Macro: Dell Inspiron 13 7000 Series

M

O Dell Inspiron 13 7000 faz parte da geração de máquinas dois-em-um (tablet/notebook) que o mercado de PCs tenta nos empurrar faz algum tempinho. Passei dois meses com essa máquina e, bem, gostei bastante do hardware.

Soa esquisito eu, Henrique, escrever algo relacionado a hardware. Isso é tarefa do Nagano, incluindo rodar benchmarks, testes de bateria, desmontar partes e peças e remontar tudo de novo e itens relacionados.

Pra deixar claro, uso Macs desde 1998 (saudades Mac OS 9! saudades dólar 1-para-1! saudades de um Mac OS que funcionava direito com discos rígidos!) e gosto muito da durabilidade de hardware Apple (é mais caro – e hoje comprar um no Brasil é inviável -, mas estou desde 2011 com um MacBook Air que não perdeu quase nada da sua experiência de uso desde que saiu da caixa).

Dito isso, mesmo tendo editado revistas relacionadas a PCs nesse período, não gosto da experiência de uso geral do Windows (mas, sim, tenho um notebook Lenovo aqui em casa pra patroa).

O tempo usando o Inspiron 13 7000 valeu para ver como está o Windows 8.1 (hmpf) e chegar à eterna conclusão de que hoje pra fazer meu trabalho eu preciso de poucas coisas: conexão à internet / navegador / VPN / editor de textos-planilhas / editor de fotos / (ocasionalmente) editor de vídeos. E isso dá pra fazer no Mac, no Windows ou (quase) no Chrome OS.

Claro que cada um tem suas peculiaridades: no Mac uso o iPhoto/Fotos para editar/cortar/exportar imagens em lote. No Windows, o terrível gerenciador nativo de fotos faz o básico – corta-edita-corrige -, mas não exporta (acabei usando um gerenciador ótimo chamado Image Resizer).  No fim das contas, o meu velho e bom navegador (oi Chrome) serve pro resto das coisas – e, no Windows, antivírus nativo do sistema ligado e conexão à internet somente por VPN.

Voltando ao Inspiron 13 7000: o modelo que a Dell me enviou tinha processador Intel Core i5 4210U (quarta geração) de 1,7 GHz (quarta geração), 8 GB de RAM e 500 GB de HD.

Esse modelo específico já foi atualizado por variantes com processador Intel Core i5/i7 de quinta geração (yay!) e a Dell mantém uma com Core i3 de 4a. geração. Os preços sugeridos no site da Dell vão de R$ 2.249 a R$ 3.399, dependendo da configuração. Acabei usando muito o notebook na cobertura do Mobile World Congress em Barcelona e do South By Southwest 2015 em Austin e mais um tempo aqui em casa (e só agora deu tempo pra sentar e escrever).

O que é legal no Inspiron 13 7000?

1) a tela Full HD de 13 polegadas. Nítida, brilhante, ótima visualização em ângulos.

SONY DSC

2) Um monte de entradas/portas: HDMI, USB 2.0 e 3.0 (incluindo aquela que recarrega seu smartphone/tablet com o notebook desligado)…

SONY DSC

… além de acesso rápido ao liga/desliga e controle de volume, um leitor nativo de cartões SD e uma curiosa caneta Stylus integrada ao produto para anotações na tela (não usei isso).

SONY DSC

SONY DSC

SONY DSC

3) o design e acabamento da máquina – todo em alumínio, com teclado retroiluminado grande e espaçoso. Sofri um pouco com o trackpad (mais por conta do Windows e seus botões de clique), mas é confortável e com resposta rápida.

SONY DSC

SONY DSC

4) descobrir lance do “dois em um” é menos importante do que você pode pensar. O Inspiron 13 é uma máquina de grandes dimensões (19,4 x 12,9 x 22,1 cm) relativamente leve (1,6 kg). Dá para usar como tablet na mesa (abaixo, comparando com o iPhone 6 para dar uma ideia de proporção)..

SONY DSC

… ou montar no modo tenda numa mesinha de avião (o que fiz, por sinal).

SONY DSC

Tem o modo esquizofrênico todo aberto também (não entendi/pensei um modo de uso com o portátil assim, me desculpem).

SONY DSC

De qualquer modo, é interessante pensar que o “2 em 1” é um extra que seu notebook pode fazer.

SONY DSC

5) algo incrível da Dell (e não do Windows) é o modo de gerenciamento de bateria do Inspiron 13 7000. Na média, fora da tomada, conectado via Wi-Fi, conseguia de 5 a 6 horas de duração. É um valor OK, correto. Mas o MAIS LEGAL (e me surpreendeu positivamente) é que o portátil consegue economizar muita energia quando em modo de espera, com a tampa fechada. Voltando do SXSW, deixei o Inspiron fechado por uns 15 dias. Ao ligar de novo, tinha mais de 80% de carga restante (uau!).

SONY DSC

O que não é legal no Dell Inspiron 13 7000? Uma única coisa válida para qualquer notebook Full HD ou superior: o modo como a Microsoft destrata/ignora a existência de telas de alta resolução. Zero incentivo para seus desenvolvedores para adaptar aplicativos à resolução de tela nativa. Os programas da Microsoft – Office, Internet Explorer, Fotos etc – funcionam em Full HD. O resto, depende de cada um.

Num Mac, o mesmo app funciona na resolução nativa num Mac Air de 11″ (1.366 x 768) e em um Macbook Pro Retina (2.560 x 1.600). No Windows, um app qualquer – digamos, Spotify  – roda nítido na tela HD (1.366 x 768), mas fica borrado na Full HD. Eca (ponto pro pessoal da Receita Federal, que faz seu aplicativo de Imposto de Renda 2015 100% compatível com telas Full HD).

Não acredito que muita coisa mude no Windows 10 – e pessoalmente acho que o “canto da sereia” da Microsoft para desenvolvedores de dizer que o Win10 vai rodar em “2 bilhões de devices” (como eles reafirmaram semana passada no Build São Paulo) é bobagem.

Falta hardware legal em mobile (a divisão ex-Nokia se especializou em Lumias mid/low end, que vendem até bem no Brasil, mas zero fôlego para competir no mercado de alto desempenho/alto preço dos Galaxy/iPhone. Além disso, os apps da Microsoft funcionam melhor em Android e iOS que no Windows Phone), falta uma iniciativa decente para internet das coisas e, bem, o mercado de PCs vai continuar a existir porque as pessoas precisam de computadores, né? (e hardware Apple continua caro em qualquer lugar do mundo para brasileiros com esse dólar a R$ 3+) .

SONY DSC

Em tempo: o Dell Inspiron 13 7000 é uma máquina bacana, com preço razoável e boa performance, apesar das inconsistências/bizarrices do Windows 8.1 (esse comentário inclui minha eterna insatisfação pessoal com a comunicação da Microsoft Brasil). Meu notebook Windows dos sonhos ainda é um Dell XPS 13 com bordas ultrafinas, mas isso é outra história 😉

[Dell]

Disclaimer: a Dell me emprestou o Inspiron 13 7000 para cobrir o SXSW – evento/viagem que foi patrocinado pela própria Dell. Atrasei a publicação desse texto porque… a vida não tá fácil e as contas ainda não se pagam sozinhas 🙂

 

 

 

 

 

 

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin é o fundador do ZTOP+ZUMO e da newsletter de tecnologia Interfaces. Já escreveu na PC World, PC Magazine, O Estado de São Paulo, Folha de S. Paulo e criou o ZTOP+ZUMO em 2007, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC.

Disclaimer: o ZTOP+ZUMO tem links de afiliados com a Amazon e pode ser
remunerado caso você clique em links neste artigo e compre algo.

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos