ZTOP+ZUMO (tech, opinião, inteligência)

Lost in Translation

lost_in_translation.jpg

Quando escrevia sobre o post do Japan Media Arts Festival, me chamou a atenção o trabalho “The moon princess being smelled by
~ Japanese old tales remix ~
.”Os autores partiram de uma abordagem no mínimo curiosa: pegar uma história tradicional e traduzi-la do original em japonês para o inglês, pegar o resultado e retraduzí-lo novamente para o original usando um programa de tradução. O resultado foi um conto meio parecido, mas não o mesmo.

Com essa idéia maluca na cabeça, eu procurei alguma história curta na web que pudesse passar pelo mesmo processo. Escolhi a fábula “A Raposa e as Uvas”, de Esopo, que achei neste site e passei o mesmo no Babelfish translator do portal Altavista:

Texto original:

Uma raposa faminta entrou num terreno onde havia uma parreira, cheia de uvas maduras, cujos cachos se penduravam, muito alto, em cima de sua cabeça. A raposa não podia resistir à tentação de chupar aquelas uvas mas, por mais que pulasse, não conseguia abocanhá-las. Cansada de pular, olhou mais uma vez os apetitosos cachos e disse: – Estão verdes . . . É fácil desdenhar daquilo que não se alcança.


Traduzido para o inglês:

A hungry fox entered in a land where it had a vine arbor, full of mature grapes, whose clusters if hung, much high, in top of its head. The fox could not resist the temptation to absorb those grapes but, no matter how hard it jumped, it did not obtain to abocanhar them. Tired to jump, it looked at the appetizing clusters one more time and it said: – They are green. . . It is easy to disdain of that it is not reached.


Retraduzido para o português. Como na proposta dos japoneses, meio parecido, mas não o mesmo:

Uma raposa com fome entrou em uma terra onde tivesse um mandril da videira, cheia das uvas maduras, cujos conjuntos se pendurado, muito elevado, no alto de sua cabeça. A raposa não poderia resistir o temptation absorver aquelas uvas mas, não importa como duramente saltou, não o obteve a abocanhar. Cansado para saltar, olhou os conjuntos appetizing uma mais vez e disse: – são verdes. . É fácil ao disdain daquele que não é alcançado.


Durante esse experimento, eu acidentalmente selecionei uma opção errada e o sistema pegou o texto acima assumindo que o mesmo estava em inglês e tentou traduzí-lo para o português. O resultado parece até um texto de Lewis Caroll ou de John Lennon na sua fase mais pirada:

Parreira numérico do uma do havia do onde do terreno do entrou do faminta do raposa de Uma, maduras de cheia de uvas, penduravam do SE dos cachos dos cujos, alto do muito, cabeça de em cima de sua. Mas chupar dos uvas dos aquelas do à tentação um de do resistir do podia do raposa não, pulasse do que dos mais do por, abocanhá-las do conseguia de não. Cansada de pular, disse dos cachos e dos apetitosos do os do vez do uma dos mais do olhou: – verdes de Estão. . . Alcança desdenhar do SE do que não do daquilo do fácil de É.


Lost in translation, literalmente… ;^)

Ainda em tempo:

Peguei o texto original e passei para o inglês, depois para o japonês e depois fiz o caminho de volta. O resultado ficou mais estranho ainda:

O orphan com fome teve o mandril do guindaste, quando você trava extremamente na cabeça, elevação que recolhe a entrou com a terra completa da uva que cresceu. Não poderia resistir ao temptation que absorve aquelas uvas o orphan, mas saltando ansiosamente, como, você não obteve aqueles em abocanhar. Sendo tired a fim saltar isso olhado muitos cronometra o recolhimento appetizing, dito: – aqueles são verdes. Isso é fácil no esse scorn a impressão de não alcançar.

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World. Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

  • Peter

    A última tradução é a letra de uma música! Pode cantar aew q vai fazer sucesso! hehehehe

  • Bela experiencia… Totalmente Lost in translation!

    Vcs vao participar do Campus Party?

  • Oi Claudia, sim
    vou ver um dia como é e no dia 14 (se nao me engano), participo de um painel sobre novas midias. depois eu publico os detalhes.

  • “A terra completa da uva que cresceu.”

    Clube da Esquina?!