ZTOP+ZUMO

Retrotech: Tectoy anuncia novo Mega Drive “Edição Limitada”

Clássico console Mega Drive de 16 bits da década de 1990 já pode ser encomendado hoje, mas só será entregue em meados de 2017 (hein?)

A Tectoy anunciou hoje o início da pré-venda do seu mais novo console de jogos “retrô” — o Mega Drive Edição Limitada — uma reprodução fiel do original lançado no Brasil pela própria empresa em setembro de 1990:

new_megadrive_console_overall

Segundo a TecToy, esse console vem equipado com um SoC formado pela CPU de 8/16 bits + 64 KB de RAM e 8 KB de ROM. Sua resolução nativa é de 256 x 224 pixels, com paleta de 512 cores e saída de som de 6 canais + 2 canais de PSG + 1 canal analógico de 8 bits.

Sua saída de áudio e vídeo continua a ser analógica, na clássica configuração de três conectores RCA (dois canais estéreo e um para vídeo composto padrão PAL-M). Por causa disso, acreditamos que sua experiência de uso seja até melhor nas antigas TVs de tubo do que nas atuais e TVs de tela plana com seus painéis imensos e resolução altíssima.

E por que não adicionar uma porta HDMI? Nosso palpite é que isso só encareceria desnecessariamente o produto sem melhorar na mesma proporção a qualidade dos gráficos (máximo 320 x 240 pixels).

Fora isso, o novo Mega Drive ainda conta com uma saída para fone de ouvido com controle de volume e fonte de alimentação interna do tipo bivolt (110~220 volts x 0,75 watt).

Já acompanha o produto um joystick padrão de três botões que também pode ser adquirido à parte pelo preço sugerido de R$ 59 (ou R$ 49 na pré-venda).

new_megadrive_josytick

A empresa afirma que os controladores originais também funcionam, mas não outros acessórios da época como o Game Genie, Sega CD, Power Base Converter, 32x Meganet, Activator, Mega Mouse, etc.

Porém o que mais chama a atenção para este produto é o fato dele possuir um slot compatível com os cartuchos do Mega Drive original (apesar de que nem todos irão funcionar, caso do Virtua Racing) e até uma entrada para cartão Micro SD (para imagens de ROM e jogos homebrew) o que permite rodar todos aqueles saudosos títulos desenvolvidos por terceiros que nunca foram incluídos nas bibliotecas de títulos pré-gravados no console.

new_megadrive_console_traseira_leg

De fato, este novo Mega Drive também já vem com 22 jogos inclusos, a saber:

  • ALEX KIDD
  • ALIEN STORM
  • ALTERED BEAST
  • ARROW FLASH
  • BONANZA BROTHERS
  • COLUMNS
  • DECAP ATTACK
  • E-SWAT
  • FATAL LABYRINTH
  • FLICKY
  • GAIN GROUND
  • GOLDEN AXE
  • GOLDEN AXE 3
  • JEWEL MASTER
  • KID CHAMELEON
  • LAST BATTLE
  • OUT RUNNERS
  • SEGA SOCCER
  • SHADOW DANCER
  • SHINOBI 3
  • SONIC 3
  • TURBO OUTRUN

Para aqueles que já pensam em pedir um desses na sua cartinha para o bom velhinho — alertamos que — apesar do console entrar em pré-venda hoje (31/out), ele só começará a ser distribuído em junho de 2017 (uia!).

A explicação oficial é que no ano que vêm, a empresa fundada em 1987 irá completar 30 anos e o relançamento do console seria uma maneira de comemorar esta data, além de atender ao pedido de milhares de fãs.

Já a nossa suspeita é que a Tectoy também está fazendo isso porque eles não tem uma idéia muito clara de quantos consoles eles serão capazes de vender, de modo que essas “encomendas” servirão como uma espécie de parâmetro para eles decidirem quantas unidades eles podem fabricar, racionalizando assim a sua produção ao mesmo tempo que reduzem o risco/vexame de não ter console pra todo mundo ou acabar com um grande encalhe no estoque.

E dependendo da reação do consumidor e o resultado dessa iniciativa, quem sabe eles não se animam a relançar outros produtos do seu portfólio?

Seu preço sugerido é de R$ 449 mas ele está sendo vendido na pré-venda pela bagatela de R$ 399 no cartão ou R$ 379 á vista no boleto. Já sua garantia é de apenas três meses:

new_megadrive_prevenda

Mais informações aqui e na sua página de FAQ aqui.

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Luis Fernando Consulo Martins 31/10/2016, 16:37

    Nossa, isso é um verdadeiro tapa na cara da Nintendo com o seu NES classic, uma pena que ele não tenha HDMI.

    • Mario Nagano 31/10/2016, 17:04

      Já ficaria contente com uma saída s-vídeo. Mas ainda bem que guardei a minha antiga Sony Trinitron de 20″ para essas eventualidades.

      Apesar de que confesso que sou fã mesmo de Intellivision.

      • Ligeiro 31/10/2016, 20:23

        A propósito, uma perguntinha: foi no Museu do Video Game? 😀

        • Mario Nagano 31/10/2016, 23:53

          Nope, na epoca em que videogame de 8 bits era lixo eletrônico, eu comprei uma bola de fita crepe contendo um Intellivision II e uns 6 cartuchos por R$ 20 na feira de bugigangas do bixiga.

          • Ligeiro 01/11/2016, 14:18

            Não não, digo, o evento que teve no SP Market no último mês 🙂

    • Ligeiro 31/10/2016, 19:42

      Pelo que eu tenho visto em um ou outro Youtuber gamer americano (na verdade o único que vejo é o John do Gamester81), parece que é irrelevante o HDMI, pois apenas é um upscaling e encarece muito os projetos de “nostalgic games”. Exceto se o aparelho dá algum tratamento durante o upscaling (os equipamentos “high end” da AVS – um retrogame baseado no NES – tem algo assim).

      • Adriano De Lima 01/11/2016, 15:10

        Até entendo que não iria refletir numa melhor qualidade da imagem, mas colocar esta opção a mais facilitaria muito a instalação de quem não quer pensar em nada muito técnico além do fato da pessoa já possuir um cabo HDMI para a sua TV a disposição.
        Se a questão era o custo (royalties) porque não colocar então uma saída Displayport?

        • Ligeiro 01/11/2016, 17:01

          Não é royalties, mas o custo de implementar um circuito em hdmi mesmo ( e as consequências)

          • Adriano De Lima 01/11/2016, 17:11

            Quais consequências!?

          • Ligeiro 01/11/2016, 17:53

            O problema é que se não há uma saída com filtro, o que pode ocorrer é a qualidade da imagem ficar baixa ou trabalhar com resolução muito baixa no HDMI. Então fica irrelevante, sendo que a própria saída processada original do Mega Drive / Genesis é bem baixa em pixels.

          • Adriano De Lima 01/11/2016, 18:59

            Entendo que não há um circuito dedicado ao upscaling da imagem, o meu interesse seria apenas pegar a saída de áudio e vídeo digital do console e direcionar pra saída HDMI. Sem passar pelo conversor analógico. Um engenheiro de hardware certamente consegue trabalhar nesta solução. O problema está no atual custo deste trabalho. A pesquisa para oferecer tal funcionalidade inviabiliza o produto. Se fizesse assim, fazer o upscaling seria algo bem mais simples.

          • Ligeiro 01/11/2016, 21:34

            De qualquer forma, não compensa.

  • Rafael Rigues 31/10/2016, 17:22

    Postei no FB, reposto aqui: muito provavelmente isso é baseado no mesmo SoC que a TecToy já usa nos “Mega Drive Portáteis” e outros modelos no marcado, apenas com uma cara nova. A empresa usa uma solução da AtGames, que é infame pela PÉSSIMA qualidade do som emulado, distorcendo severamente as músicas de vários jogos. Outros títulos (como Sonic 3) sofrem de slowdown notável, e não há suporte a coisas úteis como saves (que alguns jogos da lista suportam).

    É uma pena, eu (e muitos fãs) realmente me interessaria pelo produto se a emulação fosse fiel. Mas do jeito que está é apenas um “cash-in” com a nostalgia dos fãs, sem se importar com a qualidade da experiência. Não faço questão de saída HDMI, ou compatibilidade com Mega CD e 32X. Mas da precisão não abro mão.

    Os controles são legaizinhos, mas custava usar os de 6 botões? OK que não são os “originais” desse modelo (foram lançados depois) mas são muito mais práticos e na minha opinião mais ergonômicos, sem contar que indispensáveis nos jogos de luta. E a TecToy nem teria que fazer muito esforço pra isso, ela já produz controles de 6 botões, que usa nas versões modernas do Master System (onde não fazem NENHUM sentido, já que todos os jogos usam apenas 2).

    • Alexandre Fabian 31/10/2016, 19:31

      Desanimei agora :/

    • Ligeiro 31/10/2016, 19:40

      Tinha lido em outra matéria que a reprodução do circuito seria próxima ao fiel também ao ponto de permitir o uso do 32X e jogos como Virtual Racer. Fiquei confuso agora.

      • Mario Nagano 31/10/2016, 23:57

        Leia o FAQ da Tectoy, tá tudo explicado lá:

        http://institucional.tectoy.com.br/faqmd.aspx

        • Ligeiro 01/11/2016, 14:18

          Vi lá. Que pena, pensei que os circuitos iam ser realmente “fieis” ao original. :

  • Coffinator 02/11/2016, 23:07

    TecToy já era pra ter desistido de vender Megas (capados, por sinal) e tentar um acordo com a Sega pra relançar o Dreamcast por aqui.

    • dflopes 04/11/2016, 00:56

      voto com o relator, apoiadissimo

    • Ligeiro 08/11/2016, 20:20

      O ruim é imaginar que o custo de venda de um Dreamcast provavelmente poderia ficar próximo ao de um XBox 360 novo (o sucessor “natural” dele).

      Assim como o Mega, provavelmente não tem circuitos originais em produção, o que restaria seria emular, o que daria outro problema: o sistema original do Dreamcast é uma variação do WinCE, e sabe-se lá se a MS liberaria a licença, ainda que tem o XBox para vender por aqui :p .

  • dflopes 04/11/2016, 00:56

    Saudosismo bateu forte aqui.
    meus pais compraram um usado praos moleques da casa 22 anos atrás.

    Mas a implementação foi displicente.
    Como conectar RCA nas TVs atuais? Precisa de adaptador na maioria delas e quem lembra de.onde guardou?

    Deveria ter disponível o controle de 6 botões. E os cartuchos que tem chip extra de processamento não devem ser compatíveis (Virtua Racing com SVP Chi).

  • Fernando Pereira Silveira 02/07/2017, 20:56

    R$ 450,00??? Fala serio