da newsletter de tecnologia Interfaces. Já escreveu na PC World, PC Magazine, O Estado de São Paulo, Folha de S. Paulo e criou o ZTOP+ZUMO em 2007, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC.

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos