Números enormes: A tela OLED transparente da LG

N

Voltada para o mercado B2B, ela tem apenas 4 mm de espessura e pode tornar as telas digitais ainda mais “flexíveis” tanto na sua aparência física quanto do seu potencial de comunicação.

A LG Business Solutions aproveitou a sua participação na Telemultimídia Infocomm 2019 para lançar seu novo Monitor OLED Transparente voltado para o mercado de sinalização digital:

Esse lançamento não deixa de ser a realização de um longo trabalho de P&D que a LG tem feito com a tecnologia OLED e que resultou numa mídia bastante “flexível” (no sentido mais exato da palavra) já que ela abre novas possibilidades num mercado cada vez mais ávido por novidades e estímulos visuais.

De fato, para entender melhor essa tecnologia vale dar uma lida num post que o Henrique publicou em 2016:

Atualmente a LG comercializa dois modelos de tela OLED transparente, sendo que a versão mostrada é o modelo 55EW5F-A de 55″ (a outra é de 65″) com resolução Full HD e angulo de visão lateral de 178°…

Clique para ampliar

… o que ajuda a ressaltar o seu alto nível de contraste e brilho, que nesse modelo chega a 400 Nits (e 450 Nits na de 65″) resultando assim numa imagem de altíssima qualidade:

Clique para ampliar

Esse efeito visual foi possível graças a algumas características do OLED, entre elas a capacidade dos seus pontos de imagem emitirem sua própria luz (num tom e intensidade controlável)…

…o que simplifica dramaticamente a sua montagem e apresentação:


Clique para ampliar

Fora isso, ela é formada por apenas três camadas (contra sete de um LCD de mesmo tipo) o que impacta diretamente no seu nível de transparência que chega a 38% contra 10% do LCD:

Clique para ampliar

O resultado final é um painel aberto com menos de 5mm (ou mais exatamente 4,89 mm) de espessura, mas que também é bastante resistente e durável graças ao uso de vidro temperado na sua estrutura com direito a certificação IEC 61373 contra choques e vibrações, o que permite usá-lo, por exemplo em vagões de trem:

Vale a pena notar que a imagem gerada por essa tela só pode ser vista de um lado

Clique para ampliar

… o que talvez impeça a criação de alguns efeitos bem interessantes, como por exemplo um “aquário dentro de uma placa de vidro” onde os peixinhos pudessem ser admirados de ambos os lados.

Mas de “outro” ponto de vista, esse efeito também poderia criar problemas, especialmente na hora de apresentar mensagens de texto que apareceriam invertidos no lado de trás.

Clique para ampliar

De qualquer modo, se o desejo é de apresentar imagens dos dois lados do painel a empresa também possui um modelo formado por dois painéis OLED montados de lados opostos:

Segundo a empresa, esta tela pesa aproximadamente 6,6 kg e sua vida útil gira em torno de 20 mil horas ligada 18 horas por dia x 7 dias por semana, o que ainda é pouco se comparada com uma tela LCD com características semelhantes que fica na faixa de 50 mil horas ligada 24 horas x 7 dias por semana.

OLED x LCD

Segundo Alexandre Fontes, gerente da divisão de ID B2B & IT da LG, sua divisão já trabalha com painéis OLED no País desde 2017, sendo que a versão transparente chegou agora por aqui.

Quando perguntamos sobre as vantagens e desvantagens do OLED se comparado com o LCD, Fontes destaca a sua flexibilidade — novamente, no sentido mais exato da palavra — já que com o OLED é possível criar formas e estruturas antes impossíveis de serem realizadas com painéis LCD.

Por exemplo, caso o desejo for de criar um display curvo, no LCD o resultado poderia ser algo com formato meio “sextavado”…

…enquanto que com o OLED é possível dobrar o painel para criar curvas suaves e até um círculo perfeito, conclui o executivo.

Fora isso, Fontes também diz que os painéis LCDs não foram feitos para serem montados com a face para cima, para baixo ou mesmo muito inclinados. Isso porque como o próprio nome diz, esses painéis possuem uma substância líquida no seu interior, que se mantém estável quando a tela está na posição vertical. O problema é que ao ser inclinada, a força da gravidade pode aplicar uma pressão em diversas partes da superfície do painel (especialmente nos modelos maiores) o que pode provocar desde distorções nas cores, até manchas e trincas na tela.

No caso do OLED isso não acontece por que toda a sua tecnologia é baseada em eletrônica de estado sólido, o que permite criar formas e efeitos inusitados:

Clique para ampliar

Disponibilidade e preço

Quando perguntamos sobre preços, Fontes confirmou que, inicialmente, o OLED transparente tende a ser mais caro que o LED convencional devido a pequena demanda e o fato dele ser importado, algo que pode mudar com o passar do tempo media que a demanda aumente e a produção seja feita nos Brasil.

Porém ele destaca que a real percepção do valor desse tipo de produto estaria mais na necessidade/demanda do projeto, ou seja, é necessário entender o desejo do cliente para oferecer a melhor solução que pode ser tanto baseada tanto em LCD quanto em OLED.

De fato, a LG só comercializa esses painéis por meio de seus canais de distribuição, o que significa que seu produto costuma ser apenas parte de um todo.

E aproveitando a oportunidade, perguntamos para o executivo se a LG tem planos de trazer para o Brasil os painéis de LED para uso em telas de Cinema.

Sua resposta foi que a LG tem sim essa tecnologia na Coréia, mas por enquanto não existem planos de trazê-la para o País. 😕

Para mais informações, visite o site da LG Business Solutions.

Sobre o autor

Mário Nagano

Desde o século passado Mario Nagano analisa produtos e já escreveu sobre hardware e tecnologia para veículos como PC Magazine, IDGNow!, Veja e PC World.
Em 2007 ele fundou o Zumo junto com o Henrique assumindo o cargo de Segundo em Comando, Editor de Testes e Consigliere.

Por Mário Nagano

RSS Podcast SEM FILTRO




+novos