LG, Royole e as telas que dobram e se enrolam

L

[CES 2019] Telas dobráveis. Já falei delas, ainda em fase de protótipo, algumas edições atrás da CES. Agora, elas existem em forma de produto – tanto a TV gigante que se enrola da LG quanto o smartphone dobrável da Royole deram as caras aqui em Las Vegas.

Royole FlexPai

Ele não é vapor. O Royole FlexPai existe, assim como sua empresa-mãe, a Royole. Fundada em 2014, ela é especializada em criar telas flexíveis. Assisti a uma apresentação ontem do CEO da empresa, Bill Liu. Os caras são grandes – não contaram muito sobre onde conseguiram financiamento, mas surgiram em 2014 em Stanford e cresceram desde então.

Tanto que têm uma fábrica de telas flexíveis em Shenzhen, na China, e estão demonstrando o FlexPai e suas outras soluções/produtos (algumas úteis, como um teclado expansível que pode ser retraído para uma espécie de “caneta” e outras inúteis, como uma tela em uma cartola).

Vi o FlexPai ontem num dos eventos paralelos da CES e tirei as fotos abaixo. Sem mexer, tive a impressão de que estamos ainda na era rudimentar, na pré-história desse tipo de smartphone. As transições são lentas, a qualidade da tela não é incrível, o acabamento do FlexPai é bem ruinzinho.

Hoje na feira fui ao estande da Royole e mexi no FlexPai. Confirmei as impressões de ontem – a tela não tem muito brilho e, em determinados momentos, pareceu que eu estava mexendo em um mockup (um modelo não-funcional usado pela indústria de eletrônicos). As transições são realmente lentas, o software se enrosca um pouco (principalmente na câmera com o aparelho dobrado).

De novo, hoje é a pré-história do smartphone dobrável. A conferir o que a Samsung deve aprontar mês que vem em Barcelona no Mobile World Congress. Mais fotos do FlexPai abaixo.

Nagano comenta: Sim — para mim esse produto também está mais com cara de prova de conceito (para manter o hype) do que para um produto final propriamente dito por dois motivos: A primeira é a tela dobrar “para fora” o que expõe demasiadamente a tela as danos como riscos, batidas e quedas.

Segundo, a impressão que passa é que o fabricante decidiu por não dobrar esssa tela para dentro (como no Nintendo DS) com o receio de estressar demais a área da dobra o que poderia levar a formação de um vinco e até a uma ruptura da mesma.

E isso, sem falar nessa deselegante dobradiça de borracha sanfonada:

LG e a TV que enrola

Acredito que, se a CES 2019 tem um “vencedor”, dá para dizer isso da TV enrolada da LG, a Signature OLED TV R (65R9). Esse produto não tem preço nem data de lançamento, mas, diferente do smartphone da Royole, está pronto para o consumidor. É, sem dúvida, um indicador do futuro da TV e da própria tecnologia de telas – mas precisamos ver quanto isso vai custar (meu palpite: não vai ser pouco).

Vendo a TV de perto no estande da LG na CES 2019 consegui entender melhor como funciona a estrutura dessa tela. A parte traseira funciona como uma espécie de persiana. Ao ativar o mecanismo, ela se enrola dentro da caixa/desenrola para fora. Isso dá estrutura à tela e é uma solução muito inteligente por parte da engenharia de produto da LG. E ela pode ser usada em modos com parte da tela escondida (como um grande tocador de música, por exemplo) – e o suporte vira uma mesinha chique.

Fotos e vídeos da LG Signature OLED TV R, que são o melhor jeito de entender esse produto.

https://twitter.com/henriquemartin/status/1082722050022637568

Sobre o autor

Henrique Martin

Henrique Martin já escreveu na PC World, PC Mag, Folha de S. Paulo e criou o Zumo em 2007. Em 2011, o Zumo se transformou no ZTOP, referência em conteúdo original sobre tecnologia em um mundo pós-PC. Siga-o no Twitter: @henriquemartin

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos